Destaques

quarta-feira, setembro 28, 2011

O machismo nosso de cada dia ou Gisele Amélia Bündchen

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook


Hoje a comunidade virtual brasileira está fervilhando com o debate sobre a legalização do aborto. O assunto começou por conta da Campanha 28 de Setembro pela Despenalização e Legalização do Aborto na América Latina e no Caribe, que inspirou posts em muitos blogs, feministas ou não.


Sem muito o que acrescentar depois de textos tão completos (exemplos aqui e aqui), vou falar de outro assunto que afeta as mulheres. Pipocaram aqui e ali algumas discussões sobre o comercial estrelado por Gisele Bündchen, de uma marca de lingerie. Na peça, a modelo "ensina" como as mulheres devem comunicar más notícias para seus maridos/namorados. Falar que bateu o carro ou que estourou o limite do cartão de crédito (oi?) vestida não dá certo. A pedida é mostrar o corpão na hora de comunicar ao macho provedor que você, mulher, não se comportou como ele gostaria.

Sério mesmo?

O comercial tem tantos problemas conceituais que é até difícil falar de tudo. Mas vou tentar mesmo assim. Em primeiro lugar, é sabido que há anos existem mulheres trabalhando. Pode parecer incrível para alguns, mas mulheres saem de casa todo dia, vão ao trabalho, ralam bastante e ganham um salário (menor que o dos homens que cumprem as mesmas funções) para pagar as contas. A ideia de que mulheres devem explicar seus gastos para o homem da casa é muito, muito velha.

Vou me contradizer nesse momento e dizer que, apesar de a ideia da frase anterior ser velha, a prática de homens que acham que podem cobrar de suas esposas (ou até filhas) que lhes entregue o salário ainda existe. Sim, homens acham que devem controlar o orçamento doméstico para que a mulher não gaste demais. Não importa que as mulheres sejam mais responsáveis com dinheiro, como mostra a opção dos programas sociais de ter como titular do benefício a mulher e não o homem. Essa realidade faz com que a propaganda seja ainda mais ofensiva.

Outra questão é o uso do corpo como passaporte para se safar de situações difíceis (considerando o que já foi dito antes, que é um absurdo falar que bateu o carro ser uma situação difícil). Não quer criar problema? É só oferecer sexo e tudo bem. Mas veja bem, se você não for linda, alta, magra e loira não adianta, porque, afinal, quem é que quer uma mulher que não seja perfeita fisicamente? (e sim, indo um pouco além, sexo, para as mulheres, serve só para agradar os homens. Mulher tendo prazer? Isso é coisa do demo!)

E, num exercício de imaginação, vamos continuar a cena em que a notícia é dada quando a modelo está vestida. Se o filme sugere que o melhor é fazer isso pelada, é porque algo aconteceria se ela estivesse com roupas (ou fosse baixinha, gordinha e morena). O homem poderia ficar chateado, dar uma bronca e, quem sabe, até gritar com a pobre acidentada. Na vida real, isso acontece, o que já é bizarro, mas acontece mais, e pior. Acontecem agressões. E não me venham dizer que isso não é motivo para que agressões aconteçam, que isso só na minha cabeça de feminista que não tem mais o que fazer além de ter inveja da Gisele, já que sou feia, peluda, lésbica e mal comida (sim, são esses os argumentos de algumas pessoas). Qualquer motivo pode ser estopim de violência doméstica, basta ser desagradável ao macho provedor.

E quando você acha que não pode piorar, lê um texto, escrito por uma mulher, defendendo a propaganda com unhas e dentes.

Defender a propaganda, vá lá. Mas duas coisas me irritaram. A primeira foi o tom de desprezo pela opinião contrária. A segunda, a crítica à ação da Secretaria de Políticas para as Mulheres, que, depois de receber reclamações, resolveu pedir a suspensão da propaganda. Afinal, uma Secretaria paga com o "nosso dinheiro" deveria se meter em assuntos mais importantes.

Calma lá, cara pálida. Quem é você para decidir, sozinha, o que é importante para as mulheres? Então é assim: se você, que tem um blog no Estadão, acha que está tudo bem com a peça, então a Secretaria não deve se manifestar? Afinal, você trabalha no Estadão, tem voz, e por isso deve ser muito melhor que o resto das mulheres, certo? As mulheres que reclamaram para o órgão têm mais é que assistir a esse machismo caladas. Ah, faça-me o favor.

Dizer que é desperdício de dinheiro público também é uma piada. Quantos reais será que foram gastos com o pedido de suspensão e com a nota de repúdio? Uns R$ 10? Se o pessoal acha muito, eu reembolso a Secretaria, sem problemas.

Acho também muito curioso que uma pessoa que escreva sobre propaganda ignore a força de propagação de mensagens que esse tipo de mídia tem. Bom, na verdade é óbvio que a autora do texto acredita na força da publicidade, não fosse assim não escreveria sobre o tema nem seria paga para ter um blog sobre ele. Mas quando convém, a propaganda passa a ser apenas uma atividade inocente.

Eu tenho muito orgulho da atitude da Secretaria de ter passado por cima do óbvio e criticado a propaganda. O fato de não ser a primeira peça publicitária sexista não tira o mérito da ação. Espero que tenha êxito e faça com que nossos publicitários pensem um pouco mais na hora de fazer piadas com estereótipos.

Bom, é isso que eu gostaria que acontecesse, mas não tenho muita esperança, já que nossos criativos criadores sempre acham um jeito de burlar certas proibições. É só ver as propagandas de cerveja, que podem até não ter mais mulheres peladas, mas continuam machistas em sua maioria. Parece que, para algumas pessoas, é difícil entender que o que importa é a essência de uma regra, não as letras miúdas.

Os argumentos reaças vão ficando piores nos comentários depois do texto. É triste, mas sempre acho esse tipo de leitura um aprendizado. Porque costuma ser assim: quando você acha que não dá para piorar...

PS: Não vou colocar a propaganda aqui, me recuso. Todo mundo já viu mesmo...
PS2: desculpem pela banalização do PS, mas a gente fica criticando aqui sem dar nome aos bois, parece protesto contra corrupção que não fala de corruptor. A agência que criou as peças é a Giovanni+DraftFCB. Eles merecem ser expostos também.

70 comentários:

K disse...

Bravo, Thalita!

Glauco disse...

Melhor post do Futepoca no ano. Excelente!

Karin disse...

K não, Karin... o comentário foi sozinho, rs!
Mas é isso mesmo, Thalita! Adorei o que escreveu! Somos produtos, né? Somos na maioria das vezes meros objetos de decoração, e isso quando estamos dentro do "padrão".

Karin disse...

Um dos argumentos da dona Marili Ribeiro: "Gisele Bündchen aspira ser mais do que uma top model global. Quer ser atriz. Por isso, tem apreciado comerciais onde possa interpretar, ainda que na maioria deles conte com meros 30 segundos para expressar seu talento. A agência de propaganda Giovanni+DraftFCB sabe disso e, para atrair a garota-propaganda mais cobiçada do Brasil, tem se esmerado em oferecer alternativas para a bela aplicar essa ambição. Já fez isso na propaganda da operadora de tevê paga Sky e, agora, repetiu o padrão para a lingerie Hope. Mas enfrenta censura."

