Destaques

domingo, março 22, 2009

Vagner Mancini, o nome do jogo (visão santista)

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

O técnico Vágner Mancini teve méritos inquestionáveis na vitória contra o São Paulo. Mas ontem, foi ridículo, pra ser bastante sincero a respeito da forma como armou a equipe. Ao tirar Neymar aos 13 minutos do segundo tempo, ele simplesmente acabou com o jogo. Depois disso, o Santos teve posse de bola, mas não teve chances claras de marcar.

Por que substituir Neymar? As duas oportunidades mais agudas da equipe foram justamente do moleque. Lúcio Flávio deve ser uma pessoa ótima, educado, agradável, pois só isso justificaria a permanência dele no gramado. Se Madson tivesse entrado em seu lugar, e não do menino, o baixinho e o garoto poderiam ter tabelado e arranjado, no mínimo, uma expulsão no rival, apesar do árbitro ser Rodrigo Cintra. E foi jogando próximos que os dois atuaram bem nas últimas pelejas.

Mas Mancini quis ser mais realista que o rei. E se deu mal. Quando colocou Pará contra o Rio Branco, até tive esperança que o mesmo entraria no lugar de Luisinho, que foi uma triste e pálida figura na quarta-feira, e igualmente inócuo hoje. Se a vitória naquele clássico da Vila foi mais sua que de qualquer outro, caro comandante, neste domingo foi a derrota é quase toda sua.




*****

Neymar tomou três cotoveladas no jogo do meio de semana. Ontem, levou um soco e um puxão pela camisa no mesmo lance com o volante Cristian. Nem cartão amarelo o rival tomou. Na quarta, só um encontrão motivou a punição devida ao atleta adversário. Depois dizem que é necessário privilegiar o futebol bonito, que é preciso punir a violência, mas a imprensa esportiva não dá um piu sobre isso.

*****

O Santos emprestou o lateral-esquerdo Anderson Planta para a Portuguesa Santista. Alguém que o tenha visto jogar tem dúvida de que Triguinho, que falhou no primeiro gol e em tantos outros lances, está atuando pior do que ele?

*****

Mais cenas de violência no Pacaembu. A segurança da partida, quem deve assegurar, é o MANDANTE. Ponto. É por isso que a Vila Belmiro foi interditada muitas vezes, por conta de um chinelo em uma ocasião. Acontecerá alguma coisa com o Corinthians?


*****

Fábio Costa disse que o árbitro lhe deu um cartão amarelo porque o arqueiro fez um gesto contra ele. Quantos cartões por gestos e simulações mereceria Dentinho?

17 comentários:

Maurício disse...

Nossa senhora, é uma visão bem santista mesmo.

Mano Menezes não contou. O gol foi falha do zagueiro e não um belíssimo cruzamento do Douglas perfeitamente aproveitado pelo Dentinho. Neymar não sentiu o jogo. E as gesticulações deste serzinho intragável chamado Fábio Costa são como as do Dentinho.

No mais, condeno a violência, sobretudo contra este jovem craque Neymar.

Leandro disse...

Fabão também merecia ao menos um cartão amarelo em cada tempo por caçar obstinadamente os atacantes corinthianos.
E Fábio (C)Gosta duma Briga merecia o vermelho direto por ter acertado de propósito um soco na orelha de Jorge Henrique ao tirar uma bola da área.
De resto, foi um jogo com futebol bem sofrível, abaixo da grandeza do clássico, e os dois jogadores globais, Neymar e Ronaldo, tiveram atuações quase pífias.

Thalita disse...

o cartão amarelo contra o FC foi inexplicável. De resto, não sei. Acompanhar o jogo pela internet é teste de paciência. Até é possível pegar a transmissão da globo, mas trava demais...

Marcão disse...

Ouvi dez minutos do segundo tempo, pelo rádio, para saber quanto tava o jogo do S.Paulo. Nesse momento, a Jovem Pan entrevistou alguns torcedores do Santos, na arquibancada, e todos disseram, como o Glauco, que o Lúcio Flávio nem devia ter começado a partida (teve um deles que chamou o jogador de "Zinho piorado", pois não dava três toques seguidos na bola, só recebia e tocava - "e é muito fácil fazer isso, até eu", esbravejava o torcedor). Não sabia que, depois, o técnico tirou o Neymar e deixou o Lúcio Flávio em campo. Deve ter tomado uma senhora vaia da torcida. Esse rapaz pode até ter feito ótimas temporadas no Botafogo, mas, quando jogou pelo São Paulo, não disse ao que veio. Exatamente como agora...

Victor disse...

Glauco, ainda não vi jogo do Santos na "Era-Neymar".
Ele cai quando apanha?

wwfm disse...

