Destaques

terça-feira, março 13, 2007

Doni na seleção: estamos prontos?

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

O digníssimo senhor Mário Mele, representante do goleiro Doni (foto), foi à imprensa ontem para dizer que seu representado só não é goleiro da seleção brasileira porque haveria um complô pró-arqueiros originados do Rio de Janeiro. Como "prova", Mele citou as freqüentes convocações de Hélton (Porto) e Júlio César (Internazionale), jogadores revelados respectivamente por Vasco e Flamengo. A matéria completa está aqui.

Falou bobagem, sem dúvida nenhuma. Em primeiro lugar porque empresário não tem que ficar exigindo convocação de jogador. Sim, isso ocorre, não sejamos ingênuos, mas não é por isso que a prática não está errada. E em segundo lugar Mele disse besteira porque as convocações de Helton e Júlio César são merecidas - ninguém é titular de Porto e Inter por acaso, ainda mais deixando ícones nacionais no banco, como Vítor Baía e Francesco Toldo.

Mas... por outro lado, precisamos pensar uma coisa: a expressão "Doni na seleção", se parecia piada (e de mal gosto) há poucos anos, agora já pode ser pensada como uma realidade.

Falei aí em cima que ninguém é titular de Porto e Inter por acaso. Adapto o exemplo para Doni e a Roma. Foi consenso - e eu me incluí nessa, claro - dizer que Doni chegou ao clube da "cidade eterna" por jogada de empresário e que não tinha condições técnicas para isso. Mas chegou. E depois começou a jogar bola. Hoje é um dos principais goleiros da Itália. A defesa que comanda, a da Roma, é a segunda menos vazada do campeonato italiano, perdendo somente para a da rival Lazio.

É difícil que nós aqui no Brasil esqueçamos as passagens fracas de Doni por Corinthians, Santos e Cruzeiro. Nesses três clubes o jogador virou motivo de piada. Mas hoje isso é passado.

E se a seleção de Dunga tem se caracterizado pelas convocações que valorizam o momento e deixam o nome em segundo plano, será que Doni não merecia uma chance? Lembramos que não há nada de muito importante a ser disputado em curto prazo.

7 comentários:

Glauco disse...

Passou da hora do Dunga chamar o Fábio Costa (opinião de um recém-convertido querendo causar polêmica e cizânia).

Marcão disse...

A seleção brasileira deixou de reunir o que há de melhor há mais de duas décadas. Portanto, pode botar qualquer um. Eu convocaria o Edson Bastos, do Guaratinguetá, ou mesmo o Alan, do Pirambu.

Anselmo disse...

marcão candidata-se ao posto de "o mais ranzinza", cargo almejado por muitos, mas conquistado por poucos.

mas se eu não levo a sério o Dunga como técnico, o que vou dizer do Doni na seleção? Olavo, pode até ser que o cara esteja pegando tudo (o que nao sei, pq nao vi jogos), mas é difícil de acreditar...

Edu Maretti disse...

Pois acredite, Anselmo, tenho visto "os melhores momentos" de alguns jogos da Roma ... o cara tem catado até pensamento...

Nicolau disse...

O Dida e o Rogério vão ter 36 ou 37 anos na próxima Copa e, apesar de muito bons, nunca chegaram ser unanimidade, como acho que o Marcos foi. Fora essas dois, quem sobra? Deixa o Doni tentar, vá. E ainda sou contra o Fábio Costa.

Fernando disse...

Queria ver o Fábio Costa na Copa e fazendo um pênalti escandaloso na final. Quem iria falar: goleiro tem que sair assim mesmo ??

Anônimo disse...

Moro na Italia hà quase um ano e assisto todos (todos mesmo!) os jogos da Roma... posso afirmar que sem o Doni a Roma nao estaria onde està agora (2º lugar do campeonato italiano). Os romanistas o amam! No jogo com o Manchester a Roma nao perdeu tao feio graças a ele...