Destaques

quarta-feira, março 17, 2010

O Império Contra Ataca

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Sim, tá com todo cheiro de pizza, mas a simples abertura da CPI das Enchentes na Câmara de Vereadores de São Paulo, para investigar os contratos e convênios de serviços feitos pela Prefeitura e sua possível responsabilidade pelos danos e mortes dos alagamentos na cidade, já é um débito na fatura política do prefeito Gilberto Kassab (na foto, ao centro). Sim, sabemos que as porradas na Prefeitura, antes poupada de críticas, têm como finalidade desviar o foco do (des)governador José Erra, digo, Serra (PSDB), culpado por não limpar o leito dos rios e não soltar a água dos reservatórios. O Império Serrista, que elegeu Kassab, agora o ataca. E a Assembléia Legislativa seguirá arquivando toda e qualquer CPI contra gestões tucanas. Como diz o cínico slogan da propaganda tucana, "governo de São Paulo, cada vez melhor". Cada vez melhor para fazer as malas e fugir! De barco!

2 comentários:

Luis disse...

é isso aí!!!
Mas o Zé Pedágio morrerá nas prais alagadas do Tietê...

Guilherme Scalzilli disse...

E a conta vai para...

Em 2008, Gilberto Kassab reelegeu-se com fama de bom administrador. O rótulo foi muito propagado por neoconservadores de partidos “progressistas” como o PPS da subprefeita Soninha. A mentira tinha três utilidades: a) era argumento objetivo para justificar a proximidade com o DEM (PFL) de César Maia, ACM Neto, José Roberto Arruda e, digamos, Hildebrando Paschoal; b) neutralizava a única esperança de Marta Suplicy contornar sua rejeição pessoal e c) contrapunha os boatos sobre a suposta homossexualidade de Kassab com um discurso “do bem”, construtivo.
Hoje os defensores daquele “novo destaque da política nacional” desapareceram, embriagados de antilulismo boboca. A imprensa esgoela-se para blindar José Serra, que dirige a única administração com recursos e estrutura suficientes para resolver os problemas das enchentes, e cujo partido teve quase vinte anos para fazê-lo.
Como não se pode culpar indefinidamente as chuvas por tamanho desgoverno, alguém precisará assumir o papel de bode expiatório quando as desculpas meteorológicas parecerem idiotas demais. A imolação de Kassab ajudará também a configurar os arranjos eleitorais convenientes para os planos de Serra em 2010. Nada que ele já não soubesse na época em que o prefeito era um craque da administração pública.