Destaques

quinta-feira, novembro 01, 2007

Incoerências da provocação futebolística

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Uma das mais constantes "armas" que os são-paulinos têm na hora da brincadeira com os corintianos é ironizar o Mundial de Clubes que foi realizado no Brasil em 2000. O Corinthians foi campeão, de forma justa e indiscutível, mas o que se ataca é se esse torneio pode ser realmente considerado um campeonato mundial. Os alvinegros dizem que o campeonato teve a incontestável chancela da FIFA, a entidade maior do futebol, e se a FIFA falou, tá falado. Já os tricolores alegam que o Corinthians foi campeão sem vencer a Libertadores, assim contrariando o Mundial (ou Intercontinental, ou Copa Toyota) que já se jogava desde 1960.

E assim a discussão segue, de maneira repetitiva e até mesmo chata.

Por que estou falando desse assunto? Pelo seguinte: já vi muitos são-paulinos se vangloriarem dizendo que a conquista de ontem faz do São Paulo o "primeiro penta". Desprezam solenemente a conquista do Flamengo de 1987. Naquele ano, lembram os são-paulinos, a CBF reconheceu como campeão brasileiro o Sport. Mas na prática todos viram o Flamengo de Zico como campeão brasileiro.

Ora, precisamos de critério. Se o São Paulo é o "primeiro penta", se o título do Fla de 1987 não vale, se o que importa é a chancela da CBF, então o Corinthians é o incontestável campeão do Mundo de 2000. É a mesma lógica. De acordo?

16 comentários:

Glauco disse...

O Flamengo é penta.

Victor disse...

Olavo, a minha opinião sempre muda de acordo com o interlocutor.
Sempre vou na questão que mais irrite o mesmo.
Mas em momentos meios malucos de discussão comigo mesmo, nunca encontro argumentos suficientes para vencer uma tese ou outra.

O do Corinthians eu chuto o balde. Torneio de Verão e pronto. Eu sou da tese de que vale o à vera mesmo e não ligo muito para a chancela oficial de alguma entidade organizadora. Eu acho muito importante os critérios técnicos de participação, e não acho que, ao menos para mim, os do Torneio de 2000 tenha tido muita validade.
Não reconheço o Corinthians Campeão Mundial sob nenhuma hipótese.

Já no caso do Flamengo, eu sempre o tive como Campeão Brasileiro em 1987.
Foi o primeiro campeonato que acompanhei do início ao fim,entendendo o regulamento e conhecendo os times participantes.
Quando o Fluminense ficou de fora (time que torço), passei a torcer descaradamente para o Atlético-MG, timaço. Mas deu Flamengo.
Quando se deu a celeuma, mantive minha postura, e reconheci para mim mesmo, o Flamengo como campeão brasileiro.
Não poderia não reconhecer, pelo motivo que o Flamengo tinha jogado contra os melhores times do Brasil e não era nem justo fazer uma finalzoca contra o Sport que jogou contra a chepa (ou xepa, sei lá).
Contudo, anos depois, percebi que esses tais "melhores do Brasil" não obedeciam a um critério técnico.
Afinal de contas, é só constatar que Guarani e América-RJ ficaram de fora da Copa União 1987. E esses times foram respectivamente vice-campeão e quarto lugar do Brasileiro de 1986.
O Guarani perdeu nos pênalties inclusive para o São Paulo a decisão.
Aí eu me pego, ora bolas, quem escolheu esses "melhores clubes"?

Ficou claro que foi feita uma grande cagada.

De qualquer forma, fica difícil legitimar o Sport como Campeão tendo jogado contra times de segunda.

Desta forma, para não polemizar muito, digo que considero o Flamengo como tendo 5 títulos brasileiros, até porque não gostaria de jogar na lata de lixo a Copa União que tanto gostei, mas na verdade, na verdade, acho que 1987 poderia ter sido um ano em que não deveria ter sido considerado nenhum campeão.

