Destaques

sexta-feira, novembro 13, 2009

Teste Cego do Futepoca: Copa do Brasil

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

O Futepoca tem o prazer de apresentar mais um Teste Cego de Cervejas. Nesta terceira edição, foram selecionadas marcas artesanais ou premium originárias de diferentes partes do Brasil. Com representantes do Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, foram testadas 10 amostras de nove marcas.

3º Teste Cego do Futepoca: Copa do Brasil


1. De novo, no bar
O bar era nosso. Devido ao sucesso na gestão dos copos da edição passada, a cerimônia do teste novamente foi o Espetinho da Villa, bar que serve, como sugere o nome, espetos. Não sei se pela gritaria ou se por causa do jogo entre Palmeiras e Goiás, todos os outros clientes haviam partido.

Foto: Brunna Rosa
Teste Cego Futepoca - Copa do BrasilMais uma vez, foi o proprietário do recinto, Alexandre, quem se encarregou da separação das amostras e até por consertar uma lambança da produção do evento – cometida por este ébrio avaliador e explicada mais adiante. Diferentemente das versões anteriores, foi o primeiro teste em que o paladar não foi influenciado pela fumaça de cigarro desde a implantação da Lei anti-fumantes no estado de São Paulo. Como ninguém tem paladar tão apurado assim, vai saber se isso fez diferença.

2. Sete sóbrios sedentos pra 70 copos
Em uma opção mais modesta, foram apenas sete avaliadores, sendo que um deles só conseguiu acompanhar a metade dos acontecimentos. O Espetinho da Villa novamente providenciou um copo por dose para cada ébrio. Novamente nas contas do DataFutepoca, foram 70 copos, dos quais apenas um se quebrou. Nossos intrépidos heróis foram:
Brunna, Carol, Glauco, Maurício, Nicolau, a minha pessoa e um convidado: o jornalista Maurício Stycer, em meio a uma entrevista sobre seu livro História do Lance!, também caiu na rede do Futepoca (logo a entrevista será publicada na nossa seção especial). O Nicolau testou apenas seis das 10 amostras.

Foto: Carol
Teste Cego Futepoca - Copa do Brasil
Carol

não aparece
na foto. De
baixo em
sentido
horário, o
cabelo ruivo
da Brunna,
o Glauco,
Maurício, seu
xará Stycer
(o entrevistado),
e a minha pessoa.
Todos só na água
entre uma
amostra e outra.



3. Só garrafa, muitos fornecedores
Mais uma vez o teste se concentrou em brejas em garrafas de vidro, mas as embalagens tinham volumes diferentes. Parte foi comprada em supermercados, parte na Tortula, único lugar em que encontrei algumas das concorrentes. Uma delas, a Bierland, de Blumenau-SC, veio pelo correio, numa gentil cortesia do fabricante.

4. Nove pielsen, sendo uma orgânica, e uma lager
O critério de seleção esteve muito relacionado ao que foi encontrado. Uma pesquisa prévia na internet e o conhecimento acumulado por um aprendiz de apreciador de cerveja amador (quanta modéstia).
São listadas abaixo as participantes na ordem em que foram oferecidas com o volume do vasilhame, validade e teor alcoolico.

Aqui cabe uma nota. Comprei duas Eisenbahn diferentes e só depois descobri isso alertado pelo Alexandre. A pielsen normal e a versão orgânica, chamada de natural, participaram por acidente, quer dizer, não tinha percebido isso, achei – eita! – que tinha mudado o rótulo. Pior, a Natural tinha data de validade vencida fazia 27 dias. Desculpas aos avaliadores e à fabricante.


