Destaques

sexta-feira, maio 08, 2009

Mexicanos desistem e São Paulo passa às quartas da Libertadores sem jogar

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

A cantada e decantada gripe suína vitimou os times mexicanos na Libertadores. Chivas e San Luis simplesmente desistiram da competição depois de São Paulo e Nacional do Uruguai terem enviado ofício à Conmebol se negando a disputar as oitavas no país "contaminado". Agora o Tricolor espera o adversário que virá do confronto entre Cruzeiro e Universidad do Chile. Ou seja, Cruzeiro.

Após vetar os jogos na terra de Zapata, a Confederação Sul-Americana de Futebol havia voltado atrás graças às garantiaas dadas pela Federação Mexicana de Futebol (FMF) de que a epidemia está controlada.

No ofício tricolor, segundo Uol, o clube brasileiro alegou que "o risco a que se expõem os atletas do São Paulo Futebol Clube e sua Comissão Técnica não configura mera suposição". Disse também que haveria problemas para o time voltar ao Brasil, já que teria que cumprir exigências das autoridades brasileiras, possivelmente uma quarentena. Não sabia que pessoas que voltam do México tem que passar por quarentena na volta ao Brasil. Talvez nem as autoridades sanitárias brasileiras saibam... A argumentação poderia ser melhorzinha, diretoria sãopaulina.

Depois que provocações baratas e bairristas fizeram um jogador mexicano tossir em um rival, parece que a tal gripe reforça mesmo preconceitos. Sarkozy chegou a sugerir que se proibissem voos da União Europeia para o México e o vice-ministro da Saúde de Israel, para evitar citar a denominação "suína" (o porco é considerado um animal impuro no judaísmo), sugeriu que a doença mudasse de nome para "gripe mexicana", parece que os hermanos da América do Norte vão sofrer mais com a discriminação do que com a doença em si.

Perguntar não ofende: porque ninguém sugere suspensão de voos e quetais para os EUA, já que comprovadamente diversos casos da doença na Europa - e um no Brasil - foram trazidos por gente que foi pra terra do tio Sam?

Atualização, 19h12: a Conmebol quer que a disputa das oitavas seja feita em partida única, nas casas de São Paulo e Nacional. Os mexicanos já avisaram que não topam, mas reviravoltas podem vir, já que esse imbróglio já teve inúmeras idas e vindas.

7 comentários:

Nicolau disse...

Caramba, até doença favorece o São Paulo, impressionante! Provocações a parte, eu não acompanhei muito bem e ainda não entendi direito o tamanho do problema que representa essa nova gripe. Alguém sabe me dizer se é pra tanto barulho?

Luis Henrique disse...

Independente do preconceito, será que dá mesmo pra manter o jogo no México? Eu tenho minhas dúvidas.

Thalita disse...

eu não aceitaria jogar no México agora não, eles que me desculpem... Imagina se um jogador volta de lá espirrando. Vão ter que ficar isolado, sem treinar, até descobrir se a gripe é normal ou a nova. E a delegação vai ficar toda sob suspeita. Não dá mesmo.

Maurício disse...

Eu acho que o Muricy tem razão. Avançar na Libertadores depende muito pouco do técnico.

Guzz disse...

Digamos que está marcado um jogo e um dos times não comparece. O que acontece com ele? Perde por WO e pelo placar de 1x0. Correto seria o 2o jogo começar ja com essas condições.
Esse blá blá blá de 'estamos com medo' é conversinha de criança mimada que não sabe sair pra rua sem estar debaixo da saia da mamãe.

Fabricio disse...

Concordo com a não realização de partidas no México. Talvez mais pra frente quando a gripe estiver controlada (como está caminhando).

Mas não dá pra ignorar o fato da diretoria do São Paulo ser tão hipócrita. Soltar um comunicado pra imprensa daqui dizendo que aceita a determinação da Conmebol mas para a entidade afirmar que não joga é demais pra minha cabeça.

Glauco disse...

O Emir Sader elucida aqui o que acho e já comentei sobre o fato. Desrespeitar o parecer das autoridas mexicanas é algo canhestro e só colabora com o preconceito e a desinformação. Aliás, se a Conmebol já tinha posição em não fazer o jogo, porque perguntar pras autoridades mexicanas?