Destaques

quinta-feira, janeiro 29, 2009

O hino mais célebre do Brasil é um plágio?

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Uma quase unanimidade entre os apaixonados por futebol do Brasil é o fato do América-RJ ter o hino mais bonito de todos os clubes do país. De fato, a melodia é muito bonita, a letra é inspirada, dá um ritmo vibrante.

Inclusive, o hino é um dos principais triunfos da história do América e é o motivo pelo clube ter seus resquícios de grandeza. Por exemplo, quando se fazem coletâneas dos principais hinos do Brasil, volta e meia não se incluem canções de times como Atlético-PR e Coritiba, pra ficar só nesses, mas o do América irremediavelmente está lá.

O fato do hino ser de autoria de Lamartine Babo, um mito do rádio e da cultura brasileira em geral, certamente colabora para que a canção seja ainda mais valorizada.

Porém, contudo, todavia, eu já tinha ouvido falar há alguns anos que o hino não tinha tanta "pureza" assim. Resumidamente, o que se dizia, informalmente, era que o hino nada mais era do que uma versão de uma canção norte-americana. Lamartine Babo efetivamente havia feito a letra, mas apenas teve o trabalho de colocá-la sobre uma melodia já existente.

Meu amigo Sérgio Oliveira, da FATV, fez um ótimo trabalho de pesquisa e descobriu a canção que deu origem ao hino. Trata-se de uma música chamada "Row Row Row", que fazia parte do musical Ziegfeld Folies, sucesso na Brodway no começo do século passado. Percebam a partir dos 33 segundos, não há o que discutir. Parabéns ao Sérgio.


E o hino do América:



Acompanhe com a letra:

HINO DO AMÉRICA-RJ
(Lamartine Babo)

Hei de torcer, torcer, torcer...
Hei de torcer até morrer, morrer, morrer...
Pois a torcida americana é toda assim
A começar por mim
A cor do pavilhão é a cor do nosso coração
Em nossos dias de emoção
Toda torcida cantará esta canção
Tra-la-la-la-la-la
Tra-la-la-la-la-la
Tra-la-la-la-la

Campeões de 13, 16 e 22
Tra-la-la
Temos muitas glórias
E surgirão outras depois
Tra-la-la
Campeões com a pelota nos pés
Fabricamos aos montes, aos dez
Nós ainda queremos muito mais
América unido vencerás!

18 comentários:

Marcão disse...

Incrível. Grande sacana, o Lamartine.

Eduardo disse...

Sem querer desmerecer o "furo", essa história já é conhecida e acho que não muda em nada o fato do hino do América ser considerado por muitos o mais bonito do Brasil. Embora eu considere o do Botafogo o mais bonito não só do Brasil, mas de todo(s) o(s) mundo(s).

Yuri disse...

Nunca tinha ouvido o do Mecão. Ouvi, e não vi NADA de interessante. Achei bem comum. Não sou especialista em hinos, mas na Espanha tem uns 10 mais bonitos que esse.
Experimenta ouvir os do Villareal(simpatia total), Levante, valencia(classudos até o osso), Gimnastic(voz feminina de classe), Athletic (imponência total), dentre outros.

Olavo Soares disse...

Eduardo, acho que o furo não tá no dizer que é um plágio, e sim no identificar a canção.

Carlos d'Andréa disse...

Que coisa... Assim sendo, o hino do meu Galo fica então como o mais bonito entre os originais no Brasil!

david disse...

Desculpa, mas essa história é mais velha do que andar de pé. O Lamartine Babo teria "se inspirado" em um filme de escoteiro. Isso já se fala no Rio, por baixo, há 50 anos. Notícia velha pra burro.

Maurício disse...

david, veja a resposta do olavo ao eduardo. "um filme de escoteiro" não é mais que um boato. identificar e mostrar a canção me parece algo que tem o seu mérito. você não acha?

Maurício disse...

agora, a dancinha do "row row row" é também precursora do tchaco, da dança da motinho e do créu.

Marcão disse...

Pois é, eu mesmo pensei que "row, row, row" devia significar algo do gênero "tô ficando atoladinha"...

Anselmo disse...

boa, Marcão! Boa Sérgio Oliveira!

Marcus disse...

Pronto, agora o hino do meu Bahia passa a ser o vencedor do Oscar de melhor trilha sonora original...

Ayrton disse...

De volta dos Estdos Unidos, Armando Nogueira comentou com Sargentelli, sobrinho de Lamartine: "Lá em Nova York eu ouvi uma música muito parecida com o hino do América". Um tanto sem jeito, Sargentelli confirnou a suspeita do amigo: "O hino do América é plágio".
Olavo, você tem razão: os hinos de Atlético Paranaense e Coritiba, campeões brasileiros, nunca entram em coletâneas. Parabéns pelo blog. Abraços!

Lucas disse...

Olha que coincidência: http://oglobo.globo.com/blogs/bolademeia/post.asp?t=hino-mais-bonito-do-futebol-brasileiro-um-plagio-de-musica-americana&cod_Post=158378&a=603

rafaelfortes disse...

Pois é, e no Globo o jornalista ainda teve a coragem de colocar essa resposta a um leitor que dizia que a notícia é velha ("velha" no sentido de que ele ouvira a história antes, mas sem mencionar o Futepoca e o FATV):

"Caro Marcus, não sei se você viu, mas o blog é de Memória do Futebol, além de causos e curiosidades. A proposta do blog é essa, não é de ficar postando coisas novas. Essa história do hino do América nunca foi abordada dessa maneira, diga-se de passagem, até porque, com a possibilidade de assistir ao vídeo, fica evidente o plágio. A história das brahmas pode ser mesmo do Vicente Matheus, mas quem me mandou gentilmente foi um leitor, que a conhece em outra versão. Agradeço a audiência."

Pelo que se depreende, o "nunca foi abordada dessa maneira" exclui o Futepoca e o FATV e o jornalista do Globo apenas coincidentemente fez a apuração do mesmo assunto poucos dias depois.

Coisas do trabalho na mídia gorda, monopolista, antiética e antipopular.

rafaelfortes disse...

Escrevi um pequeno texto a respeito:

http://rafaelfortes.wordpress.com/2009/02/03/exemplo-instrutivo-sobre-plagio-midia-gorda-e-midia-democratica/

João Carlos disse...

Abraços
Pessoal, por que tanta discussão?
O importante é que realmente tudo
indica que é plágio e nada mais
que isto.
Fazer o que se uma grande maioria
das coisas hoje em dia são resulta-
dos de plágio de ontem, direta ou
indiretamente? Até cantores consa-
grados já fizeram isto.
O que vale é que as duas músicas
são bonitas e se cada um falar
com a "paixão" pelos seus times,
não existirão hinos feios.
Desculpe-me o tempo e obrigado.
João Carlos

Anselmo disse...

ao me embrenhar em uma discussão de fim de ano, 11 meses depois do post, fui desafiado a encontrar as datas do musical e da composição do hino.

O Ziegfeld Folies foi montado na broadway de 1907 a 1931, mas foi às telas em 1946. Os hinos dos clubes cariocas foram compostos em 1949, três anos depois.

Row, row, row é de 1912 ou de 1917, dependendo da fonte.

Não muda nada. Só coloca datas nas coisas.

Anônimo disse...

Alienados que gostam de Futebol, Pra mim isso é musica, Hino de verdade so o Nacional