Destaques

quinta-feira, dezembro 21, 2006

Sobre um "aliado" do PSB

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Nas conversações sobre a coalizão política que sustentará o segundo mandato de Lula, o PSB sempre aparece como um forte aliado do Planalto. São destacadas figuras como Ciro Gomes, Eduardo Campos e outros que fortalecem a aliança desse partido, de médio-grande porte, com o governo federal.

Tratar o PSB como aliado é algo que sempre causou estranheza a mim e a outros humildes cidadãos de São Bernardo do Campo. Afinal, na minha terra, a legenda praticamente se consolidou como o centro máximo de oposição ao PT. Na última eleição municipal, o atual mandatário, William Dib, do PSB, foi reconduzido ao cargo com a maior votação proporcional do país nas cidades em que poderia haver segundo turno. Apoiado em uma coligação que reunia praticamente todos os partidos, isolando PT e parcos co-irmãos do outro lado. E um dos deputados federais do município é ninguém menos que o famigerado Edinho Montemor (foto), pessebista (existe isso?) já há um bom tempo e que, também há um bom tempo, é histórico opositor de tudo que seja relacionado ao PT.

Edinho disputou as eleições de 2006 fazendo dobradinha com Orlando Morando, do PSDB. Morando é nome fortíssimo para disputar a prefeitura de São Bernardo em 2008. No material de campanha da dupla, havia a menção dos nomes dos dois e sempre uma referência às candidaturas de José Serra e Geraldo Alckmin. Edinho até era citado no horário político do PSB como apoiador de Mário Luiz Guide (candidato ao governo) e Marcelo Lobo (senado), mas todo mundo sabe que seu desejo mesmo era ver uma vitória tucana nos cargos majoritários.

E uma simples visita ao site de Edinho mostra que ele pode ser tudo, menos aliado de Lula na Câmara dos Deputados. A chamada principal da página mostra um artigo de Edinho "indignado" com as ações do líder do MST, João Pedro Stédile. Diz o texto do deputado: "(Stédile) defende e incita TOTAL SUBVERSÃO DA ORDEM INSTITUCIONAL, NOS PLANOS POLÍTICO, ECONÔMICO E SOCIAL". (inclusive com essas letras maiúsculas que aí estão) Seguem-se no mesmo artigo outros ataques já conhecidos, acusações de que o Brasil caminha para ser um país "que faça inveja a Cuba, Venezuela, Bolívia e até mesmo Coréia do Norte" e por aí vai.

Em outro campo do site, há a reprodução de uma notícia do Diário do Grande ABC relativa ao deputado que diz: "Edinho torce pela eleição de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência".

Defendo a fidelidade partidária, mas cá entre nós, o que esse parlamentar (e outros, claro) está fazendo em uma legenda que, já há tempos, sinaliza o apoio a um governo ao qual Edinho rejeita? Será que ele ia morrer se deixar o PSB? Ou sua ligação ideológica com o partido é tão grande que supera essa diferença? Difícil de entender.

E pra concluir: esse não será meu primeiro post em que falarei integralmente só do "po", da sigla que dá nome ao site. Tem que ter "fute" também, claro. Edinho é presidente - ou melhor, dono - do São Bernardo Futebol Clube, time fundado em 2004 e que hoje disputa a Série A3 do Campeonato Paulista.

4 comentários:

Edu Maretti disse...

O PSB é um partido bem eclético. Muitos nobres políticos do valoroso PTB de Roberto Jefferson, insatisfeitos com esta honrosa companhia, devem migrar do PTB para o PSB, o que alías já ocorre e não é de hoje.

Glauco disse...

Correção, Olavo. a marca de Dib foi a terceira. Fuad Chucre(PSDB), em Carapicuíba, obteve a segunda melhor marca, com 82,06% e Tércio Garcia (PSB), em São Vicente, teve 82,69%. Ambas as cidades tê mais de 200 mil eleitores.
Mas, o mais emblamático é o caso que conheço de perto, da gloriosa São Vicente. Tércio é cria de Márcio França (PSB), o recordista em votos em cidades com segundo turno: em 2000, teve 93,1%. Elegeu-se depois de uma administração conturbada do Pt e, depois de ser líder desse governo na Câmara, passou para oposição, elegeu-se prefeito e, recentemente, tornou-se um dos dez federais mais votados de SP.
Cresceu na oposição ao PT e abarcou TODOS os outros partidos, com exceção do PCB (até o PCdoB junto) que lançou-se junto com o PT na oposição a Tércio nas últimas eleições. A novidade é que os petistas conseguiram eleger UM vereador. isso bastou para o PT receber três secretarias e integrar-se ao governo Tércio. Hoje, Marcio França fala be de Lula e todo mundo ficou feliz...

Vitor Costa disse...

Olá, sou do site Futebol Estranho que está linkado ali nos "Links Recomendados". Gostaria de dizer que fizemos uma transição para site, agora é www.futebolestranho.com, está sob reformulação, mas se vocês tiverem banners para serem incluídos nos "sites parceiros", nós do site agradecemos, ficaria mais fácil incluir vocês. Se não tiverem, tudo bem, nós incluímos assim mesmo, mas com o banner ficaria melhor. Me envie um e-mail: vitorfutebolestranho@gmail.com. Abraços!

Marcão disse...

Eu cobri política duas vezes em S.Bernardo, para o Diário do Grande ABC e para o (natimorto) Hoje. De forma bizarra (ou sintomática), S.Bernardo, o berço do PT, concentra o QG anti-petista da região.

O prefeito Willian Dib e seu assecla Salles costuraram pessoalmente as derrotas do PT em Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires nas eleições de 2004, e tramaram contra os petistas de todas as formas em Santo André, Diadema, São Caetano e Mauá.

Curioso é que muitos que estão na linha de frente da brigada anti-PT foram petistas militantes, como a eminência parda Maurício Soares. Mas ninguém se engane: trata-se do pior tipo de oposição que pode existir, a mais escrota.

Mesmo com o apoio público e oficial do PSB a Lula, nas últimas eleições, Dib organizou vários eventos pró-PSDB para Serra e Alckmin na cidade. Isso prova que o PSB é mais um partido onde cada um faz o que quer. Ou seja: programa ideológico não tem nenhum, só conveniências - pra um lado e pro outro...