Destaques

domingo, julho 26, 2009

Um 3 a 0 para Obina sobre o Corinthians

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

O Palmeiras venceu o Corinthians por 3 a 0 em Presidente Prudente. Voltou a se igualar em pontos ganhos com o Atlético-MG, na liderança. Enquanto o Goiás aplicava a segunda zebra seguida contra os da ponta superior da tabela, o Palmeiras via o fim da era Jorginho com a sexta partida seguida contra os alvinegros paulistanos sem conhecer derrotas. Recuperou também o Verdão do tropeço do meio de semana em Goiânia.

O primeiro gol foi de peixinho, em um cruzamento perfeito de Pierre. O segundo de pênalti, cometido abestadamente por Chicão. O terceiro foi em um contra-ataque em que Obina dividiu no alto com Moradei, deixando a bola para Cleiton Xavier esperar e deixar o centroavante livre para completar o escore.



Ele não é melhor do que o Eto'o. Nem é melhor do que o Keirrison do começo do ano. Mas decidiu o jogo e tem marcado gols. E está mais magro do que o Ronaldo.

Aliás, foi a saída do gordo que mudou a cara do jogo. O primeiro tempo foi mais disputado até a contusão de Ronaldo que, ao sofrer falta de Souza, caiu de novo, desta vez sobre a mão direita, produzindo suspeita de fratura. A partir daí, o Corinthians murchou e o Palmeiras cresceu. Depois do segundo e do terceiro gols, a partida foi administrada pelo alviverde, com períodos de tensão sem sentido.

De presente para Muricy Ramalho, o interino que quase se efetivou deixa o artilheiro Obina e a equipe mais faltosa do campeonato. O time marca muito com dois zagueiros, dois ou quatro volantes (no caso de Cleiton Xavier se dedicar mais às funções defensivas), e também bate. Embora as pancadas mais sem noção da tarde em Prudente tenham ficado para Alessandro, expulso, e Jorge Henrique, que saiu ileso.

Depois de cinco dias sem sinal de celular nem acesso à internet (fui derrubando cada conexão por onde eu passava), eu ia escrever impropérios contra Vanderlei Luxemburgo, que já entregou o time como campeão das faltas e sem artilheiro, mas depois do post do Glauco, a cota "pau-no-Luxemburgo" pode ficar para os comentários.

15 comentários:

Leandro disse...

O lance do primeiro gol palmeirense, que abriu a porteira contra o catadão corinthiano, surgiu de uma clara falta de Obina em Chicão, que fez uma péssima partida e esteve entre os piores jogadores do improvisado Corinthians.
Os três gols do Palmeiras foram perfeito retrato do aparentemente embrionário desmanche, pois os três surgiram de jogadas direta ou indiretamente produzidas pelo lado esquerdo da defesa, que além de Cristian para protegê-la com o vigor de costume e sair jogando na boa, não tinha nem Saci, nem Marcelo Oliveira, nem Bruno Bertucci, nem mesmo o desinteressado André Santos, que fosse, mas o fraco zagueiro Diego, completamente perdido.
A ausência de Cristian e sua importância para todo o antigo esquema dispensa mais comentários, e vale lembrar que os primeiros sintomas de problemas decorrentes do desmantelamento do elenco já haviam sido mostrados na quinta-feira, quando o time levou um grande sufoco do bom time do Vitória no segundo tempo.
Agora, que tente explicar isso o tal Mário Gobbi, aquele que insiste que não há nenhum desmanche e que praticamente chamou os torcedores de burros.

Victor disse...

Ronaldo... Obina...

Definitivamente, a estrutura do alambrado deve ter sido bem reforçada.

Maurício disse...

Quando eu comentei no post do Nicolau que achava que o Corinthians ter ganho do Vitória significava pouco é porque já imaginava que uma derrota dessas logo aconteceria. O time perdeu a coluna dorsal. A meu ver, um erro crasso de administração do elenco. Não sei o que é que estão pensando para que o time chegue no ano que vem pelo menos embalado, pois disputar Brasileirão este ano não vai.

fredi disse...

DMarcelo, o que vem a ser espinha dorsal????

Já sei, aquela que fica no dorso (rs) num 3 a 0...

Não estou nada feliz com a vitória do Palmeiras, foi só para não perder a piada.

Nicolau disse...