Então é isso, além da apelação machista ainda tem gente que defende o talento artístico da Gisele. A moça tem seus vários méritos, desde que sejam como modelo, né? Pelamor, talento como atriz? Aliás o comercial da Sky também é péssimo...

Karin disse...

Nossa, a coisa lá tá pegando fogo!!
Thalita, tô com você e não abro! Que gente ridícula...

Thalita disse...

Valeu Karin. Os argumentos lá no post mostram o que há de pior nesse mundo...

Relendo o post, me dei conta de que cometi uma injustiça.

Muitas mulheres realmente trabalham fora e ganham seu próprio dinheiro. Mas não é por esse motivo que devem ser respeitadas pelos homens, óbvio. Donas de casa também ralam o dia inteiro pra cuidar da casa e merecem tanto respeito quanto as que trabalham fora. My bad.

olavo disse...

Ó, sei lá.

Acho que um defeito que às vezes cometemos quando advogamos para as minorias é deixar de reconhecer que muitas coisas melhoraram - não, não foram solucionadas, mas evoluíram.

A situação das mulheres (e da população brasileira como um todo) melhorou muito de uns anos pra cá. Acho que isso é ponto pacífico, certo? Sim, existe machismo, sim, existe violência, mas esses problemas são menores do que já foram.

Com base nisso, acho que a mulher brasileira está adquirindo o direito de rir de si mesma. Sabe quando um homem acha graça nas propagandas que rebaixam o próprio homem (tem um monte por aí)? Então, talvez a mulher esteja chegando ao mesmo patamar. O que é bom, aliás.

Karin disse...

É verdade, Thalita... mas está perdoada, hehe!

E Olavo, sei não, acho que é sempre bom rir, mas vocês homens ainda estão com bastante vantagem... apesar das muitas melhorias, ser mulher ainda vai demorar muito prá ser algo realmente tranquilo. E isso, pensando que vivemos aqui no Brasil. E as mulheres do Afeganistão, ou do Irã e cercanias?

Thalita disse...

velho, a situação das mulheres que vivem em grandes cidades e têm um determinado nível de renda pode ter melhorado. Mas isso é muito limitado. O machismo ainda é um problema importante o bastante para não dar pra rir dele. Pode não aparecer para você, mas nos números de violência doméstica - que não caem - ele aparece.

Maurício Ayer disse...

Quando o cara que dá a vida por uma cerveja ou a gostosa que fica seminua para contar ao homem que bateu o carro riem de si mesmos, ambos reafirmam a mesma estrutura social, as mesmas posições, em que o homem pode ser o cachorrão que não pensa mas que segue por cima, cercado de gostosas e cerveja, que no fim é o que importa, e a mulher, com a mais fina artimanha, consegue manter o controle da situação, a situação de ser aquela que deve prestar contas ao marido e obter dele dinheiro e aprovação. Quem quer quebrar uma estrutura ideológica (pois a realidade material-econômica já é outra faz tempo) tem que não achar graça de algumas coisas, libertar-se, para começar a achar graça de outras coisas. O riso é uma forma de afirmação de poder, e por isso mesmo pode ser um veículo de libertação.

Tem uma charge do Laerte que está rodando a internet e que é finíssima neste sentido:

http://coletivodar.org/2011/09/laerte-e-o-politicamente-incorreto/

O papagaio é prisioneiro por ser incapaz de criar, só repete o que já lhe vem pronto, e, como uma criança que morre de rir quando fala "cocô", se diverte falando alto o que é proibido. Os passarinhos livres não têm essa necessidade.

A HOPE mostrou que realmente não está interessada em vender sutiãs a mulheres que queimam sutiãs, que prefere vender a imagem de que vencedora é aquela que usa de sua natureza para submeter a cultura (a velha oposição homem/mulher, cultura/natureza, inteligência/loucura, em que no mesmo polo da mulher está também a criança, o louco ou o empregado).

Leandro disse...

Isso me trouxe à memória outras propagandas cretinas bem recentes, como uma de automóvel que incentivava sair por aí acelerando feito alucinado nos grandes centros urbanos sob o pretexto de que, apesar do trânsito que não vai, como cantaria Djavan, "uma hora o sinal abre".
Ou outra, também de automóvel e igualmente cretina, em que os interlocutores discutiam onde pretendiam estar dentro de cinco anos. Cínica ode à coisificação das pessoas e às surradas oposições citadas pelo Maurício.
E o problema enfrentado por qualquer tentativa de controlar e regulamentar a atividade das mentes "privilegiadas" que bolam estas baboseiras é o famoso direito de espernear acusando mordaça, bolchevismo, autocracia…
Aos primeiros sinais este pessoal sai brandindo os fragmentos da Constituição que falam da ordem econômica, da propriedade privada, da liberdade de mercado, da livre iniciativa, da livre concorrência… E então, que tirem de perto deles este Estado que quer regular e controlar qualquer coisa. Estado mínimo, na conveniente interpretação que querem impor, tem que significar Estado completamente ausente, e que nenhum dinossauro comunistinha ouse colocar as patas nisso.

aiaiai disse...

Thalita,

Obrigada por esse excelente texto. Eu voto na Iriny desde 2002, a primeira eleição q passei aqui no Espírito Santo. Voto nela porque ela tem uma história de defesa da mulher e dos direitos humanos como um todo belíssima e irretocável.

Ontem havia lido esse texto no blog do estadão e hoje de manhã vi a capa do globo - http://tinyurl.com/3jrjj79 - fiquei indignada. Colocam a coisa como se a Iriny estivesse lutando contra a gisele, quando a questão é lutar pelo respeito à dignidade da mulher (e do homem).

Enviei o seu texto para ela porque acredito que temos que apoiá-la, mostrando que estamos do mesmo lado.

Nicolau disse...

Excelente, Thalita!

Moriti disse...

Excelente, Thalita! (2)

Thalita disse...

aiaiai
obrigada por divulgar meu texto :) Vi que vc tb comentou lá no texto do Estadão e deve ter sido atacada pelos leitores 'politicamente corretos' tb. É triste ver que a gente até avança nos costumes, mas não no campo simbólico...

Thalita disse...

pensamento atrasado: uma das coisas que mais no Futepoca é essa concentração de homens feministas. Não é em qualquer lugar que a gente consegue isso...

Nicolau disse...

Jornalista tem neurose de falar de jornalista, o que deve encher o saco de quem naõ sofre desse mal. Mas olha o texto da chamada de capa do Globo sobre o assunto:

A guerra das mulheres
Ministra quer tirar Gisele do ar

[Aqui entram duas fotos lado a lado: a Iriny, com seu jeitão de tiazinha, e a Gisele com produtos Hope]

A campanha de uma marca de lingerie em que Gisele Büdchen aparece de calcinha e sutiã para contar ao marido que bateu o carro foi classificada pela minsitra Iriny Lopes de "preconceituosa".


