Destaques

quarta-feira, maio 20, 2009

Brasil levará goleiro de time carioca em 2010?

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Com as ótimas atuações de Fernando Henrique, do Fluminense (à esquerda), e de Bruno, do Flamengo (abaixo, à direita), os torcedores brasileiros começam a se perguntar: a seleção brasileira voltará a levar um goleiro de time carioca para a Copa do Mundo? A última vez que isso aconteceu foi em 1998, com Carlos Germano, que na época pertencia ao Vasco da Gama. O carioca Júlio César, convocado para a última Copa como terceiro goleiro e que deverá ser o titular em 2010, não conta - afinal, pertence à Internazionale de Milão. Outra vaga para a Copa da África do Sul deve ser de Doni, do Roma, que vem sendo convocado frequentemente. Resta, portanto, uma vaga. Os palpites são muitos: lá fora, Gomes, do inglês Tottenham, sempre é cotado. Por aqui, Filipe, do Corinthians, Lauro, do Internacional-RS, Fábio, do Cruzeiro, o veterano Marcos, do Palmeiras, e os já citados Fernando Henrique e Bruno, entre outros, estão entre os destaques. Se dependesse de uma antiga tradição, a vaga ficaria com o titular de um time carioca. Porque, até o Brasil vencer sua primeira Copa, em 1958, com o goleiro Gilmar (do Corinthians) como titular, a seleção SÓ levava goleiros cariocas. E pelo menos um deles foi levado até 1974, escrita retomada entre 1982 e 1998. Ou seja: o Brasil, único país que participou dos 18 mundiais, levou pelo menos um goleiro de time carioca em 15 delas (83,33% das vezes) E o curioso é que, em nosso último título, os três goleiros eram de times paulistas, como em 1978. Confira os convocados (dois até 1966):

2006 - ALEMANHA
Dida (Milan), Rogério Ceni (São Paulo), Júlio César (Inter-Itália)

2002 - CORÉIA E JAPÃO
Marcos (Palmeiras), Dida (Corinthians), Rogério Ceni (São Paulo)

1998 - FRANÇA
Taffarel (Atlético-MG), Carlos Germano (Vasco), Dida (Cruzeiro)

1994 - ESTADOS UNIDOS
Taffarel (Reggina-Itália), Zetti (São Paulo), Gilmar (Flamengo)

1990 - ITÁLIA
Taffarel (Internacional-RS), Acácio (Vasco), Zé Carlos (Flamengo)

1986 - MÉXICO
Carlos (Corinthians), Leão (Palmeiras), Paulo Victor (Fluminense)

1982 - ESPANHA
Waldir Peres (São Paulo), Paulo Sérgio (Botafogo-RJ), Carlos (Ponte Preta)

1978 - ARGENTINA
Leão (Palmeiras), Carlos (Ponte Preta), Waldir Peres (São Paulo)

1974 - ALEMANHA
Leão (Palmeiras), Waldir Peres (São Paulo), Renato (Flamengo)

1970 - MÉXICO
Félix (Fluminense), Ado (Corinthians), Leão (Palmeiras)

1966 - INGLATERRA
Gilmar (Santos), Manga (Botafogo)

1962 - CHILE
Gilmar (Santos), Castilho (Fluminense)

1958 - SUÉCIA
Gilmar (Corinthians), Castilho (Fluminense)

1954 - SUIÇA
Castilho (Fluminense), Veludo(Fluminense)

1950 - BRASIL
Barbosa (Vasco), Castilho (Fluminense)

1938 - FRANÇA
Batatais (Fluminense), Walter (Flamengo)

1934 - ITÁLIA
Pedrosa (Botafogo), Germano (Botafogo)

1930 - URUGUAI
Joel (América), Velloso (Fluminense)

11 comentários:

olavo disse...

Deveremos ter menos cariocas, porque teremos menos "brasileiros" como um todo.

Ah, faltou citar o Victor, do Grêmio, e o Fábio, do Cruzeiro entre os selecionáveis. E Lauro é maldade, hein?

Aposto em Júlio César e outros dois brasileiros.

Marcão disse...

O Victor, do Grêmio, eu concordo (por isso coloquei, no texto, "entre outros"). Mas o Fábio é muito irregular, acho que não tem chances. No comentário do Olavo, acima, ficou uma dúvida: Doni está definitivamente fora?

Glauco disse...

Também acho que o Fábio vem jogando muito bem. O Gomes andou em uma fase terrível (a Thalita que o diga) e acho que não tem chances. Alguém que poderia ser lembrado é o Helton, do Porto (amigos lusitanos que leem o Futepoca, o que acham dele?) que foi o goleiro titular da seleção olímpica desclassificada de forma vexatória por Camarões (com o "gênio" de treinador).

Anselmo disse...

o q é legal do levantamento é que, por superstição, não funciona definir os convocados. nem caso de 13 letras a soma do número de toques nos nomes dos goleiros.

principalmente nesse caso.

Olavo Soares disse...

O Doni tá fora por uma série de lesões e por uma má fase nos últimos jogos.

Sobre o Fábio, ele tá, já há algum tempo, um verdadeiro monstro. Talvez seja o melhor goleiro do Brasil hoje.

Nicolau disse...

Falando do meu time, o Felipe vem numa fase muito boa, mas não acho que seja goleiro de seleção. Sobre o Fábio, será que a discordância do Marcão com o Glauco e o Olavo é torcida para que o cruzeirense prove sua irregularidade na Libertadores? Achei interessante também a manha do Glauco em enfiar uma canelada no Luxa no meio de um post sobre goleiros, hehe.

Leandro disse...

Uma das maiores atuações de goleiro carioca que eu vi na vida foi no primeiro jogo das oitavas-de-final da Libertadores de 99 entre Palmeiras e Vasco da Gama no Parque.
O Carlos Germano pegou bola à queima-rouba, fez de tudo e pegou até pensamento naquela noite.
Mas no jogo de volta no RJ, Vasco favorito e etc, não lembro bem porque, jogou o reserva do Carlos Germano, um tal Márcio Carzola, que entregou a rapadura a torto e a direito e abriu o caminho para o campeonato do Palmeiras.

gerson disse...

Marcão, o Victor é bem melhor do que o Fernando Henrique. O Dunga deve convocá-lo. Ele joga muito.

André Augusto disse...

Apesar das recentes boas jornadas, sao inconstantes. Só se rolar uma "CBFada" explícita, o que pode acotnecer.

Fabricio disse...

Copa não é lugar de lançar caras novas, ainda mais no gol.

Dida, Júlio César e Marcos. Suficiente do que correr o risco de acontecer uma uruca geral e entrar um Fábio, Felipe, Bruno, etc... todos são ótimos, mas irregulares demais. Não basta analisar gols sofridos por falhas, mas sim lances que não resultam em gol. Pode assistir a qualquer jogo de Inter, Cruzeiro, corinthians, Flamengo... sempre tem uma lambança geral, principalmente no caso do Bruno.

ageu disse...

Fernando Henrique à esquerda? Só se for goleiro mesmo. Quá!Quá!Quá!