Destaques

segunda-feira, julho 27, 2009

Roth prova de seu próprio veneno

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Iarley o autor do gol em foto do Estado de Minas/Uai

O Galo ontem no Mineirão provou mais uma vez que é time de um esquema só. Bloqueia bem o meio de campo com 3 ou 4 volantes e sai rapidamente no contra-ataque. Quando o adversário não vai para o ataque, o caldo entorna... Foi o que aconteceu contra o Goiás, no Mineirão.

Hélio dos Anjos, à la Roth, armou uma retrancona, com três zagueiros, seis no meio de campo e apenas o Iarley no ataque. Das duas chances que teve em toda a partida, o time verde marcou uma, o que foi suficiente para levar os três pontos.

O Atlético ficou com a bola quase o tempo todo, mas não teve inspiração. Tardelli e Éder estavam bem marcados, daí faltou a aproximação de um meia criativo, que o time não tem. A armação sobrava para os volantes, que erravam passes na hora decisiva ou davam chutes da entrada da área que iam fora do Mineirão.

Júnior também estava mal no papel de tentar municiar os atacantes, mas a entrada de Evandro mostrou que estamos de mal a pior nessa posição. O ex-palmeirense não fez absolutamente nada que não fosse um burocrático passe para o lado, o que explica por que o Palmeiras o deixou sair de graça.

Ainda quando estava 0 a 0, Roth fez outras substituições equivocadas. Tirou Éder Luís e pôs Alessandro, depois entrou o atacante Kléber no lugar do volante Serginho. Não adiantou nada ficar com três atacantes na área porque o problema estava no domínio do meio de campo. A partir daí o Goiás, que tinha seis jogadores contra três no setor, mandou no jogo e fez o seu gol.

Roth tem crédito, mas precisa armar alternativas para quando o adversário se fecha todo. Foi assim que perdeu pontos para Santo André, Botafogo e Goiás. E precisa testar um dos armadores talentosos que existem no elenco. Não dá para entender por que Renan Oliveira e Tchô não ficam nem no banco. Se os dois não prestam, que se contrate um jogador para armar jogadas e bater faltas e escanteios. Dá até raiva quando o juiz marca algo a favor do Galo, antes de bater já se sabe que não vai dar em nada.

E volta a realidade mascarada pela liderança, o Galo não tem time para ser campeão. Tem jogadores esforçados, mas se quiser pegar pelo menos a Libertadores tem de trazer pelo menos um meia e um zagueiro para serem titulares.

15 comentários:

Saulo disse...

Eu disse para outros blogueiros que o Goiás adora prejudicar os times que estão na frente e foi o que aconteceu.

Fabricio disse...

Pior que antes do Palmeiras e do Atlético, o Goiás tinha perdido em casa pro Avaí, se não me engano.

Mas ainda acho que o Atlético continua ali nas cabeças por um tempo. Só não desanimar como o Fredi já desanimou :-)

Anônimo disse...

Calma, sofredor!!!
Na última semana, eu lhe disse: É o seu galinho feio voltando ao seu estado de normalidade. Agora, feio mesmo, foi a torcida camaleão vaiar o time! Comemore, vocês ainda estão em primeiro.

fredi disse...

Vamos às respostas, Fabrício, não desanimei não...

Apenas digo o que estou falando desde o começo do campeonato, o Galo não tem time para ser campeão, mas vai disputar até 5o lugar.

Se trouxer mais dois titulares para as posições apontadas as chances aumentam muito.

E o Roth precisa criar alternativas de jogo contra times retrancados e quando o Galo não faz o gol antes, apenas isso...

Quanto ao Anônimo, como já disse, pode secar à vontade.

Agora, falar de torcida é complicado. A do seu time, o Cruzeiro, não apoia nem em final de Libertadores. Basta ver que 2 ou 3 mil de argentinos calaram os 60 mil da torcida azul.

Outra coisa, veja as médias de público nesse campeonato.

Ah, ia esquecendo, veja também as posições na tabela...

Anônimo disse...

