Destaques

terça-feira, julho 02, 2013

Recopa tem clássico regional brasileiro pela 1ª vez

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Boca e a Recopa de 2005
Sai a Copa das Confederações, entra a Recopa Sul-Americana. Outra disputa que, assim como o torneio internacional de seleções encerrado no último domingo, os brasileiros não sabem muito bem como começou, quantas edições foram disputadas, quem foi finalista ou campeão. Na memória, o máximo que muitos alcançam é que o Santos, campeão da Libertadores em 2011, disputou e venceu a Recopa contra o Universidade de Chile no ano passado. No molde atual, vigente desde 2003, o troféu da Recopa Santander Sudamericana (seu nome oficial, por motivo de patrocínio) é disputado pelo vencedor da Libertadores e o da Copa Sul-Americana do ano anterior - em 2003 e 2004, em jogo único; a partir de 2005, em jogos de ida e volta.

1ª Recopa, do Nacional-URU
Porém, a disputa da Recopa Sul-Americana, competição organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), começou bem antes, em 1989. Na época, a competição, em jogo único, ocorria entre o campeão da Libertadores e o da antiga Supercopa dos Campeões da Libertadores - torneio existente entre 1988 a 1997 e que teve entre seus campeões o Cruzeiro e o São Paulo. Quando a Supercopa foi extinta, surgiu a Copa Mercosul (que existiu entre 1998 e 2001 e teve Palmeiras, Flamengo e Vasco entre seus quatro únicos campeões) e a Recopa deixou de ser disputada. Seu retorno só aconteceria com o fim da Copa Mercosul e surgimento da Copa Sul-Americana, em 2003 (que já teve como vencedores os brasileiros Internacional-RS e São Paulo, atual campeão).

LDU levanta o troféu de 2009
Portanto, tirando o intervalo entre 1999 e 2002, já ocorreram 21 edições da Recopa, sendo 20 decididas em campo e uma com campeão automático - o paraguaio Olimpia, em 1991, por ter vencido a Libertadores e a Supercopa em 1990. O maior vencedor é o argentino Boca Juniors (4 vezes: 1990, 2005, 2006 e 2008), seguido por Internacional-RS (2007 e 2011), São Paulo (1993 e 1994), LDU do Equador (2009 e 2010) e Olimpia do Paraguai (1991 e 2003). Os outros campeões têm só um título: Cruzeiro (1998), Independiente-ARG (1995), Vélez Sársfield-ARG (1997), Cienciano-PER (2004), Colo Colo-CHI (1992), Grêmio-BRA (1996), Nacional-URU (1989) e Santos-BRA (2012). O Brasil é o país com mais títulos (8, contando com o de 2013), seguido por Argentina (6), Equador e Paraguai (2 cada).

Neymar e a Recopa de 2012
Na edição deste ano, que começa a ser disputada amanhã, no Morumbi, a Recopa terá pela primeira vez um clássico regional brasileiro: Corinthians (campeão da Libertadores em 2012) contra São Paulo (campeão da Sul-Americana). O jogo de volta acontecerá no Pacaembu, dia 17 de julho. Se o Corinthians manteve para essa disputa Emerson Sheik, o autor dos dois gols que garantiram a conquista da Libertadores contra o Boca Juniors, no Pacaembu, o São Paulo conseguiu segurar apenas Osvaldo, autor de um dos dois gols da partida decisiva da Copa Sul-Americana contra o também argentino Tigre, no Morumbi - o outro gol foi marcado por Lucas, hoje jogador do Paris Saint Germain. Para o time do Parque São Jorge, recém-campeão paulista, da Libertadores e do Mundial de Clubes, uma eventual derrota não significará muita coisa. Já para o Tricolor, eliminado pelo mesmo Corinthians na semifinal do Paulistão, a perda de mais esse título poderá custar a cabeça do técnico Ney Franco - e mais uma "faxina" no elenco, como ocorreu na eliminação da Libertadores deste ano, após goleada do Atlético-MG.

A RECOPA SUL-AMERICANA A CADA EDIÇÃO

1989 - A primeira edição teve dois jogos: o Nacional do Uruguai, campeão da Libertadores de 1988, ganhou a primeira partida em casa, por 1 a 0, e levantou a primeira Recopa ao empatar sem gols a partida de volta, contra o argentino Racing, campeão da Supercopa do ano anterior.


1990 - Na segunda edição, a Recopa teve como vencedor o Boca Juniors, que era o campeão da Libertadores. A disputa ocorreu em jogo único, em Miami, nos Estados Unidos, contra o colombiano Atlético Nacional, que tinha vencido a Supercopa dos Campeões em 1989. Foi 1 x 0 para os argentinos.


1991 - Por ter vencido tanto a Copa Libertadores quanto a Supercopa de 1990, o Olimpia do Paraguai foi declarado automaticamente o campeão da Recopa do ano seguinte. Dois anos depois, o São Paulo passaria pela mesma situação, ao vencer as duas competições, mas houve disputa da Recopa.


1992 - Novamente em jogo único, o Colo Colo, do Chile, campeão da Libertadores de 1991, derrotou o brasileiro Cruzeiro, campeão da Supercopa, por 4 a 2 na disputa de pênaltis (no tempo normal, o jogo terminou 0 x 0). A disputa ocorreu na cidade de Kobe, no Japão.