Qdo W.Mancini chegou ao Santos, teve a coragem de dizer que jogaria com um só atacante, e isso significa que um só inutil ficaria a frente e que optaria por K. Pereira ou pelo inutil Roni, e vinha seguindo essa "tatica", porem conta o corinthians, optei em ter dois inuteis, porque a pressao desses dois deve ser bem maior que a de Madson, que vinha e foi depois da entrada dele( Madson), o melhor jogador do Peixe. Lamentavel senhor Mancini, agindo dessa maneira e jogando a responsabilidade sobre Neymar( alegando inexperiencia), significa que o senhor jamais chegará ser um Muricy ou W. Luxemburgo. Diz um ditado " Passarinho do "OLHO" pequeno nao pode comer pedra grande"e o W. Mancini nao pode comer pedra grande.

Glauco disse...

Mauricio, se as gesticulações são similares, porque só um tomou amarelo? Victor, o Neymar é objetivo como era (ou ainda é) o Robinho. Não tem corpo, mas evita o contato físico e não procura, como muitos atacantes hoje fazem, preferindo cair pra cavar a falta do que concluir o lance.

Leandro, que eu tenha visto o FC tirou a bola. Acho que só você viu esse soco, com todo o respeito.

Nicolau disse...

Acabei dando uma de Marcão e não vi nem ouvi o jogo. Para tentar corrigir minha falha, encomendei um texto de um colega que esteve no Pacaembu. Publico daqui a pouco. Deixo um comentário otimista: Dentinho voltou a marcar e Douglas voltou a dar bela assistência, dois bons reencontros no time.

Mohammad Severino disse...

Aposto que Marcelo Teixeira e seus jagunços incitaram as torcidas e fizeram aquele fuzuê todo justo para criar uma confusão enorme que provocasse perda de mando de jogo do Corinthians.

Renato Godoy disse...

Mancini me parece um bom técnico, mesmo. Talvez o melhor entre os mais jovens. Mas realmente ele errou muito. Não deu pra entender a formação do Santos do meio pra frente, mais confusa do que ousada. A ligação ficaria por conta do tal Lúcio Flávio, o passageiro da agonia. Logo, o Corinthians soube tirar proveito disso no primeiro tempo.

Como responsabilizar o mandante pela confusão? Ficou evidente de onde partiu o estopim da briga.

André Augusto disse...

Se o mandante merece ser punido, e o comprtamento do mandatário do Santos merece o que?

E o Mádson não é banco do Lúcio Flávio nem na China. Ou não deveria ser.

Fabricio disse...

Na minha opinião faltou o Santos jogar com a vontade que jogou contra o São Paulo. Aliás, achei o corinthians bem motivado pra esse jogo, o que a meu ver determinou a vitória.

De futebol mesmo, vi um Santos limitado como vem sendo em todo o campeonato e o corinthians da mesma forma. Jogando mal, sem nenhuma jogada, tabela, etc.

Pela vontade demonstrada, resultado justo.

Quanto a briga, podem falar o que quiser, mas colocar a torcida do Santos fora do tobogã foi um tremendo absurdo, e isso sim é culpa do mandante.

Glauco disse...

O Fabricio tocou no ponto, colocaram a torcida do Santos fora do tobogã pra vender mais ingressos. Estando ao lado da torcida do Corinthians (que também se envolveu em confusão com policiais, diga-se), não podia terminar bem. Se o Santos tivesse vencido, talvez a briga fosse muito maior.

Renato, já vi in loco na Vila Belmiro a torcida adversária "roubar" um cassetete de policial e atirar no gramado. O punido foi o Santos. Isso antes do Estatuto do Torcedor, que é explícito nesse sentido em seu Capítulo IV:

"a responsabilidade pela segurança do torcedor em evento esportivo é da entidade de prática desportiva detentora do mando de jogo e de seus dirigentes, que deverão:

I – solicitar ao Poder Público competente a presença de agentes públicos de segurança, devidamente identificados, responsáveis pela segurança dos torcedores dentro e fora dos estádios e demais locais de realização de eventos esportivos;"

André, quando escrevi o post ainda não estaca clara a atitude de Marcelo Teixeira no Pacaembu. Lamentável e merecedora de punição sim. Não dá pra um dirigente de futebol se protar como torcedor de organizada.

Anselmo disse...

acho legal ver a PM admitir que a redução do espaço pra torcida adversário aumentou a tensão nos estádios. esse era o único "argumento" apresentado na discussão para além da birra entre diretorias.

o comportamento do marcelo teixeira foi bizarro.

Marcão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcão disse...

Ontem, liguei o rádio por volta de 22h, pra saber sobre a rodada, e o Vanderlei Luxemburgo, logo após a vitória do Palmeiras contra o Bragantino, disse à rádio Jovem Pan que o problema da violência está localizado, historicamente, nas torcidas uniformizadas. O Flávio Prado quase teve um orgasmo.

Glauco disse...

O Luxemburgo diz isso porque foi agredido pela Mancha, mas sua relação com organizadas do Santos era bem próxima, ao que se sabe.