Destaques

quinta-feira, julho 23, 2009

Enquanto isso, em Campos do Jordão...

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Acabei de coordenar a edição de um livro sobre o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, o mais importante evento de formação e difusão de música clássica da América Latina. Por conta disso, me convidaram a passar uns dias lá.

E para lá eu fui, na terça-feira. Estava então tomando uma sensacional Red Ale no bar da cervejaria Baden Baden (ao lado, na foto de Gonçalo Lopes). Na mesa ao lado, meia-dúzia de playboyzinhos com seus vastos óculos escuros comiam salsichões, quando uma loirona montada em botas de couro apareceu vendendo bilhetes da Mega Sena. "Só R$ 20", dizia, acho que por um bilhete com seis jogos, "está acumulada em R$ 45 milhões", e sorria. Os meninos estavam totalmente desinteressados. A moça insistiu e um deles resolveu explicar as suas razões, apontando um dos colegas: "É que ele já tem tanto dinheiro, mas tanto..."

Diante de um argumento desses, a moça apelou a um jargão mais adequado: "Comprem, vai, pra me ajudar". Sem dúvida, manter a escova progressiva e as luzes no cabelo não deve ser fácil, era justa a esmola. Mas antes que seus amigos se abalassem, o garoto finalizou com toda classe, sem chance de réplica: "Mas é só R$ 45 milhões... Meu pai é acusado de ter desviado mais que isso". Gente fina é outra coisa.

8 comentários:

Jay_Santos disse...

So nao entendi que que o coitado do salsichão tem a ver com a história :)

Nicolau disse...

Ah, a burguesia tupiniquim, quantas alegrias nos dá!

Glauco disse...

O cara foi pra Campos de Jordão, no Baden Baden, e não comeu jagerschnitzel...

Maurício disse...

O salsichão, ah, o salsichão...

Pois é, não comi o tal do jagerschnitzel... Na verdade, só parei pra tomar uma, não comi nada.

Anônimo disse...

A bela Chuíça e os futuros gatunos.Abr. Roberto.

Priscila Saccomano disse...

huahuahuahua, tomou um banhio de esgoto lá em Campos dos Burgueses?

Brunna disse...

Tbm se fosse comer, ia dar rebordosa na hora.
é a escrotidão da burguesia verda e amarela, em tons pastel.

Maurício disse...

E mais, fui na "loja da fábrica" da Baden Baden, imaginando que ali encontraria bons preços. Quando vi que era mais caro que os que eu encontro no Carrefour, em São Paulo, perguntei pro balconista se eles não vendiam mais barato em caixas. E tive que ouvir, não sem protestar (o que era inútil claro): "Como esse aí é o preço de fábrica, não dá pra dar nenhum desconto...".