Destaques

segunda-feira, junho 01, 2009

Santos 3 x 1 Corinthians - nada de anormal na derrota (visão corintiana)

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Não há nada de anormal na derrota do time reserva do Corinthians por 3 a 1 frente ao Santos, na Vila Belmiro. O alvinegro da capital até engrossou o jogo no começo, mas falhas individuais foram bem aproveitadas pelo melhor elenco peixeiro, que levou os previsíveis três pontos para a sacola.

O Corinthians tentou pressionar no início, usando um esquema parecido com o do time titular, com Morais, Lulinha e Boquita no meio e Souza no ataque. Jucilei fazia a função de Elias e Moradei a de Christian. A marcação adiantada funcionou até o primeiro gol. Depois, o Peixe assumiu o manche da partida. O Timão ainda teve uma ou duas chances com Morais, o segundo corintiano em campo, depois do goleiro Júlio César, que evitou a devolução dos históricos 7 a 1.

Analisando os jogadores, Júlio César foi muito bem, mostrou que tem bola para ser titular se Felipe deixar o time, como se especula. Morais criou boas chances, jogando quase sozinho na criação, já que Boquita desapareceu. E Lulinha? Bom, esse além de não ajudar, atrapalhou: deu o “passe” para o contra-ataque que resultou no segundo gol do Santos e foi expulso por duas faltas seguidas em Leo no segundo tempo.

O garoto Renato não foi mal e pode se tornar um zagueiro um dia. Jean, por outro lado, não aprendeu muito em sua não curta carreira, e merecia ter sido expulso pela pernada bizarra em Madson.

Souza fez mais uma boa partida fazendo parede para os meias, segurando a bola, e foi prejudicado pelo isolamento a que foi submetido por Lulinha. Mas, para um centroavante, tem muito pouca presença de área – finalizou apenas uma vez em gol, segundo o Lance.

O destaque negativo fica para os dois laterais. Diogo e Saci não ajudaram no ataque, descendo muito pouco. Na defesa, o lateral direito foi envolvido por Leo e Madson, mas comprometeu menos que Saci, que falhou bisonhamente no primeiro gol do Santos. Depois disso, entrou inúmeras vezes dribles infrutíferos na defesa, armando belas jogadas para o adversário. Jornada para esquecer.

Assim sendo, o Corinthians precisa contratar reservas para as duas laterais, um zagueiro (lembrando que o reserva imediato de Chicão e William é Diego, que também foi poupado) e uns atacantes. Na frente, eu gostaria de um jogador mais goleador que Dentinho para disputar a vaga de titular.

Por fim, resta saber o que fazer com Lulinha. O cabra não é o pior jogador do universo, é rápido, dribla bem e tem só 19 anos, talvez ainda possa evoluir. Se estivesse na condição de Marcelinho, outro dos juniores, que vem ficando no banco, tudo bem. Mas seu salário, segundo matéria da Folha, beira os R$ 100 mil, um dos mais altos do elenco, fruto do bom desempenho do garoto na base e (muito) de notícias plantadas e pressão de seu empresário, Vagner Ribeiro. Não dá pra saber se Lulinha não aguenta a pressão ou se é limitado mesmo. Eu acho que ele não vai render mais nada no Corinthians, onde já conta com a antipatia da torcida. Por outro lado, quem é que topa pagar essa grana pelo futebol dele?

4 comentários:

Gui Losilla disse...

Cara, até onde sei o Diego tava suspenso, por isso não jogou!

Anselmo disse...

excelente a tabelinha de visão do clássico (2).

sobre o que fazer com Lulinha, acho que já fizeram. hoje, ele tem mais nome do que futebol simplesmente porque criaram uma imagem de que explodiria intensa e rapidamente. Com um pouco mais de paciência, poderia ser mais fácil para ele ser um bom jogador.

mas, por outro lado, acho que o fator histórico tbem pode ter contado. É que depois de vender um monte de promessas pra cobrir dívidas, o clube vê um jogador bem falado de suas categorias de base e resolve: esse não pode sair antes de estourar. Até podem ter errado no alvo (o atleta), no timing e na intensidade da pressão sobre ele.

Maurício disse...

Eu já tive esperanças no Lulinha, reconheço... Hoje, minha impressão é de que ele é um erro que se gestou no meio da crise de 2007, numa época que ninguém sabia muito bem o que fazer, o que ia sobrar do Corinthians, etc.
Agora tem que ter calma também, e espero que haja na diretoria do Corinthians algum estrategista genial pra definir o caminho perfeito para se livrar bem deste encosto...

Nicolau disse...

A questão é essa mesmo: o cara poderia até ser um bom jogador, na verdade ainda pode vir a ser, mas não souberam ajuda-lo a lidar com a pressão de valer milhões e ganhar mais que a maioria do elenco. Hoje, está tão queimado no Corinthians que não vejo futuro pra ele lá. Precisa sair pro seu bem e pro ds cofres do clube. Se emprestado, melhor: de repente, rende mais em outro lugar e ou volta renovado ou se valoriza para uma negociação definitiva.