Destaques

quinta-feira, setembro 24, 2009

Suada, vitória confirma rodada excelente para o Palmeiras

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Com 2 a 1 em pleno Mineirão contra o Cruzeiro permitiu ao Palmeiras se recuperar do tropeço na última rodada, quando perdeu para o Vitória no Barradão. São Paulo e Inter, segundo e terceiro colocados, tropeçaram no fim de semana, o que permitiu que o Palmeiras voltasse a abrir três pontos de vantagem.

Recusei a opção de chamar a rodada de perfeita para o Palmeiras por dois motivos. Primeiro, porque todos os pontos são importantes, e os fora de casa ainda mais. Assim, quando a disputa não é direta entre concorrentes ao caneco, os três pontos contra o Vitória valem tanto quanto os contra o Cruzeiro. Além disso, a mudança de horários dos jogos deixou a rodada manca. Que isso pode ter favorecido o time, é possível tanto afirmar quanto negar. Mas é muito ruim para o campeonato.







Os cruzeirenses reclamaram de pelo menos dois pênaltis não marcados pelo árbitro paranaense Evandro Rogério Roman. Um, sobre Kléber, na minha opinião foi um escorregão. Outro, sobre Fabrício, foi uma entrada acintosa de Jumar, erro craço da arbitragem. Um terceiro, que aparentemente não teve tanta reclamação, foi no fim do jogo, do estreante Figueroa.

Aliás, o ex-palmeirense Kléber, que foi centro de polêmica por participar de festa da torcida alviverde e declarar nutrir simpatia pelo clube, mostrou que seus cotovelos ainda são os mesmos. Ele acertou Wendel em um lance que, se não envolvesse o Kléber, talvez eu achasse que tivesse sido involuntário.

O Cruzeiro saiu na frente e levou a virada. Pressionou durante a maior parte do segundo tempo e não marcou pela atuação da defesa, de Marcos, o Goleiro que nesta partida não vacilou, a trave e a falta de pontaria dos mineiros.

Diego Souza, de falta, e Vagner Love, em contra-ataque mortal, foram os destaques do alviverde na frente. Cleiton Xavier mantém função vital de marcar, lançar atacantes – como no segundo gol – e bater faltas. Atrás, Souza esteve bem e Jumar mostrou que, por mais esforço que faça, é inferior ao contundido Edmílson. Do Pierre, todo torcedor continuará a sentir falta da eficiência no desarme.

Marcão bobeou no gol cruzeireinse de Thiago Ribeiro. Outras falhas bem menos graves foram remediadas pela cobertura e por um sistema defensivo fechado. Retranca mesmo, intensificada com a entrada de Maurício no lugar de Robert, deixando o time com um atacante mais Diego adiantado, Cleiton Xavier e três volantes no meio além de três zagueiros. Funcionou para evitar gols, mesmo depois da expulsão de Armero.

A raça apresentada anima. E o time já mostra que adquiriu uma característica de times montados por Muricy Ramalho no São Paulo. A produção ofensiva é, em geral, a mínima necessária. O time jogou como líder? Jogou como líder treinado por Muricy. Quando ganha, está ótimo.

13 comentários:

Leandro disse...

Em 2004, pelas eliminatórias para a Copa de 2006 no mesmo Mineirão, ocorreu algo inusitado e até hoje eu dizia não lembrar de situação parecida: Três gols de pênalti do Brasil, todos convertidos por R9, num jogo contra a Argentina (3x0 no final).
Mas esta noite vi coisa mais inusitada ainda: Quatro penalidades não assinaladas para o time da casa.
O mérito do Palmeiras, não neste jogo, especificamente, mas ao longo do certame, reside na manutenção do elenco (se comparada a outros clubes) que o presidente Beluzzo conseguiu na marra, peitando "parceiros", patrocinadores, empresários, picaretas dinheiristas, etc. O resultado está na ponta da tabela, lugar onde o time tem conseguido ficar, mesmo longe de ser brilhante.
Que esta postura do Beluzzo e a campanha do time até aqui sirva de exemplo para o grosso dos dirigentes subservientes e/ou descerebrados que temos aos montes.

Saulo disse...

Vitória importantíssima para o Palmeiras.

Fabricio disse...

O Leandro disse tudo. Espero que no final do ano, mesmo sem o caneco, os demais dirigentes vejam o quanto vale a pena segurar seus jogadores. A valorização é muito maior no final de ano pois os times europeus ficam de olhos nos melhores do campeonato.

Nicolau disse...

O Palmeiras de fato segurou o Pierre, importantíssimo jogador numa bela atitude do Belluzzo. Mas vendeu o Keirrison uns meses antes. E dizer que a boa campanah do Palmeiras se deve ao Pierre é forçar a barra - até porque ele está machucado faz umas duas rodadas. O Palmeiras, aliás, do ano passado para este mandou metade do time montado pelo Luxemburgo embora. Cleiton Xavier chegou em janeiro, ainda não ficou nem metade do tempo que André Santos passou no "vendido" Coritnhians. Eu sou totalmente a favor de segurar jogador, mas vamos ver as coisas como elas são...

Leandro disse...

Nicolau,
O Keirrisson mostrou ser uma baita enganação. Nem foi uma baixa tão pesada assim.
Em todos os jogos realmente importantes em que atuou negou fogo e não acredito que tenha deixado tanta saudade assim entre os palmeirenses.
Além disso, veio o Wagner Amor, que é muito mais jogador (rimou) que o ex-atacante do Coritiba. Demorou, mas aí sim foi substituição não à altura, mas num nível superior. Bem diferente de trocar Cristian e até os chinelinhos André Santos e Douglas por Edu, Mattos, Paulo André, que nem meia esquerda é... (rimou de novo)
Pierre também não é nenhum gênio com a bola nos pés, mas manter a espinha dorsal do time e dar tempo suficiente para o grupo andar nos trilhos é o que conta numa hora dessas, e nisso reside o grande mérito do Beluzzo.

Victor disse...

Anselmo,
achei que o Jumar foi que nem uma vaca em cima do Fabricio.
Se o juíz não marcou o penalty, paciência.
Mas que o Muricy devia falar qualquer coisa no pé do ouvido dele, deveria.

****
Também acho que a data diferente não ajuda nem atrapalha o time, ainda mais nessa meiuca de campeonato.

JK disse...

Para se ter uma imprensa livre (incluindo blogs e outros meios) é, antes de tudo, imprensidível e salutar que seus atores tenham independência, parcimônia e espírito crítico, acima de tudo. Não é o que se vê neste blog, se tomarmos como referência a texto sobre o Palmeiras. Explica-se: Como um cometário sobre o jogo não trata de forma crítica a polêmica da semana - a atuação do larápio, juiz Roman. Aquele jogo fica resumido a um debate tímido do que realmente aconteceu naquela noite. O títuló é no mínimo fraco, para não dizer vergonhoso," Suada, vitória confirma rodada excelente para o Palmeiras".
Na verdade, o destaque deveria ser a vergonha que se tornou esta vitória custeada a base da falcatrua, do roubo. Queria saber de vocês uma coisa, até para não ser desleal: O Futepoca quer ser o que? Um clubinho de amiguinhos que trocam correspondência ou de fato, vocês querem participar do debate de uma imprensa livre, independente, ou seja, de uma forma mais séria. Eu até entendo, que o problema pode ser a falta de quadros, entre seus militantes, que possam dar conta da idéia. Mas, será que não chegou a hora de vocês avançarem? A contribuição de vocês seria muito importante para avançar o debate sério que deve ser feito em torno do Futebol. Vocês, ao minimizarem a canalhice, incentivam o roubo.
Já passamos da hora de dar fim ao argumento de que o roubo é coisa do futebol, faz parte do jogo! Ao relativizar o acontecido, os escrevinhadores deste blog incentivam a prática do furto qualificado, quando na verdade deveriam combatê-lo. Não podemos mais aceitar que o futebol, assim como a política, seja tratado como "o roubo faz parte"; não faz!

OUTRO PONTO

Os torcedores que eventualmente possam pensar em utilizar da força - porrada - para se defender contra esses juizes, tipo Roman, estão coberto de razão a luz do direito. O Código Penal é claro quando coloca-se diante do roubo dentro de casa, a tese da "legítima defesa". No caso do do jogo do Cruzeiro - o time de Minas foi roubado dentro de casa - deveria prevalecer a permissão da porrada. Isso não é apologia a brigas. É tese de defesa do direito

Moriti disse...

rapaz!

fredi disse...

JK, não tenho procuração para defender ninguém, nem acho que o Anselmo necessite disso.

Mas para você entender. O Futepoca, até onde eu sei, não quer ser nada mais que um espaço em que se reproduzem as conversas de boteco sobre futebol política e cachaça.

Todos que escrevem são parciais, declaram por que time torcem e deixam isso claro.

O Anselmo é palmeirense e tem o direito de destacar o aspecto que quiser do jogo.

Se existe uma coisa que nunca é feita aqui é patrulhar os outros. Se alguém discorda do que foi escrito, comenta ou escreve outro post.

Agora que, espero, você tenha entendido o Futepoca, há um aspecto assustador na sua argumentação. A que tenta justificar a violência contra o juiz.

Vamos a um princípio básico do direito, a violência não é incentivada nunca. Você pode agir em legítima defesa no caso de salvar sua vida ou dos seus familiares etc. Nunca como vingança.

