Destaques

quinta-feira, março 18, 2010

Pragmatismo

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Lembra aquele toquezinho infeliz em escanteio no último minuto que eu detestei na partida do Corinthians contra o Independiente Medellin semana passada? Pois é, aconteceu de novo nessa quarta, no 1 a 0 contra o Cerro Porteño, no Paraguai. E dessa vez deu pra ver o técnico alvinegro gesticulando para os jogadores como quem diz “acabou o jogo, segura aí”.

Dessa vez irritou menos, porque pelo menos o time levou uma vitória após enrolação. E, durante os 90 minutos, a proposta de jogo, ainda que meio modorrenta, foi melhor executada. Elias, Jucilei e Danilo estiveram em boa jornada, garantindo mais fluência nos passes no meio de campo. O que não quer dizer necessariamente mais chegadas ao ataque.

A opção continuou sendo manter a posse de bola e cozinhar o jogo. Mas como errava menos passes no meio, a equipe conseguiu criar uma ou outra chance de gol e praticamente anular o Cerro, que teve, se bem me lembro, duas chances reais.

O Corinthians não teve muito mais que isso, na verdade. Umas três ou quatro, digamos. Uma delas em escanteio batido por Dentinho para Danilo desviar de calcanhar e Ronaldo empurrar para as redes - encerrando um curto (mas bem comentado...) jejum de 5 jogos sem marcar. Legal do gol foi ver o marcador do Gordo olhando a bola e se assustando ao vê-lo já dois passos na sua frente, livre pra marcar.



O jogo foi bonito? Não, nem de longe. Foi empolgante? Tampouco. Mas em algum momento deu realmente preocupação de perder? Não também. Mano Menezes resumiu a atuação com um “não fomos brilhantes, mas fomos práticos”. De fato, talvez até demais.

O time vai precisar de mais ousadia mais pra frente. Poucos times terão a incapacidade ofensiva do Cerro, que não conseguiu se aproveitar o recuo do Timão no segundo tempo. Insisto: ficar jogando só no seu campo é um risco que não considero valer a pena.

Mas o treinador mosqueteiro tem outro argumento difícil de rebater. “Quatro pontos em seis fora de casa. Temos de valorizar”, disse após o jogo. Some mais três da obrigação caseira e temos a liderança isolada do grupo, com sete pontos. Precisa mais? Sim, precisa. E confio que vai ter. Mas enquanto não tem espetáculo, contento-me com o frio pragmatismo dos números.

5 comentários:

Blog do Carlão - Futebol é nossa área disse...

Por ser apenas o terceiro jogo do torneio, a meu ver, tá bom demais.

Na minha opinião se pode exigir um melhor futebol, mais empolgante, mais para frente, lá pela segunda quinzena de abril, maio, junho.

É no mata-mata que o time tem que crescer.

Marcio-SJP disse...

Concordo que o futebol apresentado até o momento não é bonito, digo até cansativo de assistir, mas, como dizem, os pontos estão sendo conquistados.

Obs.: Como Corinthiano, não acredito que o timão vá apresentar em algum momento da Libertadores um futebol bonito...vai ser até o final o feijão com arroz.

Marcão disse...

Ronaldo é "o cara". É preciso respeitá-lo com o devido merecimento.

Olavo Soares disse...

O Corinthians jogou um futebol certinho ontem. Pra que desgastar o time e suar a camisa quando se tem um placar garantido? O Cerro é fraquíssimo e o Corinthians percebeu isso de cara.

Guilherme disse...

Não sei, mas me parece que tudo é friamente cauculado... inclusive o empate ridículo no segundo jogo... o Mano é muito bom, mas me parece um pouco racional demais... por enquanto ta indo, mas sei lá, vai que sai tudo errado, será que vão ter cabeça para correr atrás, para improvisar?
Sou corinthiano, mas ver um jogo ruim desse depois de ter visto o do Barcelona foi foda...