Destaques

quinta-feira, abril 09, 2009

Raridadis: Mussunzis e Raphael Rabellis!

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Cacildis! Futucando a internetis, encontrei um elepêzis de 1986 do nosso ídalo, guru e mestris Antonio Carlos Mussum. E quem é que toca violãozis de 6 e de 7 cordis? Ninguém menos que o finadis Raphael Rabello. E o repertório é caprichadis: "Because forever" (João Nogueira/ Mussum), "Filosofia de quintal" (João do Cavaco/ Zé Maurício), "Ei! Moleque" (Arlindo Cruz/ Chiquinho), "Debaixo do meu chapéu" (Nei Lopes), "O torcedor" (Dicró/ Roberto Dicró), "Verdade expressa" (Almir Guineto/ Adalto Magalha), "Madureira, Vaz Lobo e irajá" (Jorge Aragão/ Mussum/ Neoci), "Tola insensatez" (Marcos Paiva/ Franco), "Grande Gerê" (Noca da Portela/ Toninho Nascimento), "Amor sem segredo" (Adilson Bispo/ Zé Roberto/ Marquinho P.Q.D.), "Sem você tudo bem" (Dedé da Portela/ Dida) e "Festa do lava pés" (Bandeira Brasil/ Beto Sem Braço/ Serginho Meriti). Confira a capis e a contracapis do disco da Continentalzis:


4 comentários:

Maurício disse...

Mussumzis é reizis! Viva elis!

Anselmo disse...

até na assinatura o cara era brilhante. Eu li "Mussumsis".

Boa, Marcão!

Marcos disse...

Estaile!!!
Tem link pra download?

Marcão disse...

Rapaz, tava conversando com uns conterrâneos e eles contaram que, na semifinal da Copa de 94, entre Brasil e Holanda, o Mussum já tava nas últimas lá nos Estados Unidos (viria a falecer de problemas cardíacos). Daí, saiu aquela fatídica falta, no final do jogo, para o Branco cobrar - o placar era de 2 a 2 até ali e tudo indicava que teríamos prorrogação. Nesse momento, um dos manguaças que conheço teria prometido: "-Se essa bola do Branco entrar, eu arranco o meu coração e mando pro Mussum, nos Estados Unidos!". Pois é: a bola entrou, mas - infelizmente - a promessa não foi cumprida...