Cervejas:
1. EisenbahnPielsen – Blumenau-SC
2. Colorado- Cauim – Ribeirão Preto-SP
3. Devassa – Rio de Janeiro-RJ
4. Bierland – Blumenau-SC
5. PetraAurum - Petropolis-RJ
6. Backer – Belo Horizonte-MG
7. BadenBaden – campos do Jordão-SP
8. Cerpa – Belém-PA
9. DadoBier – Porto Alegre-RS
10. EisenbahnNatural (orgânica) – Blumenau-SC
Vol.
355ml
600ml
355ml
600ml
500ml
355ml
600ml
355ml
1L
355ml
Validade
17/12/2009
28/11/2009
19/01/2010
01/03/2010
19/02/2010
03/12/2009
08/02/2010
28/10/2009
05/02/2010
02/10/2009*
Teor alc.
4,8%
4%
4,8%
4,5%
5%
4,8%
5%
5,3%
5%
4,8%




5. Copo meio cheio. Ou muito cheio
A dose a que foram submetidos os progressivamente embriagados avaliadores foram maiores do que em qualquer edição. Como eram menos numerosos, os copos vinham com pelo menos metade de sua capacidade ocupada. No caso da Dado Bier, veio até a boca – e ainda sobrou na garrafa.

Foto: Brunna Rosa
Teste Cego Futepoca - Copa do BrasilComo os intervalos foram mais regulares, ficou provado que isso não interfere no palpite da turma.

6. Formulário, três notas. Ou duas, ou uma
A produção das fichas de registro das notas pela primeira vez mereceu o nome. O modelo está aqui para as futuras gerações. Os guardanapos foram abandonados, mas o espírito se manteve como mostra a foto.

Fotos: Brunna Rosa
Teste Cego Futepoca - Copa do Brasil Teste Cego Futepoca - Copa do Brasil Teste Cego Futepoca - Copa do Brasil






Convidados a analisar aparência e visual, aroma e sabor e uma nota geral, quase ninguém investiu em tudo isso. Então, novamente ficamos com uma nota só para a análise. Mas há registros preciosos como "notas de manteiga", "gosto de tutifruti" e "derrubei o copo" são algumas delas.

7. Cadê os resultados?
A dinâmica foi a mesma. Nada de venda nos olhos, os avaliadores eram surpreendidos com copos sem identificação que ofereciam as cervejas em ordem definida pelo Alexandre. Apenas um dos analistas conhecia o conjunto de marcas, este que escreve.

Resultado do Teste cego Copa do Brasil do Futepoca

Cervejas:
1. PetraAurum- Petropolis-RJ (5)
2. EisenbahnPielsen– Blumenau-SC (1)
3. EisenbahnNatural(orgânica) – Blumenau-SC (10)
4. Devassa– Rio de Janeiro-RJ (3)
5. Backer– Belo Horizonte-MG (6)
6. Colorado-Cauim –Ribeirão Preto-SP (2)
7. DadoBier– Porto Alegre-RS (9)
8. Bierland– Blumenau-SC (4)
9. Cerpa– Belém-PA (8)
10. BadenBaden– Campos do Jordão-SP (7)
Média
8,3
7,9
7,6
7,6
7,3
7,3
7,1
6,9
6,9
6,8




Cervejas:
1. PetraAurum- Petropolis-RJ
2. EisenbahnNatural(orgânica) – Blumenau-SC
3. EisenbahnPielsen– Blumenau-SC
4. Devassa– Rio de Janeiro-RJ
5. Backer– Belo Horizonte-MG
6. DadoBier– Porto AlegreRS
7.Colorado-Cauim – Ribeirão Preto-SP
8. BadenBaden– campos do Jordão-SP
9. Cerpa– Belém-PA
10. Bierland– Blumenau-SC
Carnavalesca
8,4
8,0
7,7
7,4
7,4
7,1
6,9
6,8
6,8
6,6



Média normal é aquela em que se somam as notas e divide-se pelo número de avaliadores, todos com o mesmo peso. A carnavalesca é a consagrada na disputa de escolas de samba, em que a nota mais alta e a mais baixa são excluídas. Esta última se torna ainda mais necessária com a ausência de notas de um dos jurados em algumas das amostras.

