Destaques

quarta-feira, março 25, 2009

101 anos hoje. Acabou a maldição do centenário

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Hoje, 25 de março de 2009, acaba oficialmente a maldição do centenário do Galo. Aniversário que foi importante, apesar dos pesares, para o time encontrar um rumo.
Nem é preciso lembrar que no ano passado muita festa foi feita, mas o time só colecionou vexames, sem ganhar nenhum título, o que redundou na renúncia do presidente Ziza Valadares.

A partir daí, as coisas tomaram novo rumo. Foi eleito presidente Alexandre Kalil, que pode exagerar na emoção, falar um pouco de mais às vezes, mas demonstra paixão sem limite pelo clube e, espero, competência para administrar. 

As medidas adotadas até agora foram corretas, mandar embora um monte de jogadores desconhecidos ou em fim de carreira, cortar despesas, contratar Bebeto de Freitas como diretor administrativo, um técnico (Leão) controverso, mas competente, trazer poucos jogadores, mas de qualidade, valorizar as categorias de base etc.

Como no futebol, e na vida, os resultados do que se faz só aparecem depois, é esperar para ver o que será o ano do pós-centenário.

De qualquer forma, espero que a maldição tenha ido embora de vez. 

Para começar com  sorte o primeiro ano depois dos 100, fica a lembrança da primeira partida, descrita no site oficial (foto), e que foi disputada no dia 21 de março de 1909, quando o Galo venceu o Sport Club Futebol por 3 a 0, no campo do adversário. O primeiro gol foi marcado por Aníbal Machado, que se tornaria um importante escritor brasileiro.

3 comentários:

olavo disse...

Acho que só o Vasco (campeão da Libertadores em 1998) teve um bom centenário, não?

Tenho medo do que vai acontecer com o Santos em 2012...

Marcão disse...

O bom é que o centenário do São Paulo acontecerá em 2035 e eu estarei caduco ou comendo capim pela raiz...

Mas, Fredi, por que você não fez um post sobre o centenário do primeiro jogo do Galo, no último sábado? Também dá azar?

gerson disse...

nem me fala nessa maldição, tomara que ela passe longe do beira-rio.