Destaques

sábado, junho 16, 2007

Medidor de fidelidade

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

É sempre uma discussão interessante - e em boa parte das vezes inútil pela falta de racionalidade - saber qual torcida é mais ou menos fiel. Existem aqueles que carregam esse rótulo pelo que fizeram em uma ocasião, há mais de 30 anos. A mentira repetida vira realidade. Mas o blog parceiro Onde a Coruja Dorme fez uma fórmula interessante para testar a "real" fidelidade das torcidas. Claro que a dita cuja vale apenas para o campeonato em questão e não pra todos os torneios. Segue abaixo o post e a fórmula:

Lembram aquela loucura que inventei no ano passado de torcidas mais fiéis? Criei até uma formulinha bem simples (posição no campeonato - posição no ranking de público = índice de fanatismo) pra ver quais eram as torcidas mais apaixonadas e as mais geladas das Séries A e B.

No ano passado, deu como campeões de fidelidade o Fortaleza na Série A e o Paysandu na B. Como ambos foram rebaixados, acho que os milhões de leitores do OCD desistirão de ir ao estádio apoiar seu time, já que é melhor um estádio vazio para um time que não cai do que um estádio lotado para um time rebaixado, não é?

Bom, fiquei curioso de saber quem seria o líder das torcidas mais fiéis do Brasileirão 2007 até o momento. Os reestreantes na Série A América e Sport fazem campanhas horríveis, mas suas torcidas comparecem e estão entre as mais presentes nos estádios. Por outro lado, o Paraná e o Botafogo estão bem, mas quem os acompanha é uma meia dúzia de gatos-pingados.

Na B, os torcedores de Santa Cruz e Ceará são os mais parceiros, e os de São Caetano e Gama os mais ausentes.Acho que vou atualizar esse ranking toda semana. Então, segura aí a classificação até a quinta rodada:

Torcidas mais fiéis

Série A

América: +16 (20º colocado/4º melhor em público)
Sport: +15 (18º/3º)
Grêmio: +12 (14º/2º)

Série B

Santa Cruz: +9 (13º/4º)
Ceará: +8 (11º/3º)
Paulista: +5 (18º/13º)

Torcidas mais geladas

Série A

Paraná: -15 (4º/19º)
Botafogo: -14 (2º/16º)
Juventude: -8 (12º/20º)

Série B

São Caetano: -14 (3º/17º)
Gama: -12 (2º/14º)
Criciúma: -4 (4º/8º)

2 comentários:

gerson sicca disse...

Glauco, o problema do critério público é q há diferenças qto a critérios de acesso aos estádios. Grêmio e Inter, p.ex., tem grande quadro de associados, o que garante um público mínimo. P/ quem não tem estádio o único jeito de trazer públicos p/ jogos q não sejam decisivos é baixar o preço do ingresso.
Abraço

Ricardo disse...

Fidelidade futebolística forja-se a ferro e fogo, na vivência, na importância e na relevância do time para a existência de cada um. Para os fanáticos em geral, independentemente do time, a fidelidade jamais será colocada em xeque. Há fatores sociais e desorganizacionais que interferem no público dos jogos no Brasil. O medidor de fidelidade careceria de tantas variáveis que, no fim, levaria a uma briga insolúvel nesse polígono amoroso. "Eu te amo mais", grita um; "Não, eu te amo mais", retrucam outros. Até que o objeto de amor se decide por não mais querer o amor. A Jamaica é um lugar fantástico...