Destaques

terça-feira, setembro 08, 2009

Pelo menos uma vitória

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Peço licença ao interino Moriti Neto para escrever um pouco sobre o jogo São Paulo e Cruzeiro. Esse foi o primeiro jogo do São Paulo no campeonato que assisti com atenção. Já havia também assistido a uma parte do confronto com o Palmeiras, na semana passada, o jogo que ninguém viu mas todo mundo odiou.
O que deu para notar nessas duas partidas é que, se de fato houve uma evolução do time depois que Ricardo Gomes assumiu o comando, esse avanço foi esquecido. No jogo contra o Palmeiras, Dagoberto ainda conseguiu três ótimas jogadas no primeiro tempo, e foi só. Contra o Cruzeiro, a criação foi nula. Uma profusão de passes errados, chutões sem sentido para a frente, faltas desnecessárias. Uma tristeza.

O time mineiro saiu na frente, com toda a justiça. Diego Renan aproveitou a saída errada de bola de Richarlysson - que, verdade seja dita, jogou bem - tabelou com Gilberto e mandou para as redes, aos 43 do primeiro tempo. Antes e depois disso, Rogério Ceni trabalhou bastante.
A vitória do São Paulo só aconteceu porque a zaga do Cruzeiro é uma mãe. O gol de Marlos foi uma baba. O meia foi conduzindo a bola desde o meio de campo numa boa, sem ser incomodado. Quando finalmente um zagueiro chegou perto, ele só cortou para a esquerda e bateu, sem muitas pretensões. Só que o goleiro Fábio engoliu um frango e a bola entrou.
O gol de Borges também foi presente. Dagoberto chegou antes do zagueiro em uma bola que tinha tudo para terminar nas placas de publicidade e cruzou, todo desequilibrado. Borges, que assim como Marlos acabara de entrar, ganhou a corrida dos zagueiros e marcou, aos 36 do segundo tempo. Rogério ainda teve que defender uma bola perigosa antes de comemorar a vitória.
Ganhar é bom, manter tabus contra adversários tradicionais também. A Raposa não vence o São Paulo pelo Brasileiro desde 2004. Num campeonato em que, dizem, o nível está dos piores, também é difícil cobrar muito. Mas que diabos? Depois de uma arrancada digna dos melhores momentos de 2008, o time esqueceu de novo como jogar? Se o motivo disso for a ausência de Hernanes, tanto pior. Significa que as opções do elenco não são das melhores.
Claro que, como foram dois reservas que decidiram o jogo, isso fica parecendo rabugice. Mas parece que o resultado veio muito mais pela sorte que pela qualidade. Vai bastar para o time se manter, pelo menos, entre os 4 primeiros?

André Dias é seleção

Não poderia deixar de comentar a nova convocação de Dunga para substituir os jogadores suspensos no duelo contra o Chile. Entre os nomes de Diego Souza, Diego Tardelli, Cleiton Xavier (que os palmeirense e atleticano do blogue comentem sobre seus jogadores) destaca-se nosso querido grosso, quer dizer, zagueiro, André Dias! Como? Como? Como? O que aconteceu enquanto eu não estava por aqui?

4 comentários:

Maurício disse...

Grande, Thalita!

Mas, olha, você escrevendo assim sobre o São Paulo é a situação extra-terrestre voyeur e fanático por futebol. Imagina, você está a anos-luz de distância, e com um ótimo sistema de captação de imagens da Terra, mas quando essas imagens chegam ao seu planeta já se passaram anos, o que lhe dá uma defasagem de algumas temporadas.

Então decide finalmente ir à Terra ver in loco os campeonatos que tanto aprecia. Quando aterrissa, o futebol já está totalmente decadente, e não é nada daquilo. Aí você desconfia dos seus equipamentos, desconfia de seus próprios olhos, ou, pior, desconfia que aqueles que você imaginava serem os piores, são os maiores ídolos na Terra...

Saulo disse...

Bela vitória do São Paulo que está na cola do Palmeiras.

fredi disse...

Thalita, bem-vinda, enfim a titular de volta, embora saiba que por pouco tempo.

Nada contra o reserva Moriti, que representou muito bem o lado tricolor deste blog.

Sobre o jogo, o Cruzeiro foi melhor a maior parte da partida, mas espero que continue assim, sempre perdendo no final.

Quanto à convocação, concordo plenamente que estamos mal se o grosso do André Dias é convocado.

Sobre o Tardelli, estava em ótima fase até a primeira convocação para um amistoso.

Voltou estranho, lento, sem confiança, em parte por conta da má fase que passou o time do Galo. Espero que melhore agora.

Quanto aos palmeirenses, achei justa a convocação, são os melhores meias que atuam no país.

Moriti disse...

Fique à vontade, Thalita, o espaço é seu.
Quanto ao jogo, foi mais ou menos o que você disse. Com o Ricardo Gomes, ou sei lá, com um ensaio de mudança de postura por parte de alguns jogadores, parecia que o time iria atuar de forma diferente. Em certas partidas, até chegou a fazê-lo, mas tudo indica que a "síndrome dos chutões" voltou e a tal "bola no chão" já era. Acho que o problema não era mesmo o Muricy.
Sobre as convocações, o André Dias não é lá grande coisa, mas quando vejo o André Santos como titular da lateral esquerda da seleção e o Tardelli como opção, é possível perdoar.