Destaques

domingo, maio 11, 2014

Os piores frangos em Copa do Mundo

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

O post abaixo faz parte da parceria do Futepoca com a Rede Brasil Atual no Copa da Rede

Desde tempos imemoriais, nos estádios de futebol ou no mais surrado terrão, quando um goleiro falha clamorosamente a reação é uma só: "Que frango!"

Ao escapar das mãos do goleiro ou ao passar por baixo de suas pernas, a bola faz as vezes de galináceo que fugiu da granja para não servir de almoço. No galinheiro, a vítima normalmente mostra ginga e malemolência para se livrar do algoz. Nos gramados, faz rir e chorar.

Em tempos de avícolas industrializadas, a cena imaginada vai ficando até menos comum – para desespero dos trabalhadores e dos defensores de direitos dos animais. Mas, em épocas de Copa do Mundo, falhas acontecem. O Futepoca consolida o melhor de três listas de frangos históricos em mundiais de futebol. As imagens, espalhadas por diferentes canais do YouTube, são de dar pena.
As referências para os interessados nos domínios galináceos do ludopédio são Esporte Fino, Oba, Oba e o Planeta que Rola.

Robert Green - Inglaterra x Estados Unidos, 2010 

Uma falha terrível contra os Estados Unidos na Copa da África do Sul foi o primeiro frango (ou peru dado o seu tamanho) daquela edição. Também o maior.



Chaouchi - Argélia x Eslovênia, 2010 

Outro frango de 2010, desta vez do arqueiro argelino Chaouchi, contra a Eslovênia. Ele quase foi bem.



Zubizarreta - Espanha x Nigéria, 1998

Na Copa da França, o goleiro espanhol ajudou a ceder o empate, que culminaria em virada dos africanos. Nem todo cruzamento fácil é fácil para um goleiro (a partir de 1m5s).



Kopke - Alemanha x Iugoslávia, 1990

O goleiro alemão campeão do mundo em 1990 teve seu momento de frangueiro naquela edição contra a Iugoslávia (a partir de 51s).



Nery Pumpido - Argentina x Camarões, 1990

O país africano foi o azarão da Copa da Itália. Apesar do nome ser de um crustáceo, o time verde de Roger Milla fez fama de criar frangueiros. O primeiro foi logo na estreia: Pumpido, da Argentina, daria lugar a Goycochea (goleiro da seleção dos melhores do Mundial) – a partir de 45s.



René Higuita - Colômbia x Camarões, 1990

Nas oitavas da mesma Copa da Itália, há mérito do atacante Milla. Embora não seja um frango na acepção do termo, a lambança do colombiano René Higuita merece a menção na lista pelas qualidades cômicas.



Waldir Peres - Brasil x Rússia, 1982 

Exímio pegador de pênaltis, questionado por ter sido preferido por Telê Santana em uma época em que Leão era quase um apelo nacional, o então goleiro do São Paulo protagonizou uma cena patética na estreia contra a União Soviética.



Hellström - Suécia x Itália, 1970

Permitam-me citar Max Gehringer em "A grande história dos mundiais. 1962, 1966, 1970" (à pág. 80): "Aos 11', o goleiro Hellström engoliu o maior frango da Copa, num chute rasteiro e fraco de Domenghini de fora da área, pela meia esquerda. Helström saltou certo, junto à trave direita, mas a bola passou sob seu corpo" (a partir de 24s).



Lev Yashin - URSS 2 x 2 Inglaterra, 1958

O mítico Aranha Negra salta como uma aranha bêbada no cruzamento inglês. Ou um voo de galinha. A lenda soviética, do Dínamo de Moscou, podia até ser capaz de milagres. Mas também protagonizou seu momento de frangueiro (em 32s).



(Foto: Liz West/Flickr-CC-BY)

Confira outros posts sobre a Copa 2014 no Copa na Rede

1 comentários:

Anônimo disse...

O Valdir Peres deve ter agradecido muito o juiz que não viu dois pênaltis claríssimos pra URSS...