Resumindo: Dois torneios sem critérios técnicos de indicações de times = torneios amistosos.

Thalita disse...

pra mim, o flamengo é penta

Marcão disse...

Acompanho Glauco e Thalita: o Flamengo é penta (lembro do Bussunda atravessando o gramado do Maracanã de joelhos, em 92, e gritando: "-Todo mundo tenta, mas só o mengão é penta!").

Quanto ao Torneio de Verão de 2000, estou com o Victor: nem que Jesus Cristo volte à Terra e diga que aquela excrescência vale como mundial de clubes, continuarei considerando aquela excrescência como o que realmente foi - um Torneio de Verão.

O Boca Juniors é o ÚNICO campeão continental e mundial de 2000. E eu diria o mesmo se o São Paulo tivesse vencido o Vasco nos pênaltis, no Maracanã, e comemorado aquela farsa.

Leandro de Paula disse...

E dentro dessa lógica, França em 1998 e Alemanha em 1974, por exemplo, não seriam "legítimas" campeãs mundiais, já que não disputaram eliminatórias para as respectivas competições que sediaram.

Leandro de Paula disse...

E o Mundial de 2000 teve nível técnico muito superior, pois além do campeão tivemos times como Vasco, Real Madrid, Necaxa e Manchester jogando completos, enquanto as edições de 2005 e 2006 tiverem times da Costa Rica e Nova Zelândia, e os times europeus com equipes "alternativas". Basta ver as escalações com que jogavam em seus campeonatos nacionais na Europa e as que levaram para o estádio de Yokohama.

Marcão disse...

Leandro, discordo do "técnico muito superior" em 2000. Pelo amor de Deus, todo mundo soube que os europeus se afundaram em noitadas e bebedeiras, tava todo mundo curtindo férias num calor de 40 graus na sombra. E o Raja Casablanca do Marrocos é melhor que o Deportivo Saprissa? Aonde?

Para mim, "times europeus com equipes alternativas" jogaram exatamente no torneio de verão do Rio de Janeiro. Antes de a competição começar, por exemplo, o Sávio (ex-Flamengo, que na época estava no Real Madrid), disse a Placar que o time vinha pra ganhar, mas que, para a torcida espanhola, o mundial de clubes que valia, mesmo, era o disputado no Japão.

Me recuso a considerar qualquer argumento pró-Curintia por saber que NUNCA venceu uma Libertadores. O Santos bateu Benfica e Milan. O Flamengo bateu o Liverpool, o São Paulo bateu Barcelona (o time que os catalães consideram como o melhor de todos os tempos), o forte Milan e o "imbatível" Liverpool.

Pô, aí os caras vencem o Vasco nos pênaltis, no Maracanã, e vem falar de "mundial de clubes". Pára.

Ps.: E enfiar Copa do Mundo no meio - uma competição totalmente diferente, de seleções, que ocorre a cada 4 anos, com eliminatórias - é muita forçação de barra. Nenhuma equipe japonesa disputou o Mundial de Clubes como convidada. E, se isso acontecer, é esdrúxulo. Ponto.

Victor disse...

E dentro dessa lógica, França em 1998 e Alemanha em 1974, por exemplo, não seriam "legítimas" campeãs mundiais, já que não disputaram eliminatórias para as respectivas competições que sediaram.

Passo a vez...

Glauco disse...

As argumentações corintianas já foram mais articuladas...

olavo disse...

Esse debate é interminável. As discussões sobre "Quem é o campeão brasileiro de 1987?" e "O Mundial do Corinthians vale?" são as mais chatas do futebol brasileiro. A idéia do post não foi reiniciá-los.

Só pra dizer que uma coisa está atrelada a outra. São-paulino que se intitula o primeiro penta tem que considerar o Corinthians campeão mundial de 2000. Questão de lógica.

Thalita disse...

Olavo
Sugiro que você escolha melhor suas companhias.

Nenhum são paulino que eu conheça tá falando que é o primeiro penta.