Cara, se eu tentasse ser menos informativo e mais enviesado que isso sobre o tema teria grandes dificuldades. Não explica o comercial, o título "Guerra das mulheres" dá a entender que é uma coisa pessoal da Iriny contra a Gisele. E ainda esconde o nome da marca. Impressionante.

Anunciação disse...

Pelo jeito vou ter que deixar de usar Hope(bom produto).Nem quando tinha marido dava satisfações do bem feito ou do mal feito,muito menos usando esse subterfugio ridículo.Sem contar que uso para meu conforto,sou feia,etc,etc.

Srta. Bia disse...

Thalita, super obrigada pelo texto. Não tenho nem o que acrescentar. É só para dizer que é bom demais ver um texto bom e um debate bacana na caixa de comentários como esse no Futepoca.

Anônimo disse...

Adorei. Adorei tb o fato do texto estar em um site de futebol. Sou jornalista, feminista e tenho ctza que machismo e futebol não precisam andar juntos.


Meu namorado é jogador de futebol e aprendeu a ser feminista comigo.

Esteriotipação só ajuda a propagar preconceitos.

Uma nova publicidade é possível, uma nova cultura tb.

Nós mulheres, precisamos avançar, progredir, e eu só conheço um jeito: Nos unindo!!!

Anônimo disse...

este comercial na verdade DISCRIMINA O HOMEM!!! porque propoe como normais e divertidas situaçoes como a mulher ROUBAR o dinheiro do homem, coisa que acontece muito… vamos acabar com essa prostituiçao de massa legalizada! homem brasileiro: chega de ser OTARIO! a mulher nao deve ser bancada pelo homem: esta è PROSTITUIçAO! a mulher tem que TRABALHAR! tambem nos garimpos, tambem desintupindo esgoto. a mulher nao è melhor que o homem!
estatisticas da violencia: 98% dos assassinos e das vitimas sao homens, porquè? porque o homem tem que roubar para ter o dinheiro para depois ser roubado legalmente pelas mulheres, se nao MORRE VIRGEM.
a causa do crime è a mulher.
homem brasileiro… ACORDA!!!
lucio.

Karin disse...

"concentração de homens feministas. Não é em qualquer lugar que a gente consegue isso..." - achei bonitinho isso, Thalita...
Não é em qualquer lugar mesmo, na verdade não vejo essa concentração em nenhum lugar...
Parabéns, meninos!

Anônimo disse...

meninas...
que tal trabalhar duro para depois mim pagar jantar na esperança que eu aceite entrar na vossa cama? mas sò se e quando EU quiser... e vc aceitem tambem minhas ligaçoes a cobrar, e mim levem passear de carro.
depois vamos casar, mas vc compra casa...
e na separaçao eu fico con vossa casa e filhos, e mim paguem pensao, CLARO!
meninas... o que vs achariam de uma sociedade estruturada assim?
lucio.

Anônimo disse...

porquè ninguem protestou daqules comerciais da bombril que tratavam os homens pior que insetos???
RESPONDAM, MENINAS!
lucio.

Maurício Ayer disse...

Caro anônimo Lucio, com o perdão da honestidade, com essa cegueira para o mundo real quem vai morrer virgem é você.

Anônimo disse...

querido mauricio,
è impossivel... tenho 47 anos, 2 filhos, teve cerca de 150 mulheres.
sou italiano e moro no brasil faz 20 anos.
quer negar que a mulher (concientemente ou nao) se deixa levar para cama pelo homem que se deixa explorar por ela?
quer negar que vs homens brasileiros consideram isso normal?
quer negar que os pobres sao levados para o crime para ter dinheiro para dar para as mulheres?
quer negar que aqueles comerciais da bombril sao CRIMINOSOS mas ninguem protestou?
quer negar que a mulher è a PRIMEIRA a ganhar com a venda do corpo dela e è a primeira a fazer dela mesma uma mercadoria?
eu acho que nesse pais nao entenderam direito o que quer dizer "feminismo"... e veja que quem fala è un cara de esquerda, crecido no feminismo e convencido que por natureza somos todos iguais.
è vc que precisa ampliar a propria visao... por exemplo o governo chines fez agora uma lei para parar com as mulheres que exploram os homens: em caso de separaçao a casa fica com quem a comprou (geralmente o homem).
minha vista è perfeita, nem uso oculos... ahahah!
lucio.

Thalita disse...

Ao anônimo depois do Lucio (a quem o Mauricio já respondeu tudo o que importa), eu queria responder sim. Eu até pensei em colocar isso no meu texto original, mas achei que não ia ter muito sentido. Mas eu posso garantir pra vc que considero o comercial da Bombril UMA BOSTA, depreciativo tanto para homens (que deveriam ser tratados como cachorros) quanto para mulheres (que para serem respeitadas deveriam ser tão filhas da puta quanto os mais babacas dos homens). E achava isso naquela época, sem precisar pensar no contraste entre o da Gisele e o da Bombril nem nada.
Mas, convenhamos, comercial machista é o que não falta. Vc já reparou q em comerciais de produto de limpeza, mesmo quando há um homem presente ele está só olhando, quem bota a mão na massa é a mulher? E aquele de uns paninhos novos da Veja (tinha que ter esse nome), que as mulheres gritam UHÚ e fazem OLA para comemorar que o chão ficou limpo?
Então, por mais q o da Bombril tenha me incomodado, ele é exceção, não regra.

Thalita disse...

Lucio
Jura mesmo que você quer nos abrir os olhos pra realidade de que existem mulheres machistas? UAU!!!! Incrível.
Vc parece acreditar também que feministas são todas iguais, pensam sempre as mesmas coisas... pois não, isso não é verdade.
Agora, se você me perguntar o que eu acho que algumas meninas que usam o machismo e o corpo a seu favor, eu digo que elas estão certas. É ruim para a causa, provavelmente, mas quem sou eu pra condenar uma pessoa que vê que o caminho mais fácil é usar o corpo pra se promover? Isso tb é um traço do machismo de nossa sociedade, não acha?

Anônimo disse...

meus queridos,
no mundo as coisas funcionam diferentemente... sò no mundo cristao-capitalista o homem è escravizado pela mulher.
eu detesto violencia. o caso do borracheiro: ela explorou tudo o que podia dele, ele comprou carro no nome dela, ele comprou salao para ela, ela mesma se propos como mercadoria! depois... adeus! claro che se eu sou obrigado a comprar uma mercadoria, nao gosto se esta mercadoria sumir... nao foi o suficiente, ela tirou tambem a casa dele!
UMA LEI ABSURDAMENTE INGIUSTA (sò a favor das prostitutas) ARMA A MAO DO HOMICIDA!
è inutil chorar e fazer conversas moralistas! tudo o que acontece sempre tem motivos racionais... queremos acabar com a violencia contra as mulheres? bom, VAMOS MUDAR A LEI, vamos procurar uma lei que respeite tambem os homens.
lucio.