1993 - Primeira disputa entre brasileiros: o São Paulo de Telê, campeão da Libertadores, e o Cruzeiro campeão da Supercopa, que agora contava com o garoto Ronaldo Nazário. Sabe-se lá por quê, teve jogo de ida e volta: dois 0 x 0 e São Paulo campeão nos pênaltis por 4 x 2.


1994 - Mais uma Recopa decidida entre brasileiros. O São Paulo podia ser campeão automático, pois tinha vencido a Libertadores e a Supercopa de 1993. Mas o Botafogo-RJ, campeão da Copa Conmebol, foi convidado para a disputa, novamente em Kobe, no Japão. Deu São Paulo: 3 x 1.


1995 - Dessa vez, houve o primeiro confronto entre argentinos - e a primeira vitória do campeão da Supercopa sobre o da Libertadores. Em jogo único em Tóquio, o Independiente derrotou por 1 x 0 o Vélez Sársfield (que no ano anterior tinha vencido o São Paulo na final da Libertadores).


1996 - O Grêmio de Felipão, campeão da Libertadores em 1995, foi o segundo brasileiro a levantar a Recopa Sul-Americana, em jogo único disputado em Kobe, no Japão. E foi com goleada: 4 a 1 sobre o o Independiente, campeão da Supercopa no ano anterior.


1997 - Segunda disputa entre argentinos e, curiosamente, segunda vitória do campeão da Supercopa. Novamente em Kobe, o Vélez Sársfield se vingou de 1995 e venceu na disputa de pênaltis o River Plate (4 x 2), depois de empatar por 1 a 1 no tempo normal.


1998 - Terceiro campeão brasileiro: em jogos de ida e volta, o Cruzeiro, campeão da Libertadores em 1997, venceu o River Plate em casa por 2 x 0 e novamente na Argentina, por 3 x 0. Foi a última disputa da Recopa antes da interrupção por causa da extinção da Supercopa.


2003 - Depois de quatro anos, a Recopa voltou com o paraguaio Olimpia, campeão da Libertadores em 2002 (contra o São Caetano, em pleno Pacaembu), vencendo por 2 x 0, em jogo único em Los Angeles (EUA), o argentino San Lorenzo, campeão da primeira Copa Sul-Americana.


2004 - Última edição em que a Recopa foi disputada em jogo único. Em Fort Lauderdale (EUA), o Cienciano, do Peru, foi o primeiro campeão da Copa Sul-Americana a derrotar o campeão da Libertadores, o Boca Juniors. Foi 1 x 1 no tempo normal e 4 x 2 nos pênaltis.


2005 - Início da hegemonia do Boca Juniors na Recopa. O time, que já havia vencido em 1990 (e venceria em 2006 e 2008), ganhou em 2005 do colombiano Once Caldas, campeão da Libertadores. No jogo de ida, 3 a 1 para o Boca em Buenos Aires. Na volta, derrota por 2 a 1 em Manizales.


2006 - Novo título do Boca Juniors e novamente contra o campeão da Libertadores, o São Paulo. No jogo de ida, 2 x 1, de virada para os argentinos, em La Bombonera. No Morumbi, 2 x 2. Após a premiação, Rogério Ceni causou polêmica ao atirar sua medalha para a torcida.


2007 - Mais um título brasileiro. O Internacional-RS, que derrotou o São Paulo na final da Libertadores de 2006, conquistou a Recopa sobre o mexicano Pachuca. No jogo de ida, os gaúchos foram derrotados por 2 a 1. Mas golearam por 4 a 0 e levantaram o troféu em Porto Alegre.


2008 - Quarto título do Boca Juniors, que tinha vencido a Libertadores de 2007 derrotando o Grêmio na decisão. Dessa vez, os argentinos levantaram a Recopa ao vencer o compatriota Arsenal de Sarandí por 3 x 1, na partida de ida, e empatar por 2 x 2 a volta, em La Bombonera.


2009 - A equipe equatoriana Liga Deportiva Universitaria, campeã da Libertadores de 2008 (contra o Fluminense, em pleno Maracanã), venceu a Recopa contra o Internacional, primeiro brasileiro campeão da Sul-Americana. A LDU venceu duas vezes: 1 x 0 no Brasil e 3 x 0 no Equador.


2010 - Bicampeonato da LDU, dessa vez jogando como campeã da Copa Sul-Americana de 2009. O adversário foi o campeão da Libertadores, o Estudiantes (que havia derrotado o Cruzeiro no Mineirão no ano anterior). A LDU venceu por 2 x 1 em casa e empatou a volta sem gols.


2011 - Outro título brasileiro. O Internacional, campeão da Libertadores de 2010, conquistou a Recopa contra o Independiente, campeão da Copa Sul-Americana. No jogo de ida, no país vizinho, 2 x 1 para os argentinos. Na volta, no Rio Grande do Sul, 3 x 1 e troféu para os brasileiros.


2012 - Sétimo título para o Brasil (e o oitavo já está garantido este ano, na disputa entre Corinthians e São Paulo). O Santos, campeão da Libertadores em 2011, enfrentou o Universidad de Chile, campeão da Copa Sul-Americana. Resultado: 0 x 0 na ida e 2 x 0 para o time de Neymar no Brasil.


3 comentários:

Anselmo disse...

é o maior e mais completo levantamento sobre a recopa de que tenho notícias.

sensacional.

e eu que não levava a competição a sério...

Maurício Ayer disse...

muito bom, mesmo, parabéns, camarada!

Rudson Castro disse...

Vai bandos de malucos