Destaques

segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Agora o DEM acaba?

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Até 2008, o Democratas, ex-Partido da Frente Liberal (PFL), tinha os prefeitos de duas capitais e um governador de estado. Muito menos do que no período em que compunha, como parceiro prioritário, o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). A mudança de nome, em 2006, foi parte de uma estratégia de redefinir funções e superar o ranço anacrônico e desgastado que povoava o imaginário do eleitor sobre a turma que já foi Arena e PDS.

As coisas estão confusas para o lado do DEM

César Maia teve seu mandato encerrado, passando a bola a Eduardo Paes no Rio de Janeiro. Ficaram Gilberto Kassab, reeleito em São Paulo, e José Roberto Arruda, no Distrito Federal.

Este último sequer reside nas fileiras do partido. Em meio à maior crise político do DF, Arruda está preso há 11 dias, desde quando também se licenciou do cargo. Antes, havia se desfiliado para evitar uma expulsão. Era cotado para ser vice do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), por analistas – o que deu origem ao "vote em um careca e leve dois".

No sábado, Kassab foi cassado. A decisão será publicada apenas nesta terça-feira, 22, no Diário Oficial. Os advogados de defesa tiveram já dois dias para preparar os recursos e reverter, por liminar, a sentença do juiz Aloísio Sérgio Resende Silveira, da 1ª Zona Eleitoral. Situação semelhante passaram 13 vereadores da capital, todos da base de Kassab – outros três aguardam julgamento.

O problema são doações de R$ 9,6 milhões, um terço do total arrecadado pela campanha, de fontes consideradas irregulares pela Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo. Mesmo antes do anúncio, Kassab manifestava a assessores a certeza de que seria, de fato, cassado, mas poderia reverter tudo na segunda instância.

É no Tribunal Regional Eleitoral que moram as esperanças do DEM.

Seus dois expoentes em cargos do Executivo estão na berlinda. Os dois tiveram vínculos com Serra, até por estarem nessa posição de destaque. A possibilidade de o DEM indicar o vice de uma chapa tucana pode ser atrapalhada. Aliás, o Kassab formou chapa com o tucano na disputa à prefeitura, além de ter conseguido seu apoio informal mesmo com uma candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) ao cargo.

Elos com Serra à parte, dos 14 senadores do DEM, oito têm seus mandatos em disputa neste ano. Para um partido que viu sua bancada cair de 84 de 2006 para os atuais 56 em exercício (foram 19 eleitos a menos e nove abandonaram o barco desde então). Naquela disputa, o agrupamento miguou de um partido grande para um médio.

Em meio a sua maior crise pelo menos desde que mudou de alcunha e com riscos de não ter um nome de peso para compor uma chapa com um José Serra – que já acumula desgastes demais para um ano eleitoral que nem passou do segundo mês –, será exagero se perguntar se agora o DEM acaba?

Em tempo, ninguém aqui falou em "se ver livre dessa raça" e muito menos que está "encantado" com a sequência.

Em tempo 2: Kassab conseguiu efeito suspensivo da decisão. Até que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) se pronuncie, ele mantém-se no cargo.

15 comentários:

Nicolau disse...

Segundo vi por aí, o companheiro Lula falou que um dos objetivos de 2010 é destronar alguns desses senadores pefelistas, como Arthur Virgílio. Morrer acho que não morre, acho que os absolutos são minoria na política. Mas fatalmente vai sair das urnas menor do que entrou. Se se manterá assim, vai depender de quem levar a eleição presidencial. Se der PSDB, acaba recebendo um monte de novos deputados. Se der PT, vai ficar à míngua.
E quais seriam as consequências desse enfraquecimento do partido mais à direita? O PSDB já vem ocupando esse espaço. Uma fusão seria considerada? O PMDB acabaria indo mais pra direita? Será que se abre espaço para mais um partido, como o PSB?

Sartorato disse...

Arthur Virgílio é PSDB, mas a confusão é justa. Quase não faz diferença.

Nicolau disse...

Po, tem razão, mal aê, rs!

luis augusto simon disse...

