Destaques

sábado, outubro 04, 2008

Cabeça-a-cabeça: dois jogos em casa, duas viradas

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Grêmio e Palmeiras venceram em casa. Ambos de virada. Ambos têm 50 pontos, ficam a quatro do terceiro. E o Verdão segue líder. Mas as coincidências vão além e a emoção foi acompanhar dois jogos ao mesmo tempo.

Aos 31 da primeira etapa, no Palestra Itália em São Paulo, Renan Oliveira marcou para o Atlético-MG, com um chute no canto direito de Marcos, o goleiro. Aos 30 minutos do primeiro tempo, no Olímpico em Porto Alegre, Renato Silva fez 1 a 0 para o Botafogo contra o Grêmio na sobra de Victor.

Viradas só no segundo tempo. Aos 18 minutos. Por ter começado dois minutos antes, a do Palmeiras, pelos pés de Alex Mineiro, aconteceu antes.

O tricolor gaúcho mandou fechar a conta depois de o zagueiro Réver subir mais do que a zaga da Estrela Solitária, 2 a 1. O alviverde paulistano ainda faria, com Denílson, aos 33, 3 a 1.

Diferenças também na hora do empate, já que, na capital gaúcha, demorou três minutos para sair dos pés de Douglas Costa. Em São Paulo, foram 13 minutos para o lateral-esquerdo Leandro deixar tudo igual. Outra variação foi haver vantagem numérica para os paulistas em seu jogo. A equipe do nada modesto Vanderlei Luxemburgo enfrentou um time com dez jogadores a partir dos 37 da primeira etapa, antes do empate, quando o atacante Marques recebeu o segundo amarelo ao pôr a mão na bola. Quando o Botafogo teve Jorge Henrique mandado para o chuveiro mais cedo, Léo foi junto aos 46 do primeiro tempo, e já havia igualdade no marcador.

Tudo bem, não foi tão parecido assim, mas na hora do jogo foi mais tenso.

Nem tão fácil
A rua estava movimentada por parte dos 27 mil palmeirenses que queriam ver o time vencer em casa e se manter na liderança do campeonato. Foi o que viram, apesar de a partida não ter sido tão fácil quanto eu imaginava. Ainda mais quando três jogadores do Galo, Mariano, Calisto e Lenílson, foram barrados por terem caído na noite paulistana. Todos os três estiveram em campo no empate sem gols com o Figueirense na rodada passada (Castillo entrou no segundo tempo).

Tudo bem, confesso, eu esperava uma goleada, mas como quem saiu na frente foram os visitantes e o Atlético-MG ainda deu trabalho, não se pode dizer que tenha sido exatamente simples. Os mineiros cederam a virada quando não conseguiram (ou desistiram de, dependendo do ponto de vista) jogar no início do segundo tempo.

Isso é bom para lembrar que só o técnico Luxemburgo é que pode ter arroubos de já-ganhou, desde que não passe isso para os jogadores.

Denílson entrou no segundo tempo e fez a diferença nos dois gols que saíram. Ao entrar no lugar de Élder Granja, deu-se a tradicional troca de lateral por meia. No primeiro lance em campo, ganhou uma corrida repleta de agarrões e empurrões com o lateral atleticano, fez o cruzamento para o gol de Alex Mineiro. Léo Lima também entrou bem no lugar de Pierre. Os paulistas vão agora ao Orlando Scarpelli pegar o Figueirense.


Atualizado à 1h56 de 6 de outubro

5 comentários:

Esteban disse...

PARA NOSOTROS FÚTBOL BRASILEÑO ES DECADIENTE .
Hola.
Yo estoy en brasil a trabajo y tengo mucha curiodidad en saber cuál la razión que usteed brazucas hablan que su fútbol es lo mejor del mundo
Caros brazucas, usteed hablan mucho que su fútbol es lo mejor del mundo, más acá nosotros sabiemos que no es verdad.
La verdad es que su fútbol es hoy un fútbol mucho depediente de nuestros kracks para hacer su fútbol triunfar.
Los equipos de brasil tiene hoy una gran necesidad de jugadores Argentinos para hacer fútbol, de brasil triunfar en su canpeonato.
En Argentina nuestros equipos no preciza y no queren jugadores brasileños porque nuestros jugadores tiene una gran superioridad en atualidad sobre los jugadores brasileños.
Una gran verdad: Los jugadores Argentinos que acá son Débil y mediano hacen mucho Éxito en brasil. Razión la cuál si prova más una vez que su fútbol es mucho débio y mediano.
Perdón por nuestra sinceridad y portuñol.
Saludo

Marcão disse...

Uma rodada que levou do nada ao lugar nenhum. Ou melhor: encurtou a distância entra a taça e as mãos do Luxemburgo...

Alex disse...

Anselmo, hilário foi ver a alegria do Neto e do locutor na Band, que transmitiam o jogo dos bambis enquanto esses ganhavam e o Verdão e o Grêmio perdiam. Após os empates, ainda estava bom, pois os gays ficariam só a 2 pontos. Após as viradas, velório. Midiazinha bambi é embaçada.

Nicolau disse...

Tragicamente, Palmeiras rumo ao título.Só pra constar, eu nem vi o lance, mas dado o recente histórico de ajudazinhas no Parque Antártica, queria saber: a expulsão do Marques foi justa?

Anselmo disse...

Corintiano falando de ajuda de árbitro é até engraçado.

O Marques tinha cartão amarelo e pôs a mão na bola ridiculamente. Vá cobrar dele a estupidez.

Agora, tem chão e confrontos diretos pela frente. É deles que sai o campeão.