Destaques

quinta-feira, novembro 05, 2009

O dia em que Renato Gaúcho usou o São Paulo

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Aliviado com o empate que o São Paulo segurou em Porto Alegre contra o Grêmio, jogando os minutos finais com três a menos (partida que o Moriti Neto vai comentar com mais propriedade), recupero aqui um episódio curioso daquele que talvez seja o maior ídolo do tricolor gaúcho. Em 1994, Fernando Casal de Rey assumiu a presidência do clube do Morumbi com a difícil tarefa de manter um mínimo de dois títulos expressivos por ano. Tinha sido assim em 1991, quando o São Paulo venceu o Brasileirão e o Paulista; em 1992, com a Libertadores, o Mundial e, de quebra, o Paulista; e em 1993, com o bi da América e do Mundo, mais o bônus da Supercopa. Mas a geração comandada pelo técnico Telê Santana demonstrou cansaço e, em 1994, início da gestão de Casal de Rey, perdeu o tri da Libertadores em casa e só faturou uma Conmebol com o Expressinho, sob a batuta de Muricy Ramalho.

Em 1995 e 1996, o time não ganhou nada de útil. Por isso, em 1997, Casal de Rey prometia uma contratação de peso, para acalmar a torcida. E a bola da vez foi o veterano Renato Gaúcho, então com 33 anos, que chegou a ser apresentado à imprensa em 14 de fevereiro (foto acima). Só que o presidente sãopaulino não sabia que tudo não passava de uma provocação do jogador ao seu ex-clube, o Fluminense, que lhe devia dinheiro. Deu certo: três dias depois, o tricolor carioca saldou a dívida de R$ 1,1 milhão com Renato, que voltou pras Laranjeiras. Fernando Casal de Rey ficou com cara de tacho e, naquele ano, ainda veria o São Paulo ser vice paulista e da Supercopa. Em 1998, quando terminou seu mandato, conseguiu ver o clube campeão paulista. Mas amargou mais um vice, do Rio-São Paulo. Sem dúvida, um presidente sem sorte. E que ficou marcado pelo "mico" do Renato Gaúcho.

7 comentários:

Olavo Soares disse...

Lembro com precisão do episódio, e fico emocionado de ver uma imagem dele.

Moriti disse...

Realmente esse foi um dos maiores micos - diria um King Kong -, da história do São Paulo.

Moriti disse...

Esqueci de comentar. Como era feia a camisa do São Paulo na época! A logo do patrocinador era de doer.

Glauco disse...

Lembro com precisão do episódio, e fico emocionado de ver uma imagem dele. (2)

Victor disse...

Lembro com precisão do episódio, e fico PUTO de ver uma imagem dele.

Na época Renato já se encontrava bichado há um ano. Seria um grande alívio para o Fluminense.

Para constranger mais ainda, Renato ficou se recuperando no Fluminense e quando poderia entrar em campo, recusou-se a jogar o clássico contra o Vasco para não atingir a cota de jogos no Brasileirão e se transferiu para o Flamengo no meio do campeonato!

Foi foda porque Renato era tido como ídolo e saiu como traíra (tanto que muita gente não engolia ele como treinador no clube por causa disso).
Pelo menos não jogou bem no rival.

Eu, de minha parte, fiquei meio bolado, mas ainda torci para ele ir bem no Flamengo.

Anselmo disse...

é interessante ver o envolvimento do torcedor com jogadores ultrapassarem a barreira clubística

eu, ao contrário da massa de comentaristas, nao me lembrava do episódio.

Marcão disse...

Como saopaulino, compartilhei o vexame. Mas sempre acho bom e pouco quando um cartola faz papel de si mesmo, digo, de idiota. Valeu, Renato!