Destaques

quinta-feira, agosto 18, 2011

Corinthians: virada de campeão pra cima do Galo

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Às 22h25 desta quarta-feira, momento em que cheguei em casa após longa jornada de trabalho, o Corinthians perdia por 2 a 0 para o Atlético MG e colocava em grande risco a liderança do Brasileirão e o emprego do técnico Tite.

Segundo relatos, até ali o time pouco criava. O Atlético, ao contrário, chegou várias vezes com perigo, marcando dois gols de bola parada. Um em cabeçada após escanteio, outro em pênalti bizarríssimo (e questionável) cometido por Jorge Henrique, que meio que dança uma quadrilha com um atacante atleticano.

O Galo, fiel aos preceitos fatalistas de Cuca, recuou, marcou e rezou. O Timão teve a posse da bola, tocou, criou pouco e chutou de longe. Na saída para o intervalo, o cenário não era dos melhores. Fiquei eu pensando no que Adenor faria para tentar uma chacoalhada no time. “No máximo, troca o Jorge Henrique pelo Emerson”, pensei.

Acertei metade. Tite, o retranqueiro, o “empaTite”, botou o Sheik em campo, só que quem saiu não foi um meia, não foi um outro atacante, mas Alessandro, lateral-direito de características marcadamente defensivas. Ele jogou o mais ofensivo Welder para a direita, JH para a lateral esquerda e segurou mais o Ralph para servir de limpa-trilho na frente da zaga. E foi pra cima do Galo. E teve quem duvidasse do motim...

Pensei eu: “ou vai ou racha, Adenor”. Citando Otto Glória, se desse certo, Tite seria bestial. Se levasse dois gols e contra-ataque do Galo, uma besta – e provável beneficiário do seguro-desemprego.

Pois deu muito certo. O Timão mandou no jogo na segunda etapa, atropelou o Galo, virou e podia ter feito pelo menos mais um. Emerson, jogando em sua posição de origem acho que pela primeira vez no Corinthians, acabou com o jogo. Fez o primeiro gol e sofreu um pênalti, convertido por Alex. Antes dos 10 minutos já estava empatado e o Galo com 10 em campo. Tocando a bola, surgiu o gol da virada, com Liedson (passe de cabeça do árabe), e mais um pênalti nele, Emerson, dessa vez desperdiçado por Alex – numa bela defesa do goleiro atleticano.

Tá certo que o Atlético não vem bem das pernas, mas a virada foi marcante. Virada de quem tem elenco pra encontrar opções, vontade de brigar e, enfim, gente que sabe jogar bola. Virada de quem briga pra ser campeão.

Numeralha e meu incorrigível otimismo

Com a vitória fora de casa, o Corinthians alcançou 37 pontos, mesmo número que acumulou em todo o primeiro turno de 2010 – quando terminamos em terceiro lugar e brigamos pelo título até a última rodada. Vencendo as duas rodadas finais – Figueirense em casa, mais provável, e Palmeiras em Presidente Prudente, com mando alviverde, pedreira – bate o recorde de aproveitamento no primeiro turno desde 2003, quando foram instituídos os pontos corridos.

Não resolve nada para o título, estamos nem na metade do torneio, mas demonstra uma campanha bastante boa. E, repito, em algum momento os rivais mais próximos terão sua cota de contusões e outros desfalques. As possibilidades são boas, enfim. Especialmente se o Corinthians conseguir manter a pegada e o nível técnico do segundo tempo de ontem.

5 comentários:

Edu Maretti disse...

Pô, Nicolau, bater em cachorro morto agora é coisa de time campeão??? hahaha

Por falar nisso, por onde anda o companheiro atleticano do blog?

Leandro disse...

Que este Emerson que jogou ontem seja muito bem vindo ao Corinthians, e que tenha vindo para ficar. Finalmente o rapaz jogou bola no alvinegro do Parque, e eu já temia até a possibilidade do cabra ter sentido o peso da camisa.
E na minha opinião os dois gols atleticanos são questionáveis, pois o Dudu Cearense estava sim em posição de impedimento.
Mas a exemplo do que aconteceu recentemente com o ex-ministro Wagner Rossi, nunca rolou nem vai rolar agora a chamada presunção de inocência. Na dúvida (ou não) vão sempre apitar contra e o time que se vire p/ se manter na briga por alguma coisa.
Falando em briga, também concordo que ainda é cedo para se falar em título, mas também é alentador ver que o time tem superado obstáculos de um modo que não se esperava há apenas alguns meses.

Nicolau disse...

Edu, o tal do cachorro/galináceo deu duas mordidas no primeiro tempo que eu achei que tinham matado o jogo, rapaz. A virada é que foi bonita. Como disse o Leandro, ver o time superando situações assim é alentador. E Leandro, Emerson, pra mim, é titular.
Mas entrei aqui a essa hora pra celebrar publicamente os resultados desta quinta: Flamengo perdeu a invencibilidade em grande estilo, com um chocolate de 4 a 1 do Atlético GO; São Paulo ficou no OXO com o América MG; e Palmeiras empatou em 1 a 1 com o Bahia. Tudo pra mostrar que não é só o Corinthians, líder garantido mesmo se (bate na madeira) perder na próxima rodada, que vacila contra times na parte de baixo da tabela. Alvíssaras!

Maurício Ayer disse...

Aquilo que se apontou como indícios de motim na verdade foi uma mensagem muito clara dos jogadores de que acreditavam que podiam mais e que precisavam que o técnico compreendesse isso e tivesse um pouquinho mais de coragem. Se mantiver a cabeça no lugar, a tendência do Corinthians é melhorar, pois realmente já aconteceram várias contusões, donde se supõe que a maré deve oferecer tempos melhores, e o time tende a entrosar cada vez mais. Ronaldinho gaúcho é grande mas afina, então não duvido que possa perder o rumo no caminho.

LedDeep disse...

Graças a Deus o Mengão perdeu ontem e acabou esta história de invencibilidade e de liderança ainda na metade do campeonato. O Mengão só chega atropelando, deixa os cavalos paraguaios na frente por enquanto.