Destaques

terça-feira, outubro 15, 2013

O ódio que Rogério Ceni atraiu para si

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Ceni paga com juros e correção sua empáfia
Decidido a encerrar a carreira em dezembro (segundo reafirmou em abril), o goleiro Rogério Ceni jamais imaginou que esta seria a pior temporada enfrentada em 20 anos como profissional. Se pelo menos conseguiu chegar à semifinal do Paulistão e às oitavas-de-final da Libertadores no primeiro semestre, o São Paulo "desandou a maionese" completamente a partir de junho e, atualmente, vive talvez a pior fase de toda a sua história, ameaçado seriamente de rebaixamento no Brasileirão. No olho do furacão está exatamente Rogério Ceni, o capitão, o maior ídolo. Pagando todos os pecados de sua carreira, com uma sequência inédita de quatro pênaltis perdidos (inclusive o que daria uma crucial vitória sobre o rival Corinthians), criando caso com o ex-técnico Ney Franco, brigando inutilmente com juízes. Ceni pena, principalmente, por sua empáfia.

'Não tive como retribuir' em lugar de 'Errei'
Mesmo entre sãopaulinos, há quem o considere arrogante e prepotente. Entre torcedores de outros clubes, então, nem se fale! O ódio que o goleiro atrai é unânime. Porque, além de falar besteira sobre os adversários - "Eles não têm estádio, têm que gritar aqui, né? Se eles tivessem estádio gritariam em outro lugar." (sobre a torcida do Corinthians)/ "Garanto que nem 50% das entradas são faltosas, nem 50%. Agora, que ele é o melhor jogador do Brasil não se discute. Mas em 50%, é simulação." (sobre o então santista Neymar) -, Rogério Ceni tem um defeito renitente: dificuldade em admitir que erra. Reparem que, ao perder o pênalti contra o Corinthians, ele diz: "Não tive como retribuir aos meus companheiros tudo o que eles se entregaram em campo." Belo exercício de retórica. Mas cadê as palavras "ERREI", "FALHEI"?

Gol esquisito do Palmeiras: 'Fiz o que pude'
Em 2008, no famoso "jogo do gás", semifinal do Paulistão entre Palmeiras e São Paulo, no Parque Antarctica, Léo Lima arriscou um chute do meio da rua e Rogério Ceni tomou um gol esquisito, perfeitamente defensável. E, pra (não) variar, disse que não falhou: "Fiz o que pude, mas não deu. A bola balançou demais, eu caí para um lado e ela foi para o outro." Bom, existem muitas outras ocasiões em que o capitão sãopaulino não assumiu seus erros. E talvez a mais emblemática delas, em 1999, tenha sido o estopim da fama de arrogante e prepotente - não só entre corintianos, palmeirenses e santistas, mas entre a maioria dos torcedores de todo o país. Porque, naquela ocasião, o goleiro defendia a seleção brasileira. E, num amistoso disputado contra o Barcelona, na Espanha, falhou "clamorosamente" (como diriam os antigos locutores) nos dois gols que tiraram nossa vitória, praticamente garantida:

Careca, em 97, com Roberto Carlos e Rivaldo

Questionado sobre as falhas, Rogério Ceni reclamou, sem qualquer modéstia: "Nao aceito ser chamado de culpado pelo resultado. Se os dois erros não tivessem originado os gols, teria sido umas das melhores atuações de um goleiro na seleção brasileira." No primeiro gol, quando soltou a bola no pé do espanhol Luís Enrique, Ceni afirmou impassível que a culpa foi da chuva e do vento. No segundo, quando "bateu roupa", "justificou": "Se a bola tivesse caído nos pés de um brasileiro estaria tudo bem." A falta de humildade pegou mal. O treinador do Brasil, Vanderlei Luxemburgo, já estava dando uma chance ao sãopaulino depois de ele ficar afastado da seleção por quase dois anos, sem clima com o técnico anterior, Zagallo, que não gostou de sua postura no episódio das cabeças raspadas na Copa das Confederações de 1997.