Thalita disse...

ai, Lucio, sério mesmo?
Bom, só queria fazer mais um comentário sobre sua fala anterior. A esquerda está INFESTADA de machistas

Anônimo disse...

thalita,
eu nao consigo ver onde està o "machismo" em uma sociedade onde sao as mulheres que se aproveitam dos homens...
paridade de direitos, escolarizaçao, trabalho fora de casa... nada serviu: o fluxo financeiro continua na mesma direçao!
hoje as mulhere se consideram uma raça superior... o NAZI-FEMINISMO.
vc acha certo essas mulheres aproveitar do mitico machismo: eu nao tihna duvida...
REPITO: vamos acabar com este "machismo"? eu concordo! mim paguem jantares, mim levem de carro, paguem o motel, mim banquem, comprem uma casa para mim e depois separaçao e a casa fica comigo!
assim iriam perceber como è bom o feminismo!
lucio.

Karin disse...

Anônimo Lucio, que visão deturpada das coisas!

Se não protestamos aqui contra os comerciais que exploram os homens, uma minoria, na verdade, não é porque concordamos com isso. É aquela coisa, não é possível brigar por tudo ao mesmo tempo! E esse comercial com a Gisele não é o único, mas foi o comentado aqui nessa semana... é só isso!

Agora, você realmente precisa rever seus conceitos e estudar um pouco, um pouquinho, a história da humanidade. Talvez você descubra que talvez, note, talvez, a mulher sempre saiu perdendo. Você sempre aborda a questão financeira, mas e a violência, e a maledicência? O cachorrão e a puta, quem é pior? Quem está certo? Os dois ou nenhum, só que a mulher prá você é a que não presta, pelo visto... sem levar em consideração que as mulheres sempre foram exploradas, subjugadas, assassinadas, estupradas, por serem mais frágeis fisicamente... ou você vai dizer também que se a mulher é estuprada é por que quis e se insinuou?
Sim, porque só faltou isso aqui, né não?

Desculpa, não é porque somos mulheres, mas não tem comparação possível, mesmo! Uma mulher estupra um homem? Não é impossível mas é muito, muito difícil. Só com isso você já poderia ter alguma ideia de qual a magnitude do problema aqui, se tivesse a visão menos turva.

Anônimo disse...

karin,
eu deveria estudar um pouco?
tenho DUAS formaturas (antropologo e economista) e morei em 8 paises.
deixe pra là que è melhor!
estupros, violencia... tudo verdade.
eu queria sò espor uma OUTRA verdade que ninguem nota.
o cachorrao e a puta? quem perde dinheiro è ele... 100 reais por meia hora de "trabalho"... nem un senador ganha tanto assim.
e outra coisa: a mulher è o agente primario dessa horrivel sociedade consumista sem valores!
a coisa que mais detesto no mundo è ver uma mulher BABANDO na frente de uma loja de sapatos.
feticismo... doença mental.
lucio.

Thalita disse...

Não gosta de pagar jantares para mulheres? Não pague! A culpa agora eh minha que vc faz o que não quer?
No meu círculo só conheço mulheres que dividem as contas e que não dependem nadinha de homem nenhum, nem de ninguém.
Mas não se esqueça que as mulheres ganham menos que os homens para cumprir as mesmas funções. Se quer ser justo, leve essa informação em conta.

Karin disse...

Pois não adiantou muito morar em oito países e estudar... A impressão que tenho com o que diz é exatamente contrária, além de você precisar urgentemente fazer um cursinho intensivo de gramática e ortografia portuguesa. Você escreve com tantos erros que qualquer um aqui poderia até dizer que não é que você precisa rever seus conceitos, é que não tem meios culturais e linguísticos para se expressar...

Glauco disse...

Thalita, Mauricio e Karin: troll (veja aqui) não se alimenta... Até os erros de português estão ali pra que sejam comentados. Deixem pra lá.

Sobre uma campanha de marketing da Bombril, o Anselmo escreveu a respeito aqui.

Thalita disse...

hahaha! eu sei que deveria, Glauco. As vezes consigo, outras não..

Karin disse...

Idem, Glauco... mas você está certo!

Maurício Ayer disse...

já estava ciente, glauco. mas que é virgem, é.

Anônimo disse...

karin,
ahahah! SABIA que vc ia falar da minha ortografia portuguesa... è tipico de quem nao tem argumentos... muitos erros dependem do fato que o meu teclado è italiano e nao tem acentos. sabe, nos outros paises as pessoas nao precisam de acentos para saber como se pronuncia uma palavra...
porquè, vs escreve italiano perfeito?

eu escrevi a qui IDEIAS, sem atacar ninguem no particular... voces nao, começando por mauricinho.
saiam da torre de marfim da vossa nojenta "classe media", que nem conhecem direito o vosso proprio pais...
adeus e desculpem o incomodo...
lucio.

Joana Mattos disse...

Thalita,parabéns por todos os seus argumentos corretissimos.Sinto muito e que você tenha que lidar com comentários tão desagradáveis,sexistas e rasos....pena.Acho impertinente a pergunta do italiano sobre se escrevemos " italiano perfeito".Por acaso nos estamos na Italia ou e ele quem esta no nosso pais?E pior,o cara e muuuuuuitttooo baixo nível!Em tempo:meu teclado também não tem todos os acentos mas não e por isso que eu tenho que escrever grosserias sobre a mulher brasileira.Não precisamos deste tipo de gente por aqui.Acho que os machistas nativos já fazem um bom estrago na sociedade,não precisamos importar mais "....".

Anônimo disse...

joana,
depois da virgula o do ponto tem que deixar un espaço... nao te ensinaram na escola?
lucio.

mucury cultural disse...

Parabéns!
Muito bom o texto.
Estamos compartilhando.

Luiz disse...

Talita,

Não concordo com a tentativa de censura que a Ministra Iriny Lopes tenta impor a propaganda da “Hope”. Temos que aprender a conviver com as opiniões contrárias e das quais discordamos. Inclusive as idiotas. Neste aspecto acho que é muito perigoso para o processo político democrático essa intervenção da SPM numa propaganda veiculada em rede nacional.

Discutir assuntos assim é sempre complicado, especialmente se a opinião vem “de fora”. Eu sou homem, então me é relativamente tranquilo palpitar sobre isso. O que não tira meu direito de palpitar. Pois a relação de um determinado grupo social com o restante da sociedade não é monopólio desse grupo. Negros não têm o monopólio do debate sobre a discriminação racial contra os negros. Ou sobre as cotas. Assim como as mulheres não são as únicas donas do juízo sobre a desigualdade de gênero.

É legítimo que algumas mulheres não gostem do comercial de lingerie no qual Gisele Bundchen vende a sensualidade como arma da mulher na relação com o homem, quando ela busca determinado objetivo. Eu particularmente acho que as mulheres podem usar essa estratégia, caso queiram. Se vai funcionar ou não é outra história.

