Destaques

terça-feira, junho 12, 2007

Dia dos namorados o Cazzo!

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Do novo parceiro Parmerista, sempre citado, agora também linkado:

Dia dos namorados o cazzo. Depois de 1993, o dia 12 de junho será sempre lembrado como o dia daquele jogo. Sábado, frio, névoa. Palmeiras e Corinthians decidiriam aquele que foi talvez o último Campeonato Paulista de verdade, como nos velhos tempos. (...)

Para não me alongar demais, não vou contar a história do jogo. Todos sabemos que foi 4x0, com 3x0 no tempo normal e 1x0 na prorrogação, que Evair acabou com o jogo, que tínhamos um esquadrão, que Luxemburgo ainda era humilde, etc etc etc. (...)

Hoje completam-se 14 anos dessa que foi uma das maiores glórias da Sociedade Esportiva Palmeiras, e os corintianos reclamam até hoje de uma suposta arbitragem tendenciosa a nosso favor - pura choradeira de perdedor, eles não se conformam até agora de termos saído da fila exatamente em cima deles e com um 4x0. Todos que tiveram a chance de viver esse jogo devem ter alguma história para contar - e os comentários deste post estão aí pra isso mesmo.
O melhor é que ele pachou até a gravação da narração de Osmar Santos, sempre lembrado com saudades entre os autores do Futepoca.

Do time de 1993 quem tem saudade aqui é apenas a minha pessoa.

8 comentários:

Edu Maretti disse...

Só uma coisa: a frase segundo a qual aquele Palmeiras x Corinthians foi "o último Campeonato Paulista de verdade" não tem nenhum apoio na realidade.

Nicolau disse...

Título roubado e safado. Dia esquecível.

Glauco disse...

Olha quem tá reclamando de título roubado...

Tiago disse...

Opa!

Só pra registrar: o OV também tem saudades da esquadrão de 93.

E do de 96 mais ainda.

Você não está só rapaz...

Marcão disse...

Foi o famoso campeonato em que todo jogo tinha uma penalidade duvidosa pra Parmalat. O Evair marcou quase 20 gols de pênalti nessa toada. Mas, sendo contra o Curíntia, tá valendo.

Marcão disse...

Aliás, Sr.Nivaldo, lembrei que nessa história cabe muito bem o "ladrão que roubra ladrão tem 100 anos de perdão": no segundo jogo da semifinal entre SP e Curíntia, o Palhinha marcou um gol legítimo que foi anulado e, depois, o Neto fez o gol da vitória escandalosamente impedido. O mesmo se repitiria em 1998, quando o Curíntia precisou do Javier Castrilli pra passar pela Lusa na semifinal e, depois, perdeu do SP na decisão. Gerando o famoso coro: "Não é mole, não: roubar da Portuguesa pra ser vice-campeão!".

olavo disse...

Aquele foi um dos poucos dias em que torci pro Corinthians na minha vida. Temia, e muito, que meu time passasse a ser o com o maior tempo de fila - o que só cairia nove anos depois...

Anselmo disse...

me lembro que qdo o gol do palhinha foi anulado, os são paulinos disseram que era o esquema parmalat pra levar o corinthians pra final cm o palmeiras, adversário supostamente mais fácil para o alvi-verde do que otricolor.

era a soberba são paulina.

sobre "o último campeonato paulista", mantive o trecho pq a radicalidade taí pra confundir.