Destaques

domingo, maio 02, 2010

Galo, 40 vezes campeão. Viva Marques

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Os campeonatos estaduais podem valer pouco, ou até valer nada.


Mas as histórias dos jogos são importantes, mais que os títulos.

Quem poderia imaginar um roteiro em que um ídolo no seu último ano de carreira entraria em campo para fazer um gol aos mais de 40 minutos do segundo tempo, de tão emocionado tiraria a camisa, arrancaria o pau da bandeirinha e improvisaria uma bandeira do time que diz amar, com mais de 60 mil pessoas gritando seu nome.

O roteiro de filme de sessão da tarde aconteceu de verdade. A emoção e o choro de Marques e sua comemoração depois do gol ficarão entre as imagens selecionadas por minha retina para o resto da vida. Mais que o 40 título mineiro do Galo.

Título que não foi fácil como se imagina ao ver o resultado de duas vitórias nas finais. O Ipatinga teve chances de complicar, mas mais que um futebol vistoso, o Galo parece ter amadurecido nas mãos de Luxemburgo. Faz o que é necessário para vencer e está bem armado taticamente. Embora, no último domingo, o Ipatinga também tenha colaborado. Precisando ganhar, ficou atrás quase o jogo todo tentando aproveitar algum contra-ataque milagroso. Quase não teve chance de gol e acabou com um merecido vice pela covardia.

Que na quarta venha o Santos. Promessa de jogão entre dois campeões. Não vi a partida deste domingo contra o Santo André porque assistia ao Galo na mesma hora, mas pelos lances parece ter vivido uma partida épica contra um valente Santo André. Daquelas que também valem até mais que o título.

13 comentários:

Guilherme Scalzilli disse...

Cadê o show?

Eis que o supertime, aquele que golearia o “pequeno” nos dois jogos, perdeu a final e levou o título paulista no sufoco. O escrete maravilhoso, o “melhor do Brasil”, precisou de um gol anulado para triunfar com as benesses do regulamento. Na hora da verdade, o “futebol arte”, o “jeito novo de jogar” retrancou e fez firula. Os meninos geniais, tão craques e faceiros, desceram o sarrafo como se faz na várzea.
Sim, foi um alívio para a crônica paulistana, que já amargava uma decisão sem qualquer dos times da capital, e precisou estendê-la à margens do Atlântico para satisfazer egos e invejas bairristas. Mas valeu pelos enormes minutos de desespero que tomaram os narradores, comentaristas e repórteres, boquiabertos, confusos, à beira da desmoralização.
Na verdade foram, sim, desmoralizados. Depois de semanas professando o favoritismo absoluto do Santos, a imprensa paulistana exibiu um patético espetáculo de parcialidade, torcendo descaradamente para que seus prognósticos vingassem. A isso chamam jornalismo esportivo.
É raro e cada vez mais improvável, mas às vezes um time interiorano prega essas peças na arrogância metropolitana. E quando acontece tem um gosto muito especial.

Anônimo disse...

Podem já chorar atleticanos!! Nessa quarta, o GANSO vai engolir o galinho.

Olavo disse...

Ia responder o comentário do Guilherme, mas esse post é pra falar do Galo, então nos dediquemos à conquista mineira...

Parabéns, Atlético, parabéns, Marques. É legal ver jogador se identificando com torcida - ainda mais uma torcida alucinada como a atleticana.

Nicolau disse...

Bonita mesmo a imagem do Marques, que já ganhou título com o Corinthians, em 95, mas isso já faz tempo, rs. Parabéns ao Galo!

Marcão disse...

Tenho um amigo atleticano fanático lá na Irlanda, o Arthur, mineiro de Mariana. Hoje ele vai com a camisa do Galo lá no hotel em que também trabalhei. Tenho certeza de que ele já está defendendo Marques-Tardelli na seleção (rsrsrs).

Anselmo disse...

"Marques-Tardelli" na seleção? só depois de "neymar-ganso". e de mais um monte de duplas, incluindo "Marcão-Fredi", é claro.

o título do galo não tem meu entusiasmo por causa de quem está no banco de reservas. claro q isso nao altera os méritos do campeão mineiro.

aliás, é o melhor time dirigido pelo Luxemburgo em uns 6 anos? reformulando: o único time do luxemburgo que joga bem (vide no jogo contra o santos) em um bom tempo?

