Destaques

segunda-feira, novembro 16, 2009

A hora dos "quase"

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Claro que começo pelo meu time. O Galo já abriu mão do título e está "quase" fora da Libertadores. Na realidade, em quinto, decide a sorte ou o azar contra o Inter no domingo no Mineirão. Depois pega o Palmeiras, no Parque, provavelmente para saber quem perdeu mais chances este ano e disputará apenas a Copa do Brasil e a Sul-americana. Para o título a disputa agora parece ser entre São Paulo e Flamengo.


Do jogo de sábado, contra o Coxa, pouco a falar. Foi uma partida equilibrada, até bonita, com dois times correndo e jogando bola. O Galo tomou o primeiro gol para variar numa falha da defesa, que deixou o Coxa fazer uma linha de passe e achar o atacante Rômulo livre para marcar. Empatou e o jogo foi pau a pau até Benitez fazer um pênalti bizarro e ser expulso. Pontos para o Coxa, que mereceu.

Nada a lamentar. Um time que era cotado pela maioria para o rebaixamento chegou a sonhar com o título, se conseguir uma classificação para a Libertadores pode comemorar. Se nem isso, ficará o estigma de quase de Celso Roth. Quase campeão por dois anos. O técnico mais "quase" dos últimos tempos. Só falta deixar essa vaga para o Cruzeiro. Pelo menos vai me render uma garrafa de uísque, já que alguém apostou comigo que o Galo ficaria atrás do Santos neste campeonato, o que não pode mais acontecer. A diferença de onze pontos não pode mais ser tirada nas três rodadas que faltam.

Outro "quase" é o Palmeiras. Time que mais liderou o campeonato, mas que na reta final amarelou (ou ficou cor verde-limão-siciliano). Quem não consegue ganhar de um rebaixado Sport em casa não merece mesmo...

Agora, o problema é que dos dois com mais chances não torcerei para ninguém. Tenho "quase" ódio do Fla, por conta da roubalheira e os favorecimentos que sempre teve da arbitragem, além de ser péssimo exemplo em matéria de gestão. E tenho uma "quase" torcida para que o São Paulo não monopolize o título nesta década. Triste fim de campeonato.

Do lado dos rebaixados, já foram Sport, Náutico e Santo André. Resta uma disputa enorme entre Flu, Bota e Atlético-PR pela última vaga.

6 comentários:

Nicolau disse...

É, não vai ter jeito do São Paulo não ser campeão de novo. De fato, triste fim de campeonato...

Anselmo disse...

infelizmente nao tenho esperança no meu time pelo q apresentou até agora na reta final. no flamengo tampouco acredito.

o palmeiras nao está mais verde-limão-siciliano, está azul no 3º uniforme. Então, amarelou mesmo.

raiva pouca é bobagem.

Maurício disse...

não desistam, companheiros, o flá tá aí! vai urubu!

Marcão disse...

O comentario do Mauricio comprova minha crenca de que, se precisar entregar o jogo para o Flamengo pra ferrar o Sao Paulo, o Corinthians entrega. Ah, entrega! Maldito Grafite que foi marcar aqueles dois gols contra o Juventus. Ah, Nicolau, campeonato com fim triste sempre tem o teu time como campeao. Lembre-se do vergonhoso torneio de 2005, cujo campeao foi eleito o pior de todos os tempos na competicao pelos leitores do Futepoca.

E Fredi, eu simpatizo e torco pelo Galo, mas ta com cara que seu eterno rival vem com mais forca para abocanhar essa vaguinha na Libertadores...

Quanto ao Sao Paulo campeao, nao sou mineiro, mas desconfio. O Flamengo ganha os tres jogos, com certeza. Ja o time do Ricardo Gomes, dificil saber. Se roubaram para o Fluminense, por que nao roubar para o Botafogo?

Glauco disse...

Não sei se o Corinthians vai entregar o jogo, mas quando se fala disso lembro de imediato de São Paulo e Santo André no Paulista de 2003, quanto o time do Morumbi entregou o jogo pra não pegar o Santos na fase seguinte. Quem não se lembra, repare nos dois gols sofridos pelo São Paulo: um incrível onde há quatro jogadores do Ramalhão contra um zagueiro somente e outro em que Julio Santos faz um passe para o adversário na área. Segundo Luis Fabiano, a equipe "jogou com inteligência"...

fredi disse...

Engraçado como a memória aqui é seletiva.

Não tenho dúvida de que os times cariocas são beneficiados pela arbitragem, mas os palmeirenses não podem reclamar nada.

Só empataram contra o Sport porque o juiz expulsou um zagueiro e depois apitou impedimento, a defesa parou e ele validou o gol.

O São Paulo também não pode falar nada do apito amigo.

E depois sou só eu que choro contra arbitragens neste Futepoca.