Olavo Soares disse...

A diretoria diz...

http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Futebol/Flamengo/0,,MUL166314-4282,00.html

Leandro de Paula disse...

Estamos carecas de saber que os Europeus não estão nem aí para essa disputa, seja FIFA, Toyota ou o raio que os parta.
Parece-me uma questão cultural, coisa de colonizador escroque, mesmo, mas o desdém é fato.
E isso só agiganta a conquista do Corinthians em 2000, porque, num torneio que contou com mais equipes, de nível técnico bem superior e jogando completas (Real Madrid, Manchester, Vasco, Necaxa), o Corinthians derrotou em casa, no "templo do futebol" freqüentemente invadido pela Fiel, os "interessados" cariocas. Um timaço que tinha Romario, Edmundo, Felipe, Mauro Galvão, Juninho Pernambucano...
O SPFC venceu dois "amistosos" contra os apáticos Barcelona e Milan, e em 2005 os não menos indiferentes "Reds", sem Peter Crouch e Djibril Cissé, poupados por Rafael Benítez.
Os ingleses jogaram com o ataque reserva, tiveram cinco mudanças em relação à escalação de seu primeiro jogo no Mundial, contra o Deportivo Saprissa, e ainda assim foram "garfados" pela arbitragem mexicana.

llllrellll disse...

Caros colegas... vemos no futebol um mundo de magia, alegrias, decepções, injustiças e outros adjetivos, porém o mais interessante desse universo é a diversidade de opiniões, em relação ao titulo de 2000 do corinthians, vemos que não houve uma sequencia lógica no campeonato, e outra é como as pessoas dizem pra ser campeão mundial tem que ir até o outro lado do mundo, onde já se viu disputar um titulo mundial com 2 times do mesmo pais, e outra quem organizou esse campeonato foi a fifa, e o campeonato brasileiro é supervisionado pela cbf (em relação ao flamengo)... só que podemos discutir o que quisermos por quanto tempo for possivel... os titulos estão estão ai pra serem conquistados, verdade seja dita, as gosações sempre existirão as divergencias também, é por isso que o futebol é maravilhoso, tri-mundial no Brasil só existe um time, penta brasileiro só existe um resta aos outros times correr atraz do prejuizo pra ver se chegam próximo, pois passar vai ser dificil...
Deixou meu post com uma citação bem original e bastante utilizada "TODO MUNDO TENTA, O FLAMENGO INVENTA, MAS SÓ O SÃO PAULO É PENTA!!!!!

Abraço a todos!!

Ricardo disse...

O Olavo tem razão. Essa discussão é chata. E a inveja é uma merda, além de cegar. Todo mundo esqueceu que o grande injustiçado do Mundial de 2000 foi o Palmeiras, campeão da Libertadores de 1999. A Conmebol indicou o Vasco, campeão sul-americano de 1998, sob pressão política da CBF para ter um time do Rio e outro de SP na competição. O Corinthians entrou como campeão do país sede. Aliás, o Mundial da Fifa deste ano voltará a ter o campeão do país sede entre os concorrentes ao título. Só que dessa vez será o campeão do Japão. A edição de 2001, que não aconteceu por causa da falência da ISL, também contaria com o campeão do país sede, que seria a Espanha. O Brasil, aliás, me parece ser o único lugar do planeta onde o povo prefere desmerecer ao invés de exaltar suas conquistas, sejam elas esportivas, políticas, tecnológicas. Bom, o Nelson Rodrigues percebeu isso há bem mais tempo. É a velha síndrome de vira-lata.

Rafael disse...

A diretoria do SP só mostrou seu mal caráter com a camisa Penta Único.

Vale o bom senso. Flamengo ganhou o brasileiro de 1987 e o Boca ganhou o mundial em 2000 disputado no Japão.

Como a Thalita disse, eu tb não conheço um são-paulino que se diz único penta. A torcida me parece ser bem diferente da diretoria. Ainda bem.