O medo que eu tenho é de o DEM aderir ao PT. Impossível? Loucura? Sei que parece isso, mas convenhamos que a sanha de poder dos Demos sé tem paralelo na sanha de "governabilidade" de parte do PT. Assim, em nome de enfraquecer o PSDB, de isolar a oposiçaõ etc e tal...pode aparecer algum Vicente Cândido com mais calibre para defender uma merda dessa....

fredi disse...

Coisa ruim não acaba não.

Vão inventar outro partido dos senhores de engenho.

Agora, não acredito em sorte, mas desde que mudou de nome o antigo PFL não tem se saído tão bem assim.

E fazendo o que sempre fez.

Será que o país melhorou até nisso.

Aí já é otimismo demais.

Anselmo disse...

Bravatas à parte, tbem acho q não acaba. mas bravata é bravata.

agora, acho que dá uma bela minguada.

Se o nassif estiver certo (ou perto disso), independentemente da diminuição do DEM, o PSDB passa por problemas sérios depois da eleição. mas eu acho exagerada a análise.

Neide disse...

Não quero semear o pânico; mas acho que essa cassação do Kassab é só para ingles ver; A Justiça Eleitoral quer mostrar imparcialidade e isenção, mas já está planejando pedir a cassação é de petistas; pelo que sei a ordem na Justiça Eleitoral é passar pelo pente fino tudo que se refere ao PT; eu fui delegada do partido nas eleições de 2008 e só o que vi foram punições aos petistas; inclusive a prisão totalmente sem fundamento de uma militante do Movimento dos Sem Teto que no fim foi absolvida. Mas amargou uma semana na cadeia; recebeu liberdade provisória numa sexta-feira, mas a diretora do presídio só a libertou no sábado, porque na sexta a moça do carimbo já tinha ido embora; mas qual não foi o meu espanto quando a dona da Daslu saiu do mesmo presídio as 8 horas da noite, dias depois. Certamente naquele dia a moça do carimbo estava fazendo hora extra. Pode ser paranóia minha, mas eu estou sempre com um pé atrás com a Justiça, principalmente porque sou advogada e a maioria dos meus clientes pertencem aos " três pês".

Alex disse...

E se por algum milagre Kassab e vice forem mesmo cassados, quem assume? A segunda colocada na eleição?

Anselmo disse...

Alex,
se o prefeito e a vice estiverem impedidos, assume o presidente da Câmara de vereadores. Se houver problemas tbem pra ele, quem vai ao cargo é o secretário de Negócios Jurídicos da prefeitura. No caso, Cláudio Lembo seria o cara. Mas isso é mais improvável que os autores do futepoca se reunirem no bar pra tomar só água mineral.

mas kassab já conseguiu neutralizar a decisão da justiça.

Nicolau disse...

Mas é efeito suspensivo, ele ainda pode ser cassado nas instâncias superiores. E o TSE cassou o governador tucano Cassio Cunha Lima um tempo atrás. Vai que resolve manter a fama de rigoroso?

Neide disse...

E tem mais, se o Prefeito foi eleito com mais de 50% dos votos válidos deverá ser convocada uma nova eleição. Se não, assume o segundo colocado. Mas, acredito que isso só acontece (assumir o segundo colocado) em cidades onde não há segundo turno.

fredi disse...

Acho que não vale um post, apenas comentário.

E que nosso quase advogado Glauco nos ajude na discussão.

Primeiro, era um pouco de exagero dizer que ele estava cassado. Houve uma decisão de primeira instância na qual foi condenado, cabendo ainda recurso.

Outra coisa, não é que a Justiça suspendeu a sentença. Nesse caso, não sei em outros, ao entrar com recurso o efeito da decisão é automaticamente suspenso, sem nenhum tipo de julgamento de mérito.

É automático. Recorreu, suspende.

Não sei por que tantas manchetes e porque não explicam isso.

Marcão disse...

Eu acho que eles vão se fundir com o PSol.

Fabricio disse...

Se o DEM se juntar ao PSDC do Eymael o Olavo pula do prédio da Agência.

Marcão disse...

Ah, sobre o Kassab, o Estadao já tinha levantado a lebre há mais de um ano:

http://www.futepoca.com.br/2008/11/do-pt-seria-caixa-dois-do-dem-doaes.html

E gostei da sugestão do Fredi: o DEM pode virar o P-Sego (Partido dos Senhores de Engenho Organizados).