Esquemas táticos disse...

Com Luxemburgo, o time realmente melhorou. Ele está testando algumas variações táticas. Santos e Atlético é imperdível. Abraços, Marcelo Costa.

Olavo Soares disse...

Pô, Anselmo. Até naufragar, o Palmeiras de 2008 era um bom time, melhor que esse Galo atual.

Mas vamos ver até onde cada um deles vai. Espero que o Atlético-2010 pare nas quartas da Copa do Brasil...

Glauco disse...

Parabéns ao Atlético-MG, Luxa usufruindo o trabalho de Celso Roth.

Quanto ao Guilherme, alguns enganos. Primeiro, o Santos não é uma equipe da capital e nunca foi tratada como tal. Teve que se impor pelo futebol jogado durante sua história e pelos títulos, não teve facilidades de ficar em um lugar altamente povoado ou de graqnde poder econômico. E não tem a simpatia de toda a imprensa que, mesmo hoje, prefere focar o jogo entre Corinthians e Flamengo a Libertadores que você tanto espezinha.

Além disso, o Santo André sim é da metrópole, vizinho da capital. Se é time pequeno e o Santos não, é pelo motivo alegado acima e por outros, não porque haja uma "perseguição" ou coisa do gênero. Melhor calibrar seus argumentos para que não ofendam a geografia e o bom senso.

fredi disse...

Vamos lá, primeiro obrigado por todos os parabéns, o Galo merece.

Anselmo, o entusiasmo não é por quem está no banco de reservas, mas sim por um símbolo que está se despedindo, que fez história e ama um time. O gesto com a camisa virando bandeira e erguida para a torcida ficará como um dos belos momento que vi no futebol por essa vida.

Se é esse o melhor time dos últimos anos que o Luxemburgo dirige, sei lá... Sei que até agora o trabalho está sendo bem feito. Mas sabe como é a figura, nunca se pode elogiar...

Quanto à secada do Olavo, normal. Espero também que o Santos não tenha muita sorte na quarta.

Agora, sobre a hipótese de Luxemburgo estar colhendo o trabalho do Roth, dita pelo Glauco, é uma meia verdade.

Dos titulares que terminaram o Brasileirão no ano passado, restaram Coelho (está machucado, mas é titular) Werley,Correa, Ricardinho e Tardelli. Mais de meio time foi mudado: Aranha, Jairo Campos, Leandro, Zé Luiz, Fabiano, Muriqui.

O que se pode falar mais corretamente é de uma remontagem do Galo a partir da posse do Kalil. Parou de contratar barcas de jogadores meia boca e investiu em qualidade.

O trabalho do Luxemburgo está sendo bom até agora, com a ressalva feita antes, até porque o Kalil não deixa ele contratar quem quer.

Dentro de campo o time está taticamente organizado. Se isso vai render algo mais que o campeonato mineiro, sei lá. Só sei que está um pouco mais fácil torcer este ano (até agora).

Marcão disse...

"Marcão-Fredi"? Tem certeza, Anselmo? Essa dupla já se encontrou em um bate-canela num certo churrasco e um (eu) quase arranca a perna do outro. Melhor não...

Arthur disse...

Pois bem...
O Marcão profetizou que estaria no hotel com a camisa do Galo e defendendo Marques e Tardelli na seleçao, errou ao dizer que estaria no Hotel... acertou demais ao dizer q estaria com a camisa, como aliás ainda estou, e defendendo as cores do glorioso aqui no meio desses cachaceiros ...
adriano? nilmar? vcs só podem ser de brincadeira, né? Tardelli carai...
Nao poderia haver melhor desfecho pro mineiro...e Marques é chique demais. Depois de servir tanto tempo nas nossas trincheiras, vai direto pro céu...

Marília disse...

Assim que Marques marcou o seu gol, as lágrimas escorreram naturalmente de meus olhos. Sabemos o que representa para o Marques, o que representa para nós, a Massa. Parabéns Clube Atlético Mineiro pelo seu 40° título mineiro! És o maior de Minas!!!