Destaques

segunda-feira, junho 29, 2009

Baru eu sofri...

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Júnior, nessa partida,

jogou mal.
Foto: Estado de Minas/UAI









Podem dar cartão vermelho direto para o trocadilho do título, verdadeiro, mas nem é original. Na comunidade oficial do Galo no Orkut, antes do jogo estava a brincadeira do Baru eu ri... que depois foi trocada pela confissão acima. E nada mais verdadeiro.

Tarde de sábado, frio, chuva, mas mesmo assim resolvi deixar o pay-per-view em casa e conhecer a Arena Barueri e ver o Galo ainda líder jogar.

O pneu do carro da carona furado no caminho já deveria ser um presságio para a meia-volta. Mas não, insistimos, porque o atleticano, na frase imortalizada de Roberto Drummond, torce até contra o vento, e lá fomos eu e mais uns 2 mil atleticanos tentarmos derrotar a chuva.

A santa capa descartável comprada não resolvia muito, mas o grito Gaaaallooo antes do jogo esquentava, claro que junto com as cervejas tomadas no buteco da esquina antes das catracas da arena.

Daí vem o pior, o jogo. Primeiro gol... mas ainda vamos reagir. Júnior atrasa uma bola de bobeira para o Aranha que faz ainda pior, segundo gol do Barueri. Pelo menos acaba o primeiro tempo.

Fila no banheiro, cachorro quente (frio) para a fome, e vamos lá de novo...

O Galo volta melhor, empata o jogo em dois pênalties que nem sei se foram porque estava no gol contrário e fiz questão de não ver os lances na TV. A torcida do Galo, que era maioria, começa a gritar e empurrar o time, parece que tudo vai dar certo...

Só uma certeza estraga tudo... Se o juiz marcou dois pênalties lá, vai marcar um aqui para compensar a qualquer hora. Foi quase isso...

Numa falta que me pareceu nem acontecer, porque foi na minha frente, atrás do gol em que estava, ele marca na entrada da área e expulsa o zagueiro Werley. Na cobrança, a bola bate na barreira e engana o goleiro. Com 3 a 2, a partir daí só deu Barueri. Sorte que faltava pouco para acabar em 4 a 2.

Resumo, o Galo começou bem o campeonato, mas tem de se reforçar logo. E precisa de um esquema para jogar em campos menores e com chuva. Com os jogadores que tem, na maioria baixos e rápidos, não tem esquema para um jogo como este contra o Barueri, que conta com zagueiros fortes e marca bem.

Agora, é ir em frente. Já está combinado que no próximo jogo em São Paulo, eu, Márdel e Ricardo, os companheiros de jornada, com os pés frios pelo inverno e a chuva, tentaremos esquentá-los em outro estádio. Mas daí só conto se ganharmos...

9 comentários:

Fabricio disse...

"E precisa de um esquema para jogar em campos menores e com chuva."

Dá próxima vez melhor entrar com chuteiras "biscoito" para campo molhado em vez de chuteiras "slick".

Cada vez mais parecendo o Palmeiras 2001 com o Roth. Naquela ocasião fomos bem até a 12.a rodada, com apenas duas derrotas para Santa Cruz e São Caetano. Na 13.a levamos 2x0 da Ponte no Palestra e a vaca foi pro brejo de vez.

fredi disse...

Fabrício, secar o time dos outros, tudo bem... Até porque sempre escrevo que o Galo não tem time para ser campeão...

Agora vou explicar o que quis dizer com esquema para campos menores e com chuva (rs). Se quiser, da próxima vez desenho.

É que precisamos de jogadas de cruzamento, de faltas e escanteios (ia escrever bola parada, mas isso não existe, né), além de um atacante de força para "brigar" com o zagueiros e fazer gol de canela num jogo como esse.

Tardelli e Éder Luís funcionam no toque de boa e em velocidade, o que fica difícil nas condições descritas.

Fabricio disse...

Mas com mais um atacamente o time vai ficar mais vulnerável. A menos que o atacante que entrar dependa do clima. Aí pode ser. Com chuva entra o trombador. Com campo seco o velocista. Gostei!

Anselmo disse...

o problema de celso roth é o problema de celso roth. começar bem e terminar mais ou menos, perder fôlego. Foi mais longe do que nunca com o grêmio, mas tbém refugou. de repente muda.

sobre um trombador pra dias de chuva, é interessante a variação. só q se eu fosse atacante, ficaria meio decepcionado de só ser escalado quando são pedro mandasse descer água do céu.

mas claro q se eu fosse jogador, seria só trombador, não seria atacante. ó, ó...

Glauco disse...

Nem trocadalho, derivação de trocadalho qualificado e por motivo torpe. Pena máxima!

Mas quais são as dimensões do gramado da Arena Barueri?

fredi disse...

Glauco, pesquisando no site oficial do Barueri, as medidas são de 107 m por 70 m.

Pode não parecer muita coisa a mais, mas o Mineirão tem 110 m por 75 m.

Maurício disse...

Mas que trocadalho é esse????

Pelamordedeus, Fredi, você já foi melhor nisso!

Arvro disse...

"A menos que o atacante que entrar dependa do clima. Aí pode ser. Com chuva entra o trombador. Com campo seco o velocista"
Hehehehe, isso é inspirado no Hattrick, né não??

Anônimo disse...

Grande Fred. A paixão alvi-negra sobrevive a milhões de coisas. O pneu não furou somente, rasgou.... Mas lutamos sempre por dias melhores e continuaremos batalhando por melhores dias no Galo. Estaremos juntos nos próximos jogos com certeza!!

Márdel