Se um homem dispõe a deixar o seu carro ou seu cartão de crédito nas mãos de uma mulher é problema dele. Se a mulher decide usar uma calcinha de renda na hora de contar para o marido que estourou o limite do cartão, problema dela. Em nenhum momento a propaganda incita a violência e a agressão física. Para ser sincero, a propaganda até dá uma ridicularizada com os homens que parecem ficar ipnotizados na frente de uma calcinha. Retrata um típico homem pastelão, bobo e incapaz de pensar. Tem homens que caem nesse truque? Possivelmente os mais idiotas caem, mas acho que o limite do cartão deles deve ser bem baixo. Por razões óbvias.

Cada um sabe onde o calo aperta, então não vou fazer juízo de valor. Mas um detalhe é insuportável: a intromissão indevida do governo, com a pressão aberta sobre a fabricante da lingerie. Não haveria nada de errado em as mulheres insatisfeitas com o conteúdo das peças publicitárias proporem, sei lá, boicotar a marca. Eu acho que é uma bobagem, mas elas estariam no pleno exercício da cidadania.

Diferente é ter um Ministério da Mulher que se reserva o poder de dizer o que pode e o que não pode ser dito sobre o “assunto mulher”. Pois amanhã poderá haver um governo que considere, por exemplo, o trabalho feminino fora de casa como fator de desintegração familiar. E de estímulo portanto à criminalidade. Governo no qual o Ministério da Mulher se dedicará a combater o feminismo (Acha que isso é improvável? Essa é a pauta do Ministério da Mulher do Governo da Angela Merkel na Alemanha). E a patrulhar quem estiver no caminho da missão. Usando inclusive o poder político e econômico do governo para impor sua vontade imperial.

É bizarro? Talvez. Mas extrapolar na argumentação é uma forma de reduzir ao absurdo. A técnica lógica pela qual determinada premissa leva inevitavelmente a conclusões erradas. No dia em que um governo conservador nomear uma ministra da Mulher que se dedique a combater o feminismo, jogando o poder do Estado na empreitada, a turma que hoje bate palmas para a pressão do governo contra o comercial da Gisele dirá que é um ato autoritário. E não deixará de ter alguma razão

Karin disse...

Luis, acho que às vezes existe uma linha bastante clara que separa a censura da regulamentação. Se saímos sem roupa na rua e somos presos, isso é censura? Se você insinua que uma pessoa não merece crédito por ser negra, é censura? Quer dizer que podemos insinuar qualquer coisa sem punição, já que a regulamentação é considerada censura e você acha que os incomodados deveriam apenas protestar?
A ministra atendeu a pedidos, ela não resolveu por conta própria pedir a suspensão do comercial.

Esse tema censura/regulamentação têm sido bastante discutido atualmente. Ter regras não é o mesmo que censurar. E precisamos de regras, para a imprensa, para a sociedade, para o indivíduo, e para a publicidade também. Se o comercial ofende, que seja uma minoria, você não acha que isso seria motivo ao menos para uma boa reflexão?

No caso desse comercial e de alguns outros, não é simplesmente questão da mulher que "vende a sensualidade como arma na relação com o homem", mas sim o antigo rótulo de que: somos todas burras (não temos argumento além do corpo), péssimas ao volante, consumistas ao invés de cidadãs, não trabalhamos, não ganhamos nosso próprio dinheiro e sim os homens ganham e trabalham, os mesmos que são donos do carro, do cartão de crédito, que mais? A questão da violência é apenas um dos tópicos dessa discussão, mas não é o único.

O que escreveu - "Se um homem dispõe a deixar o seu carro ou seu cartão de crédito nas mãos de uma mulher é problema dele. Se a mulher decide usar uma calcinha de renda na hora de contar para o marido que estourou o limite do cartão, problema dela" - pois é, você percebeu? Quer dizer, o homem é dono do carro, do cartão. A mulher só é mais um objeto desse homem, um objeto que fez bobagem. É isso?

Se você acha que não talvez entenda o motivo do que estamos discutindo. Aliás, como você mesmo disse, o homem é retratado como um bobo e incapaz de pensar. Então vocês homens também deveriam reclamar. Ambos estão sendo ridicularizados.

Anônimo disse...

karin,
eu reclamei... e vc todos mim atacaram!
sou virgem... sou machista... sou troll... sou baixo... sò porquè falo verdades que ninguem quer ouvir!
BOTE NA SUA CABEçA: quando a mulher usa corpo ou calcinha para ROUBAR o homem (e acontece em varias medidas em 98% dos relacionamentos no brasil) o OBJETO E' O HOMEM!!!
e nao adianta a mulher trabalhar fora de casa: o roubo continua mesmo assim.
vc acha che um comercial seria feito se quem faz nao soubesse que teria sucesso porquè descreve uma situaçao real?
aquele comercial teria sucesso, porquè a mulher se IDENTIFICA com a ladrona, a maioria das mulheres ou roubam ou desejam roubar.
lucio.

Thalita disse...

Luiz
Se vc chama de censura um pedido da Secretaria para o Conar (órgão de AUTO-regulamentação) para avaliar a pertinência da propaganda, pedido esse motivado por reclamações de cidadãs, vc tem dificuldades com o que a definição de censura.
O Conar já proibiu um monte de coisa em propaganda. Não pode mais de cigarro, nem pode mulher pelada pra vender bebida. É censura tb?

Maurício Ayer disse...

No Brasil, é muito difícil conduzir discussão sobre ética, ainda mais num contexto em que a mídia vende que qualquer tipo de restrição ou regulamentação de conteúdo é censura. Mas chegaremos lá.

Karin disse...

Um exemplo de que precisamos de regras para a imprensa: http://limpinhocheiroso.blogspot.com/2011/10/globo-veja-anvisa-e-o-remedio-que-sumiu.html

Esse caso da Veja é só mais um dos muitos. Ter regras para que isso não aconteça é censura? Meu pai tem diabetes e tem tido problemas para encontrar esse medicamento, existe lista de espera!! É um medicamento, gente... e quando ele encontra o preço está nas alturas, e isso tudo por conta dessa revistinha sem escrúpulos.

Será que só deixar de comprar essa revista resolve? Claro que não!

O mesmo se passa com a publicidade.

RS Rock'n'Roller disse...

"Não importa que as mulheres sejam mais responsáveis com dinheiro, como mostra a opção dos programas sociais de ter como titular do benefício a mulher e não o homem"

Errado, a titularidade dos programas sociais se dá pelo fato que, nas classes mais baixas, por via de regra, a ausência do pai não é algo incomum nas relações familiares. Como boa parte destes pais, mesmo presentes, tem histórico de problemas relacionados à álcool e drogas, é mais prudente, senão inteligente, conceder o benefício a mãos femininas.

