Destaques

segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Só não vê quem não quer

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Quando entrevistei Paul Singer (foto), secretário nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego, para o site da revista Fórum, ele encerrou assim: "está havendo, sim, uma grande transformação social no Brasil. É meio invisível, pois a maior parte das pessoas não sabe. Mas essa transformação está acontecendo e é muito encorajadora. Muitos dizem que ela só será percebida dentro de dez ou 15 anos. Eu acho que não vai demorar tanto assim".

Profético. Menos de um ano depois, leio, na edição de ontem de O Estado de S.Paulo, o seguinte: "Classe A ganha mais 303 mil famílias". Vamos a dois trechos interessantes da matéria, que não mereceu nem chamada de capa:

Dados compilados pela MB Associados, com base nas estatísticas do IBGE, a pedido do Estado, mostram que o rendimento médio da classe A é hoje 48% maior que em 2002.

O crescimento da renda não foi muito diferente entre as categorias: dobrou na classe A, cresceu 116% na classe B e 142% para a C.


Em terra de cego, quem tem (pelo menos) um olho votará em Dilma Rousseff.

2 comentários:

Anselmo disse...

se o Ciro for mesmo candidato à Presidência, quem votar nele terá quantos olhos?

Marcio-SJP disse...

Não existe almoço grátis! Sempre alguem vai pagar a conta!

O Empresário não é bonzinho, portanto o aumento na renda esta acompanhado do mesmo nivel em inflação enrustida.

A conta sempre deve ser paga por alguem!