Fred, a torcida do cruzeiro lotou o Mineirão. E mais, apoiou o nosso time mesmo diante da derrota. Mas, eu concordo com você e tenho repetido aos atleticanos, esse time seus não chegará a lugar nehum. Mais. Sobre a sua torcida; com ingresso a R$1 seria ridículo o estádio vazio. O fato concreto é que dez cruzeirenses existe um atleticano no Mineirão.
Eu até concordo que os ingressos deveriam ter preços de dose de pinga - como faz o galinho feio - para atingir as massas, mas essa não é a opnião do "vendedor de linguiça" que dirige o Cruzeiro. Pena!!!
Atenção, mesmo assim: A máquina azul começou a engrenar...

fredi disse...

Anônimo, tudo menos faltar com a verdade.

O Galo está cobrando R$ 20 a arquibancada, que tem ficado lotada. E R$ 40 a cadeira especial.

R$ 2 é a geral, onde nem dá para ver o jogo. Com direito a estudante pagar meia para chegar ao teu R$ 1.

Com relação à final da Libertadores, vcs ficaram calados, só incentivaram na hora que fizeram o gol, depois do empate não ajudaram em nada, ficaram mudos.

Comparar as médias do Galo e do Cruzeiro em todas as edições do brasileiro é ridículo para vcs.

Temos as melhores médias do país, já vcs vão ao campo apenas quando a arrogância de melhores do mundo permite.

fredi disse...

Por coincidência, hj o PVC publicou as maiores médias de torcidas do campeonato brasileiro. Em nenhuma delas está o Cruzeiro...

1. Flamengo (1980) - 66.507
2. Flamengo (1982) - 62.436
3. Flamengo (1983) - 59.332
4. Atlético Mineiro (1977) - 55.664
5. Internacional (1975) - 51.692
6. Corinthians (1976) - 47.729
7. Flamengo (1987) - 47.610
8. Internacional (1979) - 46.491
9. Bahia (1986) - 46.291
10. Flamengo (1981) - 43.614
11. Flamengo (1992) - 42.922
12. Atlético Mineiro (1999) - 42.322
13. Atlético Mineiro (2009) - 41.625

Glauco disse...

Ué, isso é uma discussão de "o meu é maior que o seu"?

fredi disse...

Pode até ser encarado assim, Glauco.

Mas o que aconteceu é que o Anônimo comparou as torcidas e partiu de uma mentira, de que o público do Galo é grande porque o ingresso custa R$ 1.

Nada como restabelecer que minha torcida é maior que a dele (rs).

No Brasileirão o galo tem média de 41 mil torcedores nos jogos em casa (com arrecadação de cerca de R$ 700 mil por jogo), enquanto o Cruzeiro não chega a 15 mil.

Alan Rodrigues disse...

Não sei se você sabe, mas qualquer jogo do Cruzeiro parte de 20 mil torcedores que são os sócios, se eles vão ou não é outra coisa. Existe uma diferença gritante entre público e renda; o Cruzeiro preocupa-se com a renda - posição que milito contra - não é minha opnião, mas é de quem administra a Nação Azul e Branca.
Quanto aos valores do ingresso... cada guerreiro da Máfia Azul equivale a cinco simpatizantes da camaleão, galoucura. São fatos!

Anônimo disse...

Ah! Ô Fredi, enquanto a torcida camaleão "lota" o minierão, a conta de água do canil foi cortada (hahahahahahaha)

fredi disse...

Anônimo, não sei por que perco meu tempo...

Mas vai lá, além do linguajar chulo, o que é canil? Onde? A torcida do Galo é formada por cachorros? Não entendi...

Se vc estiver se referindo ao CT do Galo, não houve nenhum corte de água.

Havia uma dívida de anos atrás com a Copasa, que foi trocada por publicidade.

Paro por aqui, não responderei mais suas bobagens...

Maurício disse...

Que me perdoem a ignorância, mas de onde vem essa história de "torcida camaleão"?

Anônimo disse...

Caro Maurício, tenho o prazer de lhe explicar: A torcida da agremiação do Fredi troca de uniforme todas as vezes que o Cruzeiro chega à uma final, já que eles não chegam em lugar algum; trocam de cor a toda hora.
Tem outro apelido: Torcida Elvis Presley - deu show em 70, morreu, e seus fãs ainda acreditam que ele esteja vivo.
Ô Fredi não apela estamos só brincando.
Em tempo: você deve voltar mais a suas origens, Canil é o local onde fica a cachorrada; a torcida Camaleão!

Maurício disse...

Ah, agora eu entendi.

Aproveitando o ensejo, o Anônimo, vc bem que poderia se identificar. Fica mais divertido.

Abraço