Aliás, esse mesmo argumento 'Não importa que as mulheres sejam mais responsáveis com dinheiro', é uma falácia sem tamanho. Mais responsáveis com a bufunfa, cara pálida? Psss, faça-me o favor...não vi UMA mulher da minha convivência (e olha que são vááárias) que deixou de frequentar salão de beleza, bazarzinho e 'liquidações imperdíveis' em plena crise 08/09, e continuam fazendo isso, na retomada da tendência baixista da maior crise financeira da história. Muitas de vcs adoram reclamar que ganham menos que o homem, mas a verdade é que vcs não conseguem ter controle dos gostos e gastos que tem. Estou mentindo? Acho q não...na real isto é um problema emocional-comportamental, típico das pessoas que precisam compensar frustrações. Todos nós somos frustrados em algo (alguns mais e outros mais ainda), Freud era um filho da puta obcedado pela mãe e por cocaína, mas definiu primordialmente o comportamento fútil e pernicioso das mulheres que sentiam raiva do mundo machista que as rodeava, e continua as (vcs) rodeando, e é isso que vejo em grande parte das mulheres ditas feministas: reclamonas da sociedade e da ordem das coisas, e incapazes de criar uma 'Nova Ordem Mundial' que seja inclusiva para as mulheres e menos rancorosa e cínica com os homens. Mas não, vcs mulheres modernosas veem o mundo como uma eterna festinha, comportando-se de maneira melindrosa e cruel para com um mundo criado essencialmente pelos homens, e que, por força maior, tiveram de desistir deste direito adquirido.

Concordo totalmente que o comercial é estúpido e mal-intencionado, e a questão de envolver a opção sexual na resolução dos problemas faz com que a propaganda seja ainda mais idiota, mas convenhamos, a grita de vcs é pelas razões erradas: culpe os idiotas (provavelmente só homens) que fizeram a propaganda, e não a classe em geral, pois senão, teríamos de parar o mundo e pedir para vcs recomeçarem do zero, e fazê-los por conta própria...aceitam o desafio?

Em tempo: acho que vc não citou o comercial da Bombril por escolha mesmo, pq sentido ia ter sim, e muito.

Anônimo disse...

@rock,
concordo.
mas porquè mulher nao tem controle dos gastos? 2 motivos:
1) motivo conciente: porque quando a grana acaba sempre acha alguem que "ajude"
2) motivo inconciente: porque reprime mais que o homem a propria sexualidade e sublima com objetos de consumo o natural objeto da libido.
ma nos 2 casos a causa è o cristianismo, que criou uma asimetria entre a libido masculina e feminina. è a diferença entre demanda e oferta de sexo que cria o preço!!!
lucio.

RS Rock'n'Roller disse...

@Lúcio,

Olha Lucio, quis rebater seu post. Sério mesmo, achei ele meio sexista, mas me lembrei que as pessoas, hoje, vivem de imagem. E imagem, meu amigo, é algo caro de se comprar. A exigência de estar sempre na moda, com vestidos, saias, cintos, unhas e sapatos combinando, até para as mais ou menos feministas, é pesada. Isso (impossível argumentar), é da natureza feminina, é nato!
Aliás, a natureza feminina é algo estranho (quiçá revelador), pois elas mesmas não se entendem. Não é por acaso que, qdo saem à alguma festa, vestem-se pensando nos olhares das outras mulheres, pois o importante, no pensamento dessas mulheres é "o q vão pensar de mim se eu estiver cafona/parecendo uma puta/usar sapato q ñ combina/com cabelo mal-cuidado?"
Conheço muita mulher q aceitou altivamente o papel de mulher objeto de alguém, pois percebeu q a relação custo/benficio era vantajosa (para ela). Agora, paremos para pensar, qtos homens aceitam, de cabeça erguida, esse mesmo papel?

É simples, e triste, ao mesmo tempo...

Karin disse...

Quanta bobagem... e quanta opinião preconceituosa!

E o engraçado é que vocês fazem questão de dizer "eu tive várias mulheres". Pois é, e não entenderam nada, não aprenderam nada. Ou talvez tiveram o tipo de mulher que mereciam mesmo, cada um encontra o que procura...

Mas não é dessa mulher que falamos aqui, e sim das mulheres resolvidas, que sabem o querem, que trabalham, que batalham por um mundo melhor e mais justo, e que gostam da beleza sim, mas que não são vazias. E essas mulheres talvez não sejam para qualquer um...

Pensando bem, não são prá qualquer um mesmo.

Louise disse...

Senhor RS Rock'n'Roller, quanto ódio pelas mulheres, não? Mulher gasta mal o dinheiro é? Ah, claro, deve ser porque não gastamos com prostitutas, cachaça, ingresso de futebol, amantes, cerveja etc etc.
Esse papinho de que teríamos que começar o mundo do zero, insinuando que não construimos nada de útil para a humanidade também é super inteligente, né? Sabia que mulheres estão começando agora a ter o direito de estudar, de serem votadas, de ter bons empregos e etc pq vcs homens sempre proibiram isso e ainda proibem em diversos lugares do mundo? Assim é fácil bater no peito e dizer "fomos nós que criamos tudo". Acorda!

Anônimo disse...

@rock,
nao vejo nada de sexista no que escrevi ate agora.
ao contrario vc è sexista quando fala de "natureza feminina"! vc esquece que entre os indios o homem se maqueia mais que a mulher? e se vc acha que indio tem "outra natureza" o sexismo se transforma em racismo.
mas tem razao em falar que mulher se embeleza principalmente para outras mulheres (e nao homens) gostar dela. esse è un sintoma de un homosexualismo geral (tambem se latente). aqui tambem a causa è o cristianismo, que para reprimir a sexualidade feminina teve que criminalizar o homem-penis. como ele mesmo disse, cristo veio para separar e nao unir.
mulher gosta de mulher... homem para ela è so' um meio que nao merece respeito algum a nao ser que este homem pense e agia como mulher.
e mulher vai para cama com esses homens-femininos... e se eles tem carateristicas anatomicas poucos masculinas, melhor ainda! quanto mais homem se parece com mulher, mais mulheres arranja! nao imagina quantos HOMENS COM PENIS BONSAI E COM EJACULAçAO PRECOX conheço que sao cheios de mulheres!
tudo funciona ao contrario... como dizia nietzsche, a lei de seleçao natural è INVERTIDA.
lucio.

Anônimo disse...

@louise,
falando que homem gasta con amantes e prostitutas està admitindo che mulher rouba os homens. mas esquece que geralmente esposa rouba muito mais.

@karin,
estas mulheres resolvidas, estao aonde? 2 semanas atras conheci uma (branca, paulista, educada, trabalhadora, independente) que me fez a mesma conversa bonita... depois falou que queria um cara "companheiro". eu ja sabia onde ia parar, mas perguntei o que quer dizer "companheiro". resposta: "que nao tem problema em pagar minhas contas se eu precisar".
notar que sentou num restaurante e pedio um carissimo caldo de polvo (agua suja) e falou que ela nem morta sobe num onibus.
sao todas de SANGUE AZUL...
15 ou 20 anos atras no brasil nao encontrava lixo assim... hoje sò vejo isso. e todos homens que conheço, gringos ou brasileiros, sò veem isso.
e todas mulheres que ouço falar entre elas falam "fulano è bom porquè MIM DA' isso". e nao falo sò de ambientes de baixa renda.
lucio.

