Destaques

terça-feira, julho 30, 2013

'Uma grande transformação social'

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

"Para mim, está havendo, sim, uma grande transformação social no Brasil. É meio invisível, pois a maior parte das pessoas não sabe. Mas essa transformação está acontecendo e é muito encorajadora. Muitos dizem que ela só será percebida dentro de dez ou 15 anos. Eu acho que não vai demorar tanto."
Paul Singer: 'Transformação encorajadora'
Foi assim que o economista Paul Singer encerrou uma pequena entrevista que fiz com ele no dia 27 de março de 2009,  durante o seminário “Alternativas à crise: por uma economia social e ecologicamente responsável”, na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo (clique aqui para ler a íntegra). Na época, discutia-se a probabilidade de a crise econômica mundial - que já assolava Estados Unidos, Europa e Ásia - chegar ao Brasil com o mesmo poder de devastação, o que não ocorreu. Singer vaticinava que o fato de o Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) ter sido lançado dois anos antes de a crise arrebentar e de 50% dos bancos brasileiros serem públicos eram os principais fatores de proteção ao nosso país. Também presente àquele evento na PUC, Plínio de Arruda Sampaio (PSol) previa para curto prazo a pior das catástrofes econômicas para o Brasil e enfatizava que aqui não estava ocorrendo transformação social. A afirmação de Paul Singer, reproduzida acima, foi uma resposta ao psolista.

Pois bem, passados quatro anos daquela entrevista, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulga que, no Brasil, o número de cidades com Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) muito baixo - a parte vermelha dos mapas abaixo - caiu de 2.328 para apenas 32, entre 2000 e 2010. Trata-se de uma redução de 98,6% (NOVENTA E OITO POR CENTO). O IDHM é um índice composto por três indicadores de desenvolvimento humano: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda). As faixas classificatórias são: "muito baixo" (0 a 0,499); "baixo" (0,500 a 0,599); "médio" (0,600 a 0,699); "alto" (0,700 a 0,799) e "muito alto" (0,800 a 1). Atualmente, segundo o Pnud, 74% das cidades brasileiros estão nas faixas de “médio” e “alto desenvolvimento” - as faixas verde e amarela nos mapas abaixo.

Número de cidades brasileira com baixo IDHM caiu de 2.328 para 32 em apenas dez anos

Diante de resultado tão extraordinário (e incontestável), é preciso fazer algumas observações. A primeira é que, sim, o período abarca três anos de governo Fernando Henrique Cardoso (2000, 2001 e 2002) e oito de governo Lula (2003 a 2010). Mas os principais resultados no combate contra a pobreza e a queda na desigualdade social aconteceram, indiscutivelmente, a partir de 2003, quando o governo federal implantou incisivos programas sociais. No governo Lula, segundo o  Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o número de pobres caiu de 30,4 milhões em 2003 para 17 milhões no ano de 2009 - ou seja: pobreza caiu quase que pela metade em cinco anos. E o programa Bolsa Família teria contribuído com 20% para essa performance, segundo Ricardo Paes de Barros, técnico do Ipea, em entrevista ao jornal Valor Econômico em dezembro de 2010 (leia a íntegra aqui). Vale observar que estamos tratando apenas de levantamentos e análises até 2010, sem contar os dois anos e meio do governo de Dilma Rousseff - o que nos permite estimar que, por menos que tenha sido, os índices devem ter melhorado ainda mais.

Aqui nesse post, faço questão de recuperar a declaração de Paul Singer (feita em um evento, repito, em que diziam que a crise econômica iria asssolar o país) e os dados divulgados agora pelo Pnud para deixar registrado como contraste ao discurso raivoso daqueles que insistem em dizer que "tudo vai mal no Brasil", "nunca estivemos em situação tão ruim" ou "o governo que está aí não mudou nada". Me desculpem, mas isso ou é muita cegueira ou é muita desinformação ou é muito mau caratismo. É óbvio que precisamos melhorar e mudar milhões de coisas neste país, sempre, pois a luta é contínua. Mas, para mim, assim como para o Paul Singer, existe, sim, uma grande (ou enorme) transformação social no Brasil. Contra tudo e contra todos.

2 comentários:

marcusvcn disse...

Excelente!

Nicolau disse...

Belo post, Marcão!
Frase do Marcelo Neri que resume bem o que vem acontecendo no país:
“Os indicadores sociais estão para o Brasil como o crescimento econômico está para a China nesse período”
O resto da entrevista está aqui:
http://www.conversaafiada.com.br/economia/2013/07/30/neri-e-o-idh-mudanca-foi-%e2%80%9cespetacular%e2%80%9d/