Foi ali, naquelas "justificativas" dispensáveis após as falhas contra o Barcelona, que Rogério Ceni começou a atrair o ódio generalizado que sofre atualmente. Tanta gente secando e torcendo contra deve contribuir, de alguma forma, com a energia negativa que vem pressionando o goleiro e favorecendo seus erros nessa crise do São Paulo - o que prejudica, por extensão, o time e seus companheiros. Nem assim, no entanto, o jogador desce de seu pedestal (imaginário). Parece que o universo conspira para novas falhas, como se elas fossem oportunidades de Rogério Ceni se redimir e demostrar um pouco de humildade publicamente, antes de fechar a cortina de sua carreira. Mas não. Cada falha acaba puxando nova postura infeliz do goleiro e, talvez por isso mesmo, novas falhas. Como diria Muricy Ramalho, "a bola pune"...

13 comentários:

Rick disse...

Este cara sempre foi um mala e só agora que vcs estao descobrindo. Ser bom goleiro nao o torna uma pessoa palatavel..

Anônimo disse...

RC = DEUS chupem antis

Time grande não cai. disse...

É inevitável que em uma carreira tão longa e vitoriosa como a dele haja falhas, sim falhas, mas cite algum goleiro que não falhou, ainda mais sendo goleiro titular durante décadas de um time tão grande e glorioso como o tricolor, esse ódio citado no título certamente não se aplica a torcedores do São Paulo, e sim de torcedores de times que sempre foram vítimas do mito, é inevitável o incômodo, pois em sua carreira ele conseguiu mais títulos que alguns times conseguiram em um século.

divulgablogsite muro disse...

Faça uma matéria sobre o muro e me envie, terei o maior prazer em colocar o link no site.
Prazer, meu nome é Alexandre Lavrador e tenho 19 anos, criei o Muro mais famoso do Brasil, um site em que você cola o Banner

do seu site por apenas 99,90 por espaço.


Não é uma piada, o site já arrecadou R$16.017,30 até o presente momento e quero chegar ao meu primeiro milhão, para tal

invisto todo o capital arrecadado pois acredito no triangulo (boa rentabilidade + tempo + capital inicial)!
Imagine um muro em que todos os olhares estão voltados para ele.
Este muro já existe, recebemos uma média de 7 milhões de visitantes por dia e já existe banner com 185.135.001 de cliques!
Alguns ilustres webmasters como Antonio Tabet do Blog Kibeloco, Cid do Blog Não Salvo, Joe do Blog Ah Negão, Azaghâl do Site

Jovem Nerd dentre outros, deixaram seus depoimentos!
Não deixe de conhecer o muro mais famoso da internet!
www.divulgablogsite.com

Fale comigo

Anônimo disse...

Ah tá, o cara fala a verdade e as pessoas não gostam de ouvir, simples!
Inveja é uma merda, o que a globo está fazendo com vocês? Tenham opinião própria!
Quantas vezes ele assumiu a culpa pela derrota, e era erro de outros?

Alex Rod disse...

Rogerio Frango Ceni é uma piada, arrogante ao extremo,ainda existem torcedores sem o minimo de noção que não percebe o cancer que este jogador é em seu clube, e não vem contar a historia do são Paulo falando que é grande pois sem dar os golpes que deram no São Paulo da Floresta e em mais dois times, não era nem para existir, time de malandros sem carater.

Anônimo disse...

Colocando as coisas em seus devidos lugares.
O que RC disse sobre a torcida dos beijinhos, é verdade. Ou os beijoqueiros têm algum estádio permanentemente escondido que não conhecemos até hoje?
Sobre o Neymar, também é verdade. Vide a discussão sobre seu futebol no Barcelona, lutando contra a gravidade, anos após o RC ter dado essa declaração.
Humildade não é critério e nem regra no futebol. Fosse assim, seu time demonstraria imensa humildade e se negaria a jogar uma final, por exemplo, humildemente reconhecendo a superioridade do adversário.
Resumindo: ou sem tem inveja e tenta-se justificar a inveja, ou o vê como um profissional, e aí, não há o que discutir.

Anônimo disse...

o que me faz me ter mais raiva do São Paulo é o Ceni, arrogante e prepotente

Anônimo disse...

m1to

resc disse...

Estou ADORANDO ver esse sujeito afundar, merece tudo de pior que está chegando.

resc disse...

Estou ADORANDO ver esse sujeito afundar, merece tudo de pior que está chegando.

Unknown disse...

Mito é algo que algumas pessoas acreditam mas na realidade é uma mentira.

Não é a toa que os rivais apelidaram o Rogéria de mito.

Adriano Alipio Lima disse...

que bosta de post.