O Palmeiras marcou bem, controlou o meio-campo, e foi bem melhor que o bagunçado Corinthians. Quando saiu Ronaldo, Mano optou por tentar equilibrar as coisas no meio colocando Moradei e liberando Elias. O resultado foi questionável, mas o time até conseguiu equilibrar o jogo no começo do segundo tempo. Diego foi muito mal na lateral. Fechava sempre para o meio da defesa e, numa dessas, deixou Pierre livre para cruzar para o primeiro gol. Enfim, domingo trágico.

Tomando minha teoria de que esse jogo seria o termômetro do time no campeonato, a febre começou a apertar. Acho que o Palmeiras estará entre os times que disputarão o título e ganahr deles num momento de baixa seria uma baita demonstração de força. Não deu. O time realmente vai entrar em marcha de reconstrução. Há saber quanto tempo vai levar esse processo. Mas não sei, como o campeonato é longo, de repente ainda dá pra assustar.

Sobre o texto do Anselmo, destaco: "deixar o centroavante livre para completar o escore". Lembrou narrações do Canal 100.

Fabricio disse...

Por incrível que pareça o Palmeiras começou a jogar como o rival desde a entrada do Jorginho: se fecha direitinho e sai nos contra-ataques com velocidade, avançando o time todo pra frente ordenadamente. Esse menino Souza é meio afobado na marcação mas é muito rápido. Vai se firmar como parceiro do Pierre, que até cruzar aprendeu. Na zaga Maurício Ramos e Danilo estão cada vez mais entrosados, o que diminuiu drasticamente os gols tomados por falhas da dupla como acontecia no Paulista e na Libertadores. Como o Muricy adora uma defesa bem entrosada, ambos só tendem a crescer. Outro cara que não anda aparecendo muito mas que vem sendo fundamental nos contra-golpes é o Cleiton Xavier. Ele tem um passe muito bom e sabe segurar a bola quando o time está na frente no placar. Já o Diego Souza continua numa fase incrível. Só que isso dá medo com a janela de transferência aberta até agosto. Vamos ver o que o Muricy trará de novo para o time. A esperança de brigar pelo título vem crescendo.

Sobre o corinthians, não poderia ter se desfeito dos dois melhores jogadores de maneira alguma, na minha opinião. Deveria segurar ao menos um. E se perder o Felipe também, nem precisa entrar na Libertadores. Que goleiro bom, tenho de reconhecer.

Quanto ao Ronaldo, cada vez mais tenho desconfiado da utilidade dele. Um lampejo como no jogo contra o Fluminense a cada 10 partidas me parece pouco para garantir sua escalação. E está fora de forma novamente, pelo que vejo. Acredito até que seria mais fácil para a defesa ontem se ele tivesse continuado.

Sobre o lance do primeiro gol, Leandro, o Chicão puxa o Obina pela camisa desde o momento que o Pierre recebe a bola. Isso dá pra ver claramente na câmera alta da Globo. E até posso acreditar que o Cleiton Xavier poderia fazer o gol, mas ainda assim o penalty foi meio bobo.

Maurício disse...

Fabricio, você se engana. O Ronaldo tem sido essencial em muitos jogos, não apenas naqueles em que marca um ou mais gols. Mas não é o salvador, ele não tem nenhum condição de ser a esperança do time se o time não jogar para que ele funcione.

Ao contrário do que se pinta (ops), o Ronaldo não pode levar o time nas costas (ops).

No mais, concordo com você. O Corinthians não podia ter se desfeito dos jogadores mais importantes na estrutura do time num momento como este. Não acredito na tal "substituição" à altura.

Sobre o Palmeiras, não tenho visto os jogos. Espero que esteja pior do que você diz.

Fabricio disse...

Sobre o Ronaldo, Maurício, queria mesmo uma opinião de quem acompanha mais. Concordo que ele deve segurar uns dois marcadores com ele e abrir espaços, mas é preciso variar também.

E o corinthians vai cometer um erro básico se não montar o time logo. Precisa repor as peças e já ter o time pronto depois da janela de transferência. Independente de quem venha, sem entrosamento vai ser complicado.

Maurício disse...

De acordo, Fabrício. Este é o meu maior receio.

Nicolau disse...

