Destaques

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

10 mandamentos para apreciar melhor a cerveja

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

1 - Ela sai pronta da cervejaria: não pede, portanto, envelhecimento. Quanto mