Destaques

domingo, setembro 20, 2009

Matadouro de esperanças

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

O Corinthians, hoje, cria e mata esperanças com a copiosidade e a determinação que uma granja alimenta e mata seus frangos. A escala é industrial e a o ritmo é desconcertante. Já tive minhas esperanças depois da vitória na Copa do Brasil, perdi-as completamente depois do desmanche, ressuscitei algumas do cinzeiro e, agora, depois que tomamos mais uma goleada na orelha, fica difícil continuar a acreditar em alguma coisa. Comentei uma vez que não sei torcer em campeonato de pontos corridos, que pede frieza e regularidade em vez de autossuperação e explosão. Mas o Corinthians, do jeito que oscila, deixa o torcedor completamente desnorteado, que nem aqueles pintos de granja industrial que vão seguindo pela esteira rolante, sem fazer a menor ideia do que está acontecendo com eles. Fica difícil situar o coração em meio a tanta mudança.

Hoje, pode-se afirmar com tranquilidade, pra dizer o mínimo, que tomar de 4 a 1 pro Goiás em casa é algo que não cabe ao perfil de um campeão. Isso já estava claro, mas como o Timão vai fazer 80% do campeonato com metade do time na enfermaria, e tendo passado 90% do tempo sem um time definido, se isso deveria provocar a certeza da impossibilidade de vencer, também deixa uma pulga atrás da orelha, ainda mais quando os adversários tropeçam: afinal, se juntar todos os jogadores que supostamente formam o elenco até que o time não está tão mal assim. Mas isso é pura virtualidade, pois os jogadores nunca voltam todos.



Mano Menezes admitiu erro tático como a principal causa da derrota. Ele está é muito tranquilo com a tal vaga garantida na Libertadores do ano que vem. Eu de minha parte acho que, sem deixar de planejar os campeonatos seguintes, é preciso jogar pra ganhar o campeonato que se está no momento. Usar um campeonato como preparação pra outro é complicado, pois é como se o próprio não tivesse qualquer valor. Como se o Brasileiro só interessasse para se chegar à Libertadores... Se perder no ano que vem, o fiasco será ainda maior.

20 comentários:

Fabricio disse...

Aí que está, Maurício. Não vejo o corinthians se preocupando em se preparar para o ano que vem.

Parece que estão cumprindo tabela para começar tudo do zero em janeiro.

Se deixar para montar o time só no ano que vem, não passa nem da primeira fase na Libertadores.

Antonio Carlos Medeiros disse...

Renato Machado disse que no esporte alguns times precisam ser 'salvados' também. Será que isso inclui o Timão?

Saulo disse...

O Ronaldo voltou, mas o fenômeno foi o Goiás.

olavo disse...

"O Corinthians, hoje, cria e mata esperanças com a copiosidade e a determinação que uma granja alimenta e mata seus frangos."

Meu Deus. Genial.

fredi disse...

De Marcelo, não vi o jogo, mas realmente não consigo entender como esse Corinthians faz algumas partidas muito boas e noutras toma de 4 do Goiás, que é um time feio para chuchu.

Pela abertura do vídeo, a lipo não adiantou nada para o fenômeno...

Maurício disse...

Fabricio, acho que a primeira preparação que está acontecendo é médica. Não tenho como explicar isso, mas o fato é que desde a final da Copa do Brasil o Corinthians tem metade do time no estaleiro. Talvez seja o desgaste acumulado desde o ano passado até a vitória nos dois campeonatos que disputou no primeiro semestre.

E nas últimas semanas o time vem concretamente apresentando contratações. Começou com Edu, tem o Defederico, Marcelo Mattos... É o que eu disse, se até o final do ano estiver o time inteiro em campo, já vai dar pra sentir um pouco o que pode ser o Timão no ano que vem. Por enquanto, a gente vai se segurando, com esse comportamento bipolar que caracteriza o torcedor corintiano.

Maurício disse...

Antonio Carlos, acho que o Timão ainda está na fase do download. Mas uma desfragmentação de disco também ia bem...

Priscila Saccomano disse...

oi mauricio, também corintiano, que bom! como temos acesso ao teu e-mail?

Nicolau disse...

Maurício, texto genial. Estava pensando no que dizer sobre essa sacolada e você matou a pau.
Concordo com sua última frase, se ficar esse clima de que tudo que importa é a Libertadores haja psicólogo para segurar a pressão. Mas discordo de que se esteja abandonando conscientemente o Brasileiro. Metade do time está se revesando nas lesões. Isso não é planejado, é um fato, e o que se pode fazer é lidar com isso.

Teria que ter (pelo menos) um reserva para cada posição para aguentar, e não tem. Mas quem tem? São Paulo e Inter passam mais perto, talvez. O Palmeiras, Fabrício, também não estaria nem perto da liderança se tivesse entrado em campo sem 4 ou 5 titulares que o Corinthians entrou, contando os jogos em que deu prioridade à Copa do Brasil e as lesões. Se sem Diego Souza e Cleiton Xavier já sofre...

Sobre o planejamento para o ano que vem, foram contratados pelo menos três bons jogadores (Marcelo Mattos, Edno e Edu), uma promessa (De Federico) e um craque (Jucilei). Mais uns reservas que têm se mostrado bem úteis, como Balbuena e Paulo André. Os caras estão se integrando ao elenco agora, treinando juntos, coisa e tal. Se não estão disputando posição com os titulares, é porque os titulares estão no estaleiro.

Jogando Por Música disse...

Eu ainda não sei o que dizer desse Bill. Ele entrou no jogo e o time melhorou, mas o que ele perdeu de chances foi uma festa...Outra coisa. Pelo que sei Edno e o Defederico são jogadores do estilo do Jorge Henrique. Ou seja meia atacantes. Assim ainda falta um meia de armação...
O pior é que o argentino a estrear justo contra o São Paulo e pode se queimar.

Anselmo disse...

o clássico vai dar empate.

mas é incrível como se oscila nesse campeonato. quem parar de brincar de gangorra leva o caneco.

Maurício disse...

É verdade, Fernando, falta um meia de armação, mas isso é artigo raríssimo. E o Defederico pode se queimar, mas a chance maior é de se consagrar. Precisa fazer uma cagada muito grande pra se queimar na estreia. Mas um bom lance que fizer já coloca o cabra em excelente situação.

Ao Nivaldo agradeço o respeito que tem demonstrado por este jogador diferenciado que é o Jucilei.

Priscila, com estes olhos, tá fácil conseguir o meu e-mail: mauayer@gmail.com
hehe, brincadeira, escreve aí que a gente conversa. Beijos.

Leandro disse...

Só de pensar que Gobbi disse que trouxe substitutos no mesmo nível...
Qual será o conceito de reposição "no mesmo nível" do delegado?
Marcelo Mattos e Edu, ambos já velhinhos, fora de forma e de ritmo, são mesmo tão bons ou até melhores que o Cristian?
Estão cotados por gente da crítica especializada para uma vaga na Copa 2010, a exemplo de Cristian?
Foram pelo menos citados como grandes destaques dos países em que atuavam, a exemplo de Cristian, que era tido como um dos melhores em atuação no Brasil até ser aliciado?
Conseguiram fazer a gente sentir saudade até dos indolentes André Santos e Douglas... Que desastre!
Com Douglas, André Santos e Cristian estaríamos liderando com folga, quinze pontos à frente do 2º colocado neste campeonato apenas regular de times bem irregulares.

Maurício disse...

Leandro, falou pouco mas falou certo. Com esses três estaríamos liderando. Mas isso, infelizmente, é passado. Já era.

Mas como é que se administra um time? Não tem jeito, tem que vender e comprar. E o Corinthians não conseguiria segurar eles nem se quisesse, pois tinha uma parcela minoritária dos jogadores...

A opção de montar um time com moleques e idosos é praticamente a única que resta. Se até os velhinhos fazem cu doce pra voltar da Europa, como é que vai conseguir segurar os caras que estão no auge?

Nicolau disse...

Peraí, peraí, Maurício e Leandro. Edu pode até ser chamado de "veterano", do alto de seus 31 anos. Mas o Marcelo Mattos tem 25 anos, idade que o Christian tinha quando foi contratado em 2008, ou seja, fatalmente o Marcelo é mais novo...

Maurício disse...

É que volante, mesmo com vigor físico, tem sempre algo de velho, de conservador, de antigo, de anticriativo... (exceção feita ao Elias e claro, ao Jucilei)

Nicolau disse...

Então, o mesmo pode ser dito do Christian...

Leandro disse...

Nicolau, o que você escreveu a respeito do Cristian é praticamente uma heresia. Essa comparação é absolutamente incabível.

Maurício disse...

xi, nivaldo, perdeu a piada

Nicolau disse...

Mas Lenadro, que comparação é incabível? Eu só disse (1) que o cara é um ano mais velho que o Marceo Mattos e (2) que ele é volante, seguindo as características "metafísicas" da posição elencadas pelo Maurício. Mas que ele joga mais que o Marcelo, também acho.