Violência não pode ser aceita em hipótese nenhuma, nem contra juiz ladrão.

Aliás essa irracionalidade da violência é o que enoja. Justifica até torcedores (organizados ou não) do Cruzeiro darem tiros em atleticanos no ponto de ônibus.

Futebol é muito menos que isso. A vida de qualquer pessoa (até do juiz ladrão) está acima de qualquer esporte.

Como atleticano, já reclamei muito do esquema dos árbitros de Minas com os Perrela, em que no campeonato mineiro passado o Cruzeiro disputou todas as partidas com jogadores a mais que os adversários.

Xinguei muito juiz, mas nunca cheguei ao absurdo de achar que qualquer pessoa tem o direito de dar um tapa que seja em qualquer outra pessoa.

Isso é o mínimo de civilidade, ao justificar a violência sua argumentação perde qualquer sentido.

Leandro disse...

JK,
Você não notou, mas mencionei em meu comentário as "quatro penalidades não assinaladas para o time da casa." Lógico que estou entre os que pensam que o Cruzeiro foi "roubado", mas todos dirão que sou suspeito para afirmar isso, e você entenderá o porquê.
É verdade que não sou membro do Blog. Sou apenas um leitor, e não fui tão incisivo ao ressaltar este aspecto para fins de "elocubração" porque queria enfocar outro, além do quê, sabendo que o autor da postagem é (conforme já alertou o Fred) um confesso torcedor palmeirense, não poderia mesmo surpreender aquilo que ele escreveu.
Além disso, o Blog é escrito por uma maioria de paulistas, e assim, é natural que aqui você tenha o ponto de vista do torcedor paulista acerca de seus clubes e dos adversários.
Nada diferente do que ocorre com os veículos de imprensa mineiros. Da última vez que estive aí, numa data que coincidiu com um jogo do Corinthians contra uma equipe mineira, pude notar que a cobertura era totalmente voltada às informações relativas aos mineiros e, claro, totalmente pró-MG. Era como se o Corinthians fosse um time de outra galáxia, e não de outro Estado.

Maurício disse...

Foi muito roubado mesmo. Um erro, dois, vá lá, mas quatro pênaltis errados para o mesmo lado...

Agora, adorei essa teoria da legítima defesa no jogo "em casa". O cara vem te roubar "em casa", mata logo ele de porrada! HAHAHAHAHAHAHAHAHAH! Genial!

Anselmo disse...

Opa!

A teoria "jurídica" do JK pode ser uma piada divertida, como interpreta o Maurício. Entender como piada pode ser mais saudável. O problema é que ela é precedida de uma acusação de que o Futepoca age contra a liberdade de expressão por não ter independência, parcimônia e espírito crítico. No mínimo, soa estranho.

Achar o título do post vergonhoso, é um direito do leitor. Opinar, com comentário crítico, metaforicamente na canela, pode ser uma honra. Mas preciso ter o direito de discordar.

Resumir o jogo aos erros tampouco é uma análise razoável. Foi por pouco que o cruzeiro não empatou considerando a pressão que impôs especialmente no fim do jogo. Resumir tudo aos erros da arbitragem seria até tirar o mérito daquilo que o cruzeiro apresentou em campo. Seria tão lamentável quanto negar os erros da arbitragem, o que definitivamente não ocorre.

Agora, desqualificar um blogue por discordar da abordagem de um post --- que é assumidamente parcial e não tem a ambição de encerrar tudo o que se pode dizer sobre uma partida -- é complexo para alguém que quer defender a liberdade de imprensa.

Qualificar erros de arbitragem de roubo envolve a responsabilidade de poder comprovar isso.

Então, caso "avançar o debate sério" sobre futebol é acusar sem provas, temos divergências fundamentais sobre o que é liberdade de expressão, de acesso à informação etc.

Sobre as pretensões do Futepoca, parte delas está expressa na qualificação de quem escreve. Mas nenhuma delas passa por acusar gratuitamente, se pretender imparcial e absoluto e muito menos tentar justificar juridicamente expedientes de uso da violência.

Maurício disse...

Leandro,

eu acho que o Corinthians deveria ter segurado os jogadores, como já expressei em mais de uma situação. A questão é se tinha poder de fazer isso. São contratos firmados em condições bem adversas, com jogadores que não são majoritariamente do time... Sabe lá se segurar até o fim da Copa do Brasil já não foi um feito...

Agora, que o Belluzzo tem mais cérebro do que todos os dirigentes de futebol juntos não há sombra de dúvida. E mais, não é só é um cara que sabe conversar com boleiro, sabe falar a linguagem que o torcedor entende. É um cara admirável.