Destaques

terça-feira, outubro 14, 2008

Marta Suplicy 'ligeiramente' perdida

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

A estratégia de investir contra a vida pessoal de Gilberto Kassab (DEM), seu adversário na disputa em segundo turno pela Prefeitura de São Paulo, foi mesmo um tiro no pé para Marta Suplicy (PT). Após ser criticada publicamente até pelo ex-marido, a candidata, que é psicóloga e sempre defendeu a diversidade sexual, perdeu ontem um importante grupo de apoio neste segmento. Com tantos argumentos para politizar a campanha, Marta parece "ligeiramente" perdida, ainda refém de decisões desastradas de sua assessoria de marketing. E nas ruas paulistanas mostra-se ainda mais desnorteada, cumprimentando até "eleitor" inanimado. Confiram:

14 comentários:

Glauco disse...

A insinuação da campanha é de um ridículo atroz. Já havia falado aqui mesmo sobre essa atitude de alguns militantes, mas nunca achei que fosse ser incluído na própria campanha... Lamentável.

Mas, a bem da verdade, o quase cumprimento na manequim ocorreu ainda no primeiro turno, quando Marta liderava as pesquisas.

fredi disse...

Marcão, nada contra publicar as fotos, apenas ela já apareceu em todos os jornais há muito tempo. Não há deslize da Marta que não seja amplamente repercutido. Daí o Futepoca só vai na onda.

Sobre as insinuações da homossexualidade do Kassab acho que de nada ajudam. É desespero.

Chico Silva disse...

Marcão, você é mesmo um sujeito cortês. Dizer que ela está ligeiramente perdida é de um bondade sem tamanho com a moça. Ela está completamente perdida, desesperada e o pior dos mundos, mal assessorada. Aliás, isso até não me surpreende. Não se poderia esperar nada diferente de quem tem do lado um tipo descerebrado e truculento como esse tal Vladimir Garreta. Isso contar Rui Falcão, Tatolândia e outros que vêem no poder a única saída para a sua existência. Triste fim da sexóloga que virou homofóbica. E o pior é ter que agüentar os Kassabs e Serras da vida por mais quatro anos.

Marcão disse...

Tem razão, Fredi, concordo com teu argumento. Mas a recuperação do engano foi feita apenas para tabelar com o desnorteamento e desespero de agora. No mais, essa campanha já era. O Chico tem razão em tudo o que diz. Pra quem vive em São Paulo, como a gente, foi um harakiri eleitoral profundamente lamentável.

Anônimo disse...

Amigos, a Marta respresenta ou está ao lado do que há de pior no PT. Acho até que a ala covista do PSDB é melhor do que essa turma aí. Mas vejamos pelo lado bom da coisa. Acredito que dessa vez eles serão varridos do mapa. Quem sabe assim o partido não melhora? Só nos resta torcer.

Chico Silva disse...

Olha eu aí de novo. E mais. Depois dessa derrapada estou seriamente inclinado a votar em branco. Só uma surra muito grande para essa gente ter a noção exata da merda que fez. E o tal João Santana? Esse mostrou que só sabe trabalhar quando o jogo está ganho. Para quem não sabe, se é que alguém não sabe, ele foi jornalista em Brasília. Parece que carregou para o marketing político o que há de pior na cobertura e no corpo a corpo jornalístico da corte. Para ele vale o slogam invertido da boa campanha que fez para o Lula. "Não deixa o homem trabalhar". Ah, o autor da outra mensagem que saiu Anônimo é o mesmo que escreve esta. Chico Silva. Abraço

Glauco disse...

Como diria o filósofo, o jogo é jogado e o lambari é pescado. A Marta vai reduzir essa diferença pro Kassab até a eleição, só não sei se será suficiente.

Anselmo disse...

a marta tá perdida, ter os Tatto do lado tá longe de ser a "melhor parte" do PT, as insinuações foram patéticas...

mas lendo a idéia do anônimo de torcer pra essas figuras serem "varridos do mapa" me lembra de um detalhe que, no contexto atual, me deixa triste. o melhor seria torcer pra que os "varridos do mapa" fossem os candidatos do DEM em prefeituras de capitais. A única que eles vao levar é justamente a maior cidade do país. Ficar só com o governo do DF, sem vitrine nenhuma poderia ser um golpe de misericórdia na legenda que é a nova roupagem do PFL-PDS-Arena.

É triste.

Brunna disse...

quase um voto últil. Vamos varrer o DEM. Vote 13... uma campanha pro futepoca pensar.

Maurício disse...

tudo é muito triste. a marta só tem feito campanhas desastrosas. quando perdeu a reeleição, tinha acabado de fazer uma gestão excelente, mas pecou por coisas como querer fazer um monte de obras no último ano, sem dar conta direito, inaugurando antes do tempo, inventando CEU da saúde...
torço para que se recupere, pois concordo que erro de campanha, por mais ridiculo que seja, não deveria pesar mais que a qualidade do trabalho político de fato.

Nicolau disse...

Póisé, então. Discordo do Chico Silva quando diz que a ala covista do PSDB pode ser melhor que a da Marta no PT. Não em termos de prática político-eleitoral, mas a administração da Marta foi muito, mas muuuito mais interessante que o governo e meio do Covas no estado de São Paulo. O Covas politicamente era um cara até interessante, mas lembremos que foi ele quem colocou Rose Neubauer na Secretaria de Educação e implantou a aprovação automática. E concordo com Anselmo e Brunna: se é pra escolher entre varrer o DEM das capitais ou os Tatto do PT de São Paulo, eu detono os ex-Arena de olhos fechados.

Glauco disse...

Quem é a ala covista do PSDB? O herdeiro Alckmin é "covista"? Se sim, quero distância da tal ala.

Chico Silva disse...

Aqui vai o anônimo e o Chico Silva, que são a mesma pessoa, de novo. O ideal seria varrer tantos os Tattos, os Ruys Falcões, os Garretas e os Zaratinis e os Demos de uma vez do mapa. O problema é que a varrição, opa, sem nenhuma referência ao suspeitíssimo contrato do lixo assinado na gestão Marta, de um elimina a do outro. Infelizmente. Viva o PT de Luiziane, de João Paulo, de Maria do Rosário, de Marina Silva, de Marcelo Deda e de Jorge Vianna. Lata do lixo da história para esse PT paulistano que só enxerga o poder e acaba cego por ele.

Chico Silva disse...

Não, Glauco. O Alckmin se escorou no Covas para tentar ser alguma coisa na vida. Tanto que morreu como o seu padrinho. O Alckmin é da ala Opus Dei. E dessa eu também quero distância.