Destaques

sexta-feira, julho 24, 2009

Noite dos goleiros no Mineirão

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook


Quando a fase é boa, a cada partida um jogador se destaca. Ontem, no Galo versus Flu, foi a vez do Aranha. O público de quase 56 mil pessoas viu um goleiro que não é tecnicamente perfeito, mas que estava numa noite inspirada e evitou pelo menos três gols do adversário.

Mérito também para Fernando Henrique, com defesas precisas em praticamente toda a partida, mesmo que muitas vezes com o pé, o que dificulta entender por que Parreira e seu substituto, o tal do Eutrópio, O Breve, insistiam no Ricardo Berna. Aquele que tomou três gols de fora da área do Goiás em pleno Maracanã.

Foi um grande jogo, com chances para os dois lados, mas resolvido em lances confusos no segundo tempo. No primeiro gol do Atlético a bola foi cruzada pelo lateral Thiago Feltri, bateu num zagueiro, bateu na cabeça do volante Serginho, bateu no chão, pegou efeito e entrou. Ressalva que é a segunda partida inteira do volante depois de ter ficado mais de um semestre parado por conta de operação no joelho. A primeira foi contra o São Paulo, em que fez um golaço.

No segundo gol contra o Flu, de novo cruzamento do Feltri, goleiro e zagueiro tentam cortar, não conseguem e a bola sobra para Tardelli, cuja maior dificuldade foi tirar o braço para que a bola não batesse.

No gol do Flu, Aranha soltou uma bola esquisita para o lado, ela foi cruzada e numa dividida entre o volante Renan e o atacante tricolor Kiesa acabou indo para o fundo das redes. O juiz Seneme, se quisesse, poderia ter assinalado gol contra, mas premiou de maneira correta o atacante.

E assim vai, partida a partida, uma liderança sofrida, conquistada em detalhes durante as partidas, agora que se ultrapassa 1/3 do campeonato. O Galo não está tendo nenhum jogo fácil, talvez até por suas debilidades, mas vem conquistando pontos importantes, muitas vezes pelo bom preparo físico.

Com a contratação do atacante colombiano Rentería, faltam ainda, pelo menos, um bom zagueiro e um armador que saiba bater faltas. Daí, se não perder ninguém, as chances de Libertadores passam a ser reais.

5 comentários:

Paulo Macari disse...

o aranha mandou bem memso. só com ele consegui mais de 22 pontos pro meu time no cartola (que merece um comentário a parte)...
ô joguinho maldito esse cartola. me faz torcer para atacantes, meias, zagueiros, goleiros que não jogam no corinthians.
quem sabe se as torcidas organizadas começassem a jogá-lo, a violência diminuiria. é uma ótima ferramenta para conhecer os jogadores de outros times e até torcer pelo sucesso deles.

Nicolau disse...

Eu comecei a mexer nesse tal de Cartola esses dias, mas ainda naõ entendi muito bem como a coisa funciona. Vamos ver como meu time se saí na próxima rodada.
Sobre o jogo, ouvi dizer que teve um gol impedido para cada lado, procede?

fredi disse...

Nicolau, sou um torcedor suspeito para falar.

Na hora do jogo não vi nada.

Na sexta mostraram que o jogador do Flu estava impedido na hora do chute que o Aranha deu rebote.

No caso do gol do Tardelli é coisa de poucos centímetros, impossível de o bandeira ver, na hora pareceu estar na mesma linha, tanto que nem os jogadores do Flu reclamaram.

Maurício disse...

coisa de poucos centímetros... quanta leniência...

Anselmo disse...

grande celso roth.