Anônimo disse...

anos atras escrevi um ensaio cientifico que merecia o premio nobel... hoje condivido com voceis que escrevem aqui (todos jornalistas e sociologos) tambem se nao merecem.
o ensaio estuda a TOB (TAXA OFICIAL da BU..TA).
è uma "selic" do sexo: para um homem, o custo medio de uma transa è o mesmo, seja com esposa, namorada, amiga, paquera, ficante, amante, prostituta.
façam um calculo e vè se nao estou certo!
ahahah!
lucio.

RS Rock'n'Roller disse...

@Karin e Louise:

Pois é, é difícil argumentar racionalmente, qdo tocam na ferida, não é...é necessário tergiversar, vir com discursinho pronto, pois fazer mea culpa não está na cartilha de vcs.

Eu entendo suas posições: precisam ser visceralmente contra qquer opinião contrária as suas, pois admitir q o feminismo não é lá tudo q se esperava, não conquistou td q queria, é dar o braço a torcer contra as claras evidências que o movimento, no fundo, só veio para confundir as mais suscetíveis e influenciáveis.

Na realidade me não considero preconceituoso 'per se', pois a definição do preconceito advoga que, mesmo desconhecendo o grupo ou pessoa em questão, vc já tem uma opinião formada por aquele grupo ou pessoa referido. Eu poderia dizer q sou preconceituoso com os chineses, por exemplo, pois não conheço nenhum, e vejo no que eles estão transformando o mundo, com sua competitividade predatória e seus meios escusos de negociação. Nesse caso sim, sou preconceituoso, guilty as charged.

Mas com vcs mulheres não. Nessa hora, não gostaria de generalizar, como fez a tal Louise, mas via de regra, a natureza feminina é, ao contrário que muitos homens pensam, é mais simples que se imagina. Mulher gosta de romantizar, de dar um toque diferente, de 'inventar', às vezes? Sim, sem dúvida, mas a verdade é que elas preferem quase sempre fazer as coisas do modo menos arriscado possível, pois o ônus do risco cabe quase sempre aos homens. E digo, sem medo de errar, q isso cabe em qquer situação, seja na conquista, no perigo, nos negócios, nos grandes empreendimentos, na tomada de decisões.

"Pois é, e não entenderam nada, não aprenderam nada. Ou talvez tiveram o tipo de mulher que mereciam mesmo, cada um encontra o que procura". Pois é, minha filha, ñ aprendemos nada, o mundo é selvagem e cada vez mais competitivo, e o feminismo, estupidamente, botou os homens em uma situação ainda pior: competir com alguém q deveria o apoiar. Se vc parar para analisar a situação histórica, as sociedades ocidentais só começaram a se estabilizar em meados do século XIX, pois antes a situação era muito caótica, com guerras, doenças, pestes, invasões e revoluções ao longo dos anos, e era simplesmente impossível estabelecer diretrizes duradouras para a sociedade em geral. Caramba, meus antepassados vieram para a América do Sul no final do séc XIX, num navio cargueiro abarrotado, com dezenas de pessoas morrendo na viagem por peste e escorbuto, chegaram em Santos e tiveram 2 escolhas: ou ir para o interior de SP e tornar-se sub-escravos nas fazendas de café, substituindo os negros recém-libertos, ou vir para o sul, sendo jogados num terreno inóspito, de mata ainda virgem, com onças, cobras e afins, tendo q se virar, para construir uma civilização, a partir do zero. Pois bem, aceitaram o desafio, e não reclamaram, pois o q queriam era crescer juntos, e não cada um reivindicando seus 'direitos'. As conquistas dos direitos civis, para TODOS, tem se dado nos últimos 50 anos, com a até então relativa estabilização da sociedade, e a possibilidade de incluir os mais diferentes segmentos dela.>>>

RS Rock'n'Roller disse...

Segue>>

O q a imensa maioria das pessoas (e sem dúvida nossas amiguinhas aí) não sabem é que o feminismo, na verdade, não foi objetivado para ser bonzinho e libertador. A mais pura verdade, é que TODOS os movimentos abolicionistas e libertadores dos últimos 200 anos tem uma coisa em comum: libertar o 'oprimido', com o intuito de transformá-lo em consumidor. Quer que eu desenhe? Sabe pq a Inglaterra exigiu a extinção do comércio e a abolição da escravatura? Com sua vigorosa Revolução Industrial e grande produtora de bens, ela precisava de mercado nas américas, e na época da escravidão o mercado era restrito aos senhores de escravos. Com a libertação destes escravos, e por menor que fossem os salários, eles seriam consumidores de produtos (apesar de ñ haver cartão de crédito à época), entre eles tecidos, que era o ponto forte da indústria inglesa (como vcs podem ver, ñ foi nenhum sentimento nobre ou elevado, simples necessidade de expansão mercadológica).

Com as mulheres foi basicamente a mesma coisa. Se eu contar como foi a "libertação" feminina para a iniciação ao estúpido hábito de fumar, vão dizer q é mentira, mas, infelizmente não é, deixo para vcs descobrirem.

É nessa hora que eu vejo o quanto a TV e o cinema influenciaram a babaquice do feminismo. Boa parte das mulheres acham q o jeito "Sex and the City" é um marco, um ode à quebra das correntes feminina, e ainda por cima, de salto! Olha vejam só vcs!

"Mas não é dessa mulher que falamos aqui, e sim das mulheres resolvidas, que sabem o querem, que trabalham, que batalham por um mundo melhor e mais justo, e que gostam da beleza sim, mas que não são vazias. E essas mulheres talvez não sejam para qualquer um...". Cara, q discursinho idiota. Esses tempos atrás quis conversar com uma amiga minha, formada em direito (bonita e esclarecida), o pq dela estourar o cartão de crédito com sapatos, se ela ainda tem vááários em casa, sem uso. Sabe qual foi a resposta? "Ah, pq são tão 'bunitinhos' e tavam tão baratinhos"...é, taí a mulher q gosta de beleza e não são vazias...

"Mulher gasta mal o dinheiro é? Ah, claro, deve ser porque não gastamos com prostitutas, cachaça, ingresso de futebol, amantes, cerveja etc". Bom, aí paramos, né. Quer estereotipar mesmo? Na real, nem vou entrar nesse caminho, qdo vc escreve uma merda dessas vejo q apelou...

Cara, na real nem sei pq escrevi esta bíblia toda. Acho q gosto de resenha. Ou pq acho q tenho algo a dizer a essas meninas q brincam de feminismo com a condescendência da sociedade atual, tão cagona para dizer basta às birras de certos segmentos. Mas foda-se, vou continuar dizendo o q penso, até o dia q a dona do blog ñ me deixar mais.

Anônimo disse...