Acho que a avaliação sobre o desempenho da diretoria e do técnico vai valer depois da janela. Que o Corinthians ia vender alguém era esperado e que ia oscilar por causa disso também, até os otimistas já contavam com isso. Vamos ver quanto tempo leva para remontar o esquema. E vamos ver se Mano consegue adequar o esquema aos jogadores que tiver, em vez de tentar encaixar os jogadores no 4-2-3-1 de que gosta.

Glauco disse...

Acho complexo, como já disse ao Maurício, julgar a diretoria corintiana pelo que ela fez agora. Dizer "ah, mas podia ter segurado"... Podia mesmo? Quais cláusulas de contratos que diziam que o clube poderia segurar de fato um desses jogadores caso fosse recebida uma proposta interessante para o atleta?

Se houve erro, talvez tenha sido de origem, quando o time elaborou os contratos e permitiu que seus jogadores pudessem ir embora sem grande interferência do Corinthians. Mas, de novo, do jeito que o clube estava, na bacia das almas na segunda divisão, havia alternativa mais viável que essa? Acho que existem erros muito grandes de avaliação quando se fala em "desmanche" do Corinthians...

Leandro disse...

É por aí, mesmo. Ainda que trouxessem numa tacada só Verón, Ramires, Kléber, Riquelme e Luis Fabiano, o entrosamento ainda pega e o time bateria cabeça até novembro, porque é esporte coletivo. Não seria apenas colocar os caras p/ jogar.
Eu penso que há sim um desmanche dos bravos porque nem Cruzeiro e Inter, times muito mais badalados durante o primeiro semestre, sofreram o que vem sofrendo o Corinthians, que até o título paulista era o patinho feio da temporada.
Quanto ao jogo de domingo, além de ter havido falta de Obina em Chicão no primeiro gol, houve também falta do mesmo Obina sobre o "craque" Moradei no lance do terceiro.
Moradei, cracasso de bola que veio substituir Cristian... Affff....
Enfim... Deve ser alguma manobra perspicaz dos geniais Mário Gobbi e Andrés Desmanches, ainda mais considerando que aquele acha o torcedor de arquibancada ignorante, inculto e incapaz de ter uma opinião própria.
O delegado esculhambou aqueles da arquibancada que mais prestigiam o time, talvez por ter esquecido (ou ignorar) que, principalmente na torcida do popular Corinthians, quem consegue pagar entrada p/ ficar entre os VIPs é, comparativamente, uma minoria ainda mais minoritária que a dos rivais da capital e ,quiçá, que o da baixada também.

Maurício disse...

É possível que sim, Glauco, que os contratos sejam ruins em função das circunstâncias bem pouco favoráveis em que foram feitos. Neste caso, é obrigação dos dirigentes vir a público explicar isso. Não é exatamente isso o que está acontecendo.

Nicolau disse...

Essa é a questão, tem que ver o que dava pra fazer pra segurar os caras e o que dá pra fazer agora pra repor as perdas. Leandro, quem veio apra o lugar de Christian ou Elias foi o Edu, bem melhor que o Moradei, que veio só pra compor elenco. E ainda acharam esse garoto Jucilei, que tem potencial. Enfim, não faço a menor questão de defender a diretoria, ainda o Gobbi depois da declaração elitista e escrota que deu. Mas concordo com o Glauco que a avaliação está sendo feita de forma meio esquisita. Lembremos, corintianos, que pro pessoal dos jornais é muito, mas muito conveniente transformar tudo no Timão em crise. Sobre as possibilidades do time, uns fatos levantados pelo PVC na coluna do domingo: o Cruzeiro, em 2003, vendeu Deivid, Luisão (o zagueiro), Paulo Miranda, Claudinei, Marcelo Ramos e Jussiê. O Santos em 2004 vendeu Diego, Alex, Renato e Paulo Almeida, mas contratou Deivid e Ricardinho para repor. Quer dizer, às vezes, existe vida depois da janela. Em outros casos, como o Flamengo do ano passado, que perdeu Renato Augusto, Marcinho e Souza (o centroavante), não. Mas mesmo esse Flamengo chegou perto da classificação para a Libertadores, ou seja, quem fala de rebaixamento está exagerando fortemente.

Thiago disse...

Pra mim, Mano Menezes fez com que o time desenvolvesse uma forma eficiente de jogar... pronto e perdeu pro melhor time do país... ponto.

Simples assim...


mais uma taça do dérbi.