Destaques

quinta-feira, fevereiro 21, 2013

Corinthians disputará jogos da Libertadores sem presença da sua torcida

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) resolveu agir rápido, de forma preventiva, em relação ao ocorrido ontem na partida entre San Jose e Corinthians. O clube brasileiro, de acordo com medida cautelar, disputará as partidas da Taça Libertadores – tanto em casa como fora – sem a presença de sua torcida, em consequência da morte de um jovem de 14 anos, atingido por um fogo de artifício que teria sido disparado por um torcedor. A punição vale até que a Confederação tome uma decisão final, o que deve acontecer no prazo de 60 dias. Ou seja, o Timão pode disputar todos os jogos da fase de grupos sem o apoio do seu torcedor.

“As partidas do Corinthians como mandante serão disputadas de portões fechados. Nos jogos que o clube disputará como visitante, seus torcedores não terão acesso a ingressos", declarou nesta quinta-feira o porta-voz da Conmebol, Nestor Benítez. O clube paulista já vendeu 82.500 ingressos para os três jogos da primeira fase que fará em casa em 2013 e deixou claro que tem condições de ressarcir todos os torcedores que compraram ingressos.

O Corinthians terá três dias de prazo para apresentar sua defesa. Doze torcedores permanecem detidos na delegacia de Oruro e a polícia boliviana disse ter fotos que provam que o disparo foi feito por um torcedor corintiano. O grupo foi indicado por homicídio, sendo dois deles como autores e os outros dez como cúmplices. A situação dos brasileiros está sendo cuidada pelo consulado brasileiro na Bolívia.

(Com agências)

6 comentários:

Maurício Ayer disse...

Existe uma imagem que é apavorante, o tal do fogo de artifício foi lançado praticamente na horizontal e na direção da torcida do San José. Na reportagem afirmaram que o projétil atingiu o olho do menino e atravessou seu crânio. É triste demais.

Leandro disse...

Em outras postagens eu já defendi punições rígidas e radicais para casos como este (http://www.futepoca.com.br/2012/03/morte-de-um-garoto-macula-virada.html).
A meu ver, Mário Gobbi já poderia até ter declarado a desistência do clube em participar da disputa. Nem precisaria da manifestação da confederação.
E a verdade é que, fosse um povo menos civilizado e tolerante (no bom sentido) que o fantástico povo boliviano, os mentecaptos que foram aprisionados já teriam sido linchados ou estariam agora trancafiados por tempo indeterminado em Guantánamo ou numa outra base militar qualquer, sem direito a advogado, juiz ou sentença. Só penas gravosas aos torcedores e aos clubes e organizadores envolvidos podem dar um basta nisso.
E seria um ótimo exemplo, inclusive, para outros atos de violência física e moral praticados muito afora. Inclusive no primeiro mundo, onde os mais "mansos" ativam cachos de banana no gramado.
É necessária tolerância zero com qualquer ato de violência física ou moral nos estádios.

Diário da Louise disse...

Sou corinthiano e sou minoria, mas a punição foi branda, aliás o time deveria sair por conta própria da competição, e nem se se só isso é o suficiente. Por anos seremos manchados por conta de alguns e é preciso reformular a ligação clube-torcida evitando que os beócios-beligerantes prevaleçam e continuem com privilégios.

Nicolau disse...

Importante que as duas pernas do problema estão sendo atacadas: a coletiva, ao punir o Corinthians, e a responsabilidade individual, ao processar penalmente os acusados. que seja aplicada a lei, com direito de defesa e coisa e tal, nos dois casos. Se for o caso de excluir da competição, que seja.
Só me pergunto se o San José, como organizador do jogo e responsável pela segurança, não mereça também alguma punição.

Anselmo disse...

vale este erro de digitação para este caso também?

ficaria: "Corinthians é punido com a *merda* da presença de sua torcida".

a piadinha besta é só pra não perder o bonde.

acho importante haver punições. concordo com o Leandro.

sobre a pergunta do Nicolau, em tese, acho que mereceria, assim como a polícia local que não impediu a entrada dos artefatos para pirotecnia fatal (#Fernando_Dourado_Feelings).

Mas, ao punir o clube, o torcedor que fica insandecido qdo o tema é o time do coração pode ser "sensibilizado" a não fazer asneiras? A psicologia de massas (mesmo de botequim) poderia tentar dizer se alguém que comete um ato de violência no meio de uma torcida esteja usando plenamente suas faculdades intelectuais. Eu não me arrisco.

E, na dúvida, prefiro ver punição às partes...

Papaleguas Bebidas disse...

http://www.avaaz.org/po/petition/Paz_definitiva_no_Futebol_Eliminacao_do_Corinthians_da_Libertadores_2013/?ckMBEdb