@rock,
(eu tambem gosto de rock!) acrecento uma coisa: esta guerra toda que o feminismo estabeleceu causa a morte da estrutura familiar. no "primeiro mundo" nao se procrea mais, tudo mundo è "single", as familias ou nao se formam ou, se jà formadas, quebram. isso porquè a mulher economicamente independente nao precisa mais de homens para NADA e na separaçao sempre ganha.
tambem isso pode ser uma manobra para aumentar o consumo: 1 familia compra 1 casa, 2 singles compram 2 casas.
lucio.

Thalita disse...

Gente!
choquei com essa onda final de comentários. Como é tudo troll nem vale a pena tentar responder nada, mas que é um estudo de caso sobre misoginia, isso é!

Anônimo disse...

virgem
machista
baixo
troll
misogino...
todas categorias RETORICAS que nao significam NADA. mas que foram asociadas à juizos moralmente negativos.
hoje quem nao quer ser esmagado è "misogino"...
lucio.

RS Rock'n'Roller disse...

@Thalita

Hahaha, é isso aí, é muito mais fácil chamar de troll e se imiscuir do debate, do q rebater o q foi dito, principalmente qd ñ se tem argumentos plausíveis. É difícil argumentar com quem enxerga além do discurso politicamente correto, não é?

Aliás, vc seguiu perfeitamente a cartilha: qdo ñ há possibilidade de rebater o q foi dito, esnobe o confronto, chame o oponente de maluco, machista, sexista, anti-semita, racista, troll, misógino, chulezento...e diga q a pessoa é 'estudo de caso', mas nunca 'perca seu tempo com esses tipos', pois não estão à sua altura...parabéns!

@Lucio,

Velho, gosto de ti. Tens argumentos inteligentes e perspicazes. Não quis atacá-lo anteriormente, só externei um pensamento, mas sem viés nenhum, ok? Aliás, é engraçado como esse pensamento libertador 'desopressor' afirmativo está se tornando uniforme no mundo ocidental, não acha? E como isso tem, na realidade, desintegrado a sociedade como um todo...Sun Tzu foi profético, ao proferir seu famoso 'dividir para conquistar'.

Karin disse...

Aí, vocês dois, os Trolls! Vocês ficam perfeitos juntos!! Só falam besteira, odeiam as mulheres, e se amam! Ótimo! Acho que um é a solução para o problema do outro!

Só rindo, só rindo!! Além do ridículo, só rindo mesmo!

Anônimo disse...

faltava sò "viado"...

@rock,
quem è homem e onesto, sabe que estou falando verdades... mas tambem elas sabem...

"quando o homem nao serà mais homem e a mulher nao serà mais mulher... o reino de deus serà estabelecido na terra"
evangelio (apocrifo) de tomàs.

estava tudo em programa à 2000 anos.
lucio.

Karin disse...

Ihh, não é nada disso, querido Anonymous! Leia direito e vai entender...

Sou totalmente a favor dos gays, aliás acho que é preciso ser muito mulher e muito homem prá isso! Tenho uma enorme admiração por eles, tenho amigos, tenho um irmão gay e ex alunos também.

Eu apenas sugeri uma saída prá vocês, já que ambos me parecem bastante infelizes com as mulheres, e me parecem tão iguais nos pensamentos... quem sabe? Talvez exista aquela coisa da "alma gêmea"!

Ou então, talvez a saída seja ficarem sozinhos mesmo, já que a convivência em sociedade parece algo absurdo para vocês, a contar o tanto de preconceito que destilam e todos os absurdos que escrevem aqui...

Tchauzinho!

E sejam felizes, viu? Vocês dois, os Trollzinhos!

Anônimo disse...

@rock,
no imperio mediatico ocidental, o feminismo domina.
mas na europa, no berço onde o feminismo nasceu (a esquerda dura e pura) jà està ultrapassado: as mulheres reconhecem que exagerou e se tranformou em nazi-feminismo, veem que as leis absurdas criaram uma nova classe privilegiada. na europa hoje o feminismo està na moda da direita e das igrejas, estas ultimas porquè intenderam que è uma arma fantastica para combater a natural sexualidade (as religioes sao os "marines" da eterna luta da cultura para "eliminar a libido da faça da terra", como dizia jung).
e depois tem a grande diferença que na europa a mulher nao explora o homem sistematicamente como aqui.
na europa nunca ouvi mulher falando que procura marido para ter alguem que "ajude a pagar as contas" (globo, fantastico, domingo passado).
MAS PORQUE' O MARIDO TEM QUE AJUDAR A PAGAR AS CONTAS?????
prostituiçao de massa!
no brasil a populaçao universitaria è 75% mulher... porque? a mulher tem inteligencia superior? NAO, porquè o homem com 20 anos tem que ir trabalhar duro para ter dinheiro no bolso para ajudar elas "pagar as contas"!
e porquè muitas universitarias tem o cara 50 anos mais velho che "ajuda" pagar a faculdade!!! conheço muitas...
se o jacarè tivesse dinheiro, a mulher iria para cama atè com ele.
depois se forma em direito, vira juiza e ainda acaba com os homens nas separaçoes!
E AINDA TEM CORAGEM DE DIZER QUE SAO ELAS AS VITIMAS DA SOCIEDADE!!!
lucio.

Anônimo disse...

separaçao...
se eu banco uma mulher por n anos e depois a gente separa, porquè tenho que continuar banca-la o resto da vida? è alejada e nao pode trabalhar? justo seria que com a separaçao ela DEVOLVA todo o dinheiro que mim sucou!

no caso de rescissao de um contrato trabalhista, ALGUEM JA' VIU O PATRAO CONTINUAR BANCAR O FUNCIONARIO A VIDA TODA OU, PIOR, O FUNCIONARIO FICAR COM A EMPRESA E O PATRAO SER JOGADO NA RUA COM PONTAPE' NA BUNDA???
lucio.

Anônimo disse...

outro mito... "mulher ganha salario menor".
o contrato dos bancarios o dos correios fala que o salario da mulher è menor?
o salario minimo da mulher è menor?
talvez pode ser que a mulher nao è promovida como os homens (talvez!), mas è claro! mulher oferece menor produtividade! eu trabalhei como bancario por 15 anos... TODAS as colegas SEMPRE chegavam na agencia atrasadas (e ninguem falava nada... UM DIA eu cheguei atrasado porque quebrou o carro e fui ameaçado de dimissao).
e durante o espediente no caixa, eu fazia 300 operaçoes por dia, elas 120 (ficavam sempre no banheiro, bla bla no telefone, etc.)
lucio.

Ana disse...

Se não gostam que os homens banquem as mulheres, lutem pelo feminismo.

Ou a sociedade seguirá com homens ganhando mais e se achando os donos do mundo. Como não abrem espaço pras mulheres, sobra a elas serem "apoio" (mas você não quer essas consumistas malditas e descontroladas longe de você?), coadjuvantes... e o que acontece com a coadjuvante? Depende do homem. E aí vocês reclamam.

Logo se vê que herdaram o mundo na base da porrada, e não do cérebro.