Teste Cego Futepoca - Copa do Brasil Teste Cego Futepoca - Copa do Brasil Teste Cego Futepoca - Copa do Brasil














a) A vencedora inconteste, Petra Aurum. As duas variedades pielsen da Eisenbahn surpreendem ao revesarem-se na segunda e terceira colocação, porque não foram bem – para uma artesanal – nas duas outras edições. A Cerpa, vencedora da primeira edição, amarga até uma última colocação quando adotado o procedimento carnavalesco.

b) A vencedora foi a quinta oferecida, bem no meio. Rompeu-se a mística da oitava. A segunda e a terceira colocadas foram servidas como começo e encerramento dos trabalhos.

c) Bierland, gentilmente oferecida pelo produtor, foi a mais prejudicada quando a média carnavalesca entra em ação. Isso quer dizer que houve mais divergência nessa nota.

d) O troféu paladar-ranzinza ficou com o Glauco, titular do posto de mais rigoroso nas outras edições, com média de 6,5 para as geladas. O mais generoso na avaliação foi o Maurício, com 8,1.

e) Como era menos gente, parece ter havido menos influência entre os degustadores.

f) A média geral ficou em 8,3 contra 8,4 da carnavalesca, bem superiores às outras edições, quando a coisa ficou na casa do 6. Melhor qualidade ou maior generosidade?

8 comentários:

Glauco disse...

Curioso que a Cerpa venceu a Libertadores mas no embate com as artesanais ficou pequeno. Curiosamente a Eisenbahn, que ficou em terceiro, agora ficou em segundo bem à frente da Cerpa. Os mistérios dos testes cegos...

É legal também a gnete organizar outras disputas envolvendo as outras variedades da Baden Baden, bem melhores que a Pilsen.

Nicolau disse...

Bravo, Anselmo! É importante destacar que todas as cervejas envolvidas nessa edição eram de fato bem mais interessantes que as cotidianas da Ambev e assemelhados. Foi difícil trocar pra Skol no resto da noite, hehe.

raquel eltermann disse...

gloriosa Brunna, a ruiva: diante do resultado do teste cego, você está intimada a um tour pelas cervejarias artesanais do Vale do Itajaí (Blumenau à frente). O convite aqui da amiga catarinense - "embevecida" com o resultado que inclui 3 generosas referências à gloriosa produção maltecevadetílica da terrinha - se estende aos demais "cientistas" que também aferiram a qualidade da cerveja blumenauense...
Parabéns a todos. Grande abraço, Raquel Eltermann.

Nicolau disse...

Valeu, Raquel! E parabéns pra você pelo belo uso da língua pátria: "produção maltecevadetílica" foi genial!

Marcão disse...

Fiquei curioso para provar a campea. Abracos e beijos.

Leandro disse...

Copa do Brasil lembra o atual campeão da de futebol, e aí eu pergunto aos futepinguços blogueiros corinthianos se não vão escrever nada a respeito das duas últimas presepadas do Ronaldo, que, logicamente, me deram nos nervos: dar entrevista ao idiota do Jô e vestir a camisa do selecionado da invasão chamada Israel.
O gordinho quebrou vários galhos esse ano, calou a boca de muitos dentro de campo (inclusive a minha), mas volta e meia pisa a bola.
Nicolau e Maurício, isso tem tudo a ver com futebol (por razões óbvias), e também com política e com cachaça, por razões não menos óbvias.
Manifestem-se, por favor!

Maurício disse...

Salve Leandro!

Olha, os dois temas merecem comentário, de fato, e o pito procede. Não tive o desprazer de assistir ao convescote dos gordos, pois há muito tempo que, nem por distração, não vejo o programa do Jô.

Quanto ao caso do encontro com Shimon Peres, acho que a pessoa mais indicada para comentar o fato é o Anselmo, pois entre nós é quem mais entende de Palestina/Israel, já que escreveu muito sobre o tema em revistas como a Fórum, e o Ronaldo estava ali como "embaixador da Boa Vontade" da ONU.

Assim, respondi mas não respondi à sua provocação... hehe
Ou melhor, terceirizei o pito ao Anselmo!

Abraço

Anselmo disse...

opa!
vamos falar d teste cego, gente!
fazer testes de ales ou as de trigo seria legal mesmo. vou pesquisar a oferta brazuca pra desenhar a coisa.