Destaques

quinta-feira, outubro 29, 2009

Parabéns ao juiz

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

O não sei quem goiano que apitou Fluminense e Atlético já tem emprego garantido. Virará comentarista da Globo, como todos aqueles que prejudicaram o Atlético na história, vide Arnaldo César Coelho e Wright.


Marcou um pênalti em que a bola bateu no peito do Jorge Luiz, num lance decisivo da partida. Está certo que ajudou a expulsar o próprio Jorge e reforçar o Galo para o próxima jogo.

Estranho também o comentário do Lédio Carmona no SporTV. É um comentarista que respeito, mas o argumento para justificar o pênalti é que o zagueiro estava de braços abertos. Acho que nem tocou na bola, mas a regra não fala em intenção? Que argumento é esse que estava com os braços abertos?

Creio que o juiz atrapalhou o Galo, mas não ajudou o time de seu Estado, que perdeu para o Palmeiras. E que o Flu está dando seus últimos suspiros antes do rebaixamento. Mesmo com a vitória continua na lanterna.

O Palmeiras fez sua parte e se ganhar o título foi por merecimento. O Galo se conquistar uma vaga na Libertadores já está bom. Isso se jogar mais bola e a arbitragem também deixar. Engraçado como determinados times sempre são recebem uma mãozinha, como o Cruzeiro contra o Santo André.

Ah, bendita mala de todas as cores, até branca.

10 comentários:

Leandro disse...

Impressionante como times como Atlético, Inter ou Goiás conseguem ir bem ao longo de todo um campeonato e tropeçar nas horas fundamentais e definitivas.
Não vi o lance da penalidade, e também não duvido nada que tenham mesmo facilitado as coisas para o lado do Flu.
Empatar com o esculhambado (dentro e fora de campo) Fluminense neste segundo turno foi uma das coisas que me deixou mais furioso. Pior que a mais acachapante das goleadas, atestado de desqualificação e termômetro de estragos pós-janela de transferências. Posso imaginar o nível de irritação e de frustração.
Mas também é curioso como, volta e meia, Atlético, Inter ou Goiás tropeçam também nas próprias pernas, empatando ou perdendo jogos em que seria obrigatório e perfeitamente possível atropelar, e depois ficam colocando a culpa exclusivamente no mitológico eixo-RJ/SP, nas fases da lua, na conjunção astral, na KGB e no imposto predial.
Desde que eu me conheço por gente a coisa é assim, e olha que desta vez até vejo com boa vontade a possibilidade dos cariocas, que ontem roubaram os pernambucanos, hoje terem roubado os mineiros.

Victor disse...

Depois de ler aqui, revi o lance e pareceu mesmo que foi no peito.
O que não isenta o Sr. Rebaixamento de 2008 pelo Vasco de ser um estabanado na marcação.
Jorge Luis foi uma aberração na partida.
Fredi, você deve me desculpar, mas esse post está um pouco chorado.

No caso do Lédio, apesar de não ser advogado dele, muito menos ter procuração para falar pelo mesmo, tenho a impressão que ele viu a bola bater na mão, e justificou dos braços abertos para dizer que bateu na mão porque Jorge Luis foi imprudente marcando, mesmo que não tivesse tido a intenção de meter a mão na bola.
O comentário é coerente, desde que se entenda que ele viu a bola bater no braço do Sr. Rebaixamento.

fredi disse...

Victor, não há dúvida de que este post é chorado.

E concordo com os que dizem que Jorge Luiz é um desastre, só o Roth não vê isso.

Agora não tem como defender o juiz e o Lédio.

A bola bateu no peito, mas mesmo que fosse na mão a regra, certa ou errada, é claríssima. O jogador tem de ter "intenção".

Argumentos de que está com braços abertos, corta a trajetória da bola etc., isso não tem o menor sentido perante a regra.

Matheus disse...

"BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!! Nem quando meu time depende só de si pra ser campeão eu não esqueço do Cruzeiro!!! BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!!"

Ah, Frédão, curto seus textos e tudo mais. Mas cara, esquece essa coisa de mãozinha pra cá, errinho pra lá e tudo mais. Meu time foi garfado em, pelo menos, 4 jogos nesse Brasileiro e eu não choro. O Galo tem essa síndrome e enquanto não passar, vai ser complicado ganhar algo.

Chororô nunca deu título pra ninguém. Nem pro Botafogo. Com o Galo não vai ser diferente.

Glauco disse...

E como foi o jogo?

Marcão disse...

Quando vi o titulo do post referindo-se a arbitragem, pensei que fosse de autoria do Fredi. Dai fui ver e comprovei que era, mesmo...

fredi disse...

Respondendo ao Glauco, a raiva era tanta na hora que esqueci "apenas desse detalhe". Ou vou ter de beber mais para esquecer.

A partida estava equilibrado até o gol de pênalti, depois disso o Fluminense foi superior o tempo todo e mereceu ganhar.

Marcou muito bem, não deixou o Galo jogar. Ao fazer o segundo gol numa bobeira incrível da defesa liquidou a fatura.

Quanto ao Marcão, ainda bem que o senhor ainda reconhece quando escrevo.

Chororô raivoso como este no Brasileirão será o primeiro e último.

Victor disse...

Vou além do Fredi.
acho que nem estava equilibrada.
O Fluminense como no jogo contra o Santos no returno, errava passes de dar raiva, e só jogando marcando eu achava que o Atlético alguma hora ganharia.
Mas depois do gol, o Fluminense parou de bizarrice e passou a se preocupar mais em marcar e não ficar errando passes.

Depois de 2x0, o Galo ainda deu uma pressão, mas a expulsão de Jorge Luis acabou com o jogo.

Escrevi basicamente a mesma coisa no Blá blá Gol (linkei por linkar, a ideia é a mesma daqui)

****
Matheus,
não mete essa hahahahahaha
Meu time foi garfado em, pelo menos, 4 jogos nesse Brasileiro e eu não choro>
Você chorou mais que o Fredi depois do jogo contra o Palmeiras.
hauhauehauehauehaue

ageu disse...

Quem prejudicou o Atlético em certa ocasião não foi o Wright - Foi Zico. E sua patota!

Douglas disse...

No jogo do primeiro turno, no Mineirão, um dos gols do Galo foi em completo impedimento. Ninguém falou nada.

http://picasaweb.google.com/lh/photo/8osBQqyQRVhbC6bDfjokmw?feat=directlink

Pau que bate em Chico também bate em Francisco.