Destaques

sábado, novembro 17, 2007

A importância de "uns goles de saquê"

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Quarta-feira, tivemos uma espécie de "A volta do boêmio" lá no Bar do Vavá: depois de muito tempo, o consultor internacional Fernando Dourado (foto) reapareceu com suas "pirotecnias". Figura carimbada do boteco, esse conterrâneo do presidente Lula (também nasceu em Garanhuns) já percorreu quase 200 países em suas andanças. Fala seis idiomas, sempre com o inconfundível sotaque pernambucano. Entre os vários livros que escreveu, Fernando diz que o negociante brasileiro muitas vezes passa vergonha lá fora.

Um exemplo, segundo ele, ocorre no Japão: "O desavisado tende a pensar que quem está dando as cartas numa reunião com japoneses é o camarada que fala em nome da delegação. Só que lá o elemento-chave fica calado o tempo todo", comenta Fernando Dourado. "Também no Japão vi muito brasileiro recusar um jantar, contentando-se com as reuniões do dia. Um erro grave. De dia, tudo que se diz é tatemae, uma espécie de encheção de lingüiça", acrescenta.

Nesse tatemae, segundo Fernando, ocorrem coisas como o executivo japonês dar um presente caríssimo e pedir perdão pela modéstia de sua oferta ou o dono de uma trading multimilionária dizer ao interlocutor que tem uma empresa humilde e insgnificante em relação aos demais. Ou seja: tudo papo furado para preparar o terreno para o jantar, quando os japoneses vão direto ao assunto e fecham negócios.

"À noite, depois de uns goles de saquê, no jantar que muitos brasileiros recusam para ficar no hotel reclamando da falta de objetividade dos japoneses, é que se passa para a dimensão honne, da verdade. A agenda é refeita e fica mais real", completa Fernando Dourado. Ah, só mais um detalhe: no feriado de 15 de novembro ele viajou para Pequim. Ou seja, daqui a pouco ele será mais um que "veio da China"...

1 comentários:

Anselmo disse...

da próxima vez em uqe o futepoca mandar um executivo pro japão fechar negócios, a gente já sabe que tem que contratar o fé-rrrrrnandu dóóóórad`.

E o que eu gosto deste fórum é que a gente aprende.