Destaques

quinta-feira, outubro 15, 2009

Sem senso de oportunidade, covarde e apático: resta algo para o Tricolor?

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Por Moriti Neto

No Campeonato Brasileiro, em uma das competições mais divertidas dos últimos tempos – pelas surpresas que é capaz de propiciar – virou rotina, ao menos nas últimas rodadas, os times da ponta de cima da tabela perderem pontos para os que estão embaixo. E é mesmo por isso – e só por isso – que o São Paulo ainda não deixou a vice-liderança.

E os resultados, sejam da última ou da próxima rodada, não mudam em nada uma análise fria e objetiva sobre o Tricolor do Morumbi. O time, que em certo momento deu pinta que ia decolar, teve chances de sobra para encostar no Palmeiras ou até assumir a primeira colocação na tabela, no entanto os últimos cinco jogos mostraram que não tem cara nem vontade de campeão.

As exibições contra Santo André, Corinthians, Náutico, Coritiba e Flamengo foram pautadas pela apatia dos jogadores ou covardia do técnico. Quando os adversários eram os chamados pequenos, a equipe não demonstrou nenhuma aplicação enquanto esteve com 11 em campo (no estranho confronto com o Timbu, o Tricolor só passou a atuar melhor após perder dois atletas). Em resumo, parece que os jogadores não levaram as disputas a sério como se fossem capazes de resolvê-las a qualquer tempo. Não são.

Já no enfrentamento com os grandes (não somente Corinthians e Flamengo, mas também o Palmeiras) Ricardo Gomes deixou evidente o temor em mexer na equipe. A falta de ousadia ficou clara na demora em modificar o ritmo lento do time, fosse ele causado pela acomodação ou por ineficiência técnica/tática.

No último jogo, contra o Rubro Negro Carioca, a covardia são-paulina traduziu bem a condição de quem não ambiciona o título. Depois de fazer 1 x 0, os tricolores recuaram e aceitaram a pressão constante dos flamenguistas. Eu não voltaria a cobrança do pênalti batido por Petkovic e defendido por Rogério, porém isso não muda o fato de que o São Paulo, pela retranca adotada, merecia perder. Em situações como aquela, enfrentando, fora de casa, adversário em franca ascensão e com torcida reconhecidamente inflamada, tal postura é um chamado para a derrota.

Comparado ao restante dos clubes, o elenco tricolor é bom, tendo só como equivalentes o Alviverde de Parque Antártica e o Internacional. É a base tricampeã de 2008 somada a bons reforços (se considerados os atuais parâmetros técnicos/futebolísticos). O que falta, então? Simples. Falta aquilo que sobrava nos anos anteriores: consciência das limitações e garra para buscar objetivos. Espero que reste algo para alcançar a Libertadores, porque com tanta ausência de senso de oportunidade num campeonato tão embolado, ainda que o líder perca outros jogos, o título já era.


Moriti Neto é torcedor do São Paulo e escreve sobre o Tricolor Paulista no Futepoca. Qualquer são-paulinismo exacerbado não é de responsabilidade de quem publica, hehe...

5 comentários:

Thiago Domenici disse...

O título,é preciso querer muito e o São Paulo não quer muito. Refiro-me aos jogadores e diretoria; a torcida, óbvio, quer, mas não se incomoda se não vier. Afinal, são três em sequencia. O time está se empenhando no bom estilo "meia boca", se der deu. E o técnico Ricardo Gomes precisa do título, sabe que tem chance, porque é uma oportunidade (única?) para ele crescer e ter espaço na carreira. A libertadores do ano que vem é o limite, eu acho. Se perder, cairá sem dúvida. Isso se não cair já no paulista, numa precisão catastrófica. Digo isso porque me preocupa em 2010, ano da Copa, o desmanche que pode ocorrer, já que a mesma diretoria que não quer o título tanto assim quer muito grana pra investir no Morumbi visando Brasil 2014. Parece tão longe, mas não é. Fica a pergunta: será o começo do declínio do tricolor? Espero estar erradíssimo.

Glauco disse...

Acho bastante curiosa a tese do "não quer ganhar o título". Parece que o são Paulo é um timaço, cheio de craques e que basta simplesmente "querer" pra ser campeão. A verdade é que o time é quivalente ou pior que outros que estão próximos e neste ano não mostrou a que veio. Mesmo quando teve muita pegada, como nas semis do Paulista, perdeu, e em outras ocasiões também. Mais humildade, tricolores...

Moriti disse...

opa, Glauco. mas foi exatamente o que eu disse: ao São Paulo de hoje falta consciência das limitações e foco. equipes anteriores eram até mais limitadas, mas tinham maior aplicação e menos problemas internos - coisa que não é nada anti-natural se considerarmos o tempo de convivência da maioria do elenco. agora, fora Palmeiras e Inter, não vejo elencos "melhores" que o do São Paulo.

Thiago Domenici disse...

Acho que o Glauco tem razão, humildade anda faltando pra todo lado e me incluo nessa lista de tricolores, sem dúvida. Agora, a tese do "não quer ganhar o título" é compreensível, não é preciso levar ao extremo da expressão, talvez o "não mostrou a que veio" seja mais adequado. E o elenco é bom, mas não considero melhor (principalmente no conjunto e na "pegada")que o dos últimos dois anos.

Maurício disse...

Pois é, o time é ruinzinho mesmo. É normal se superar numa partida ou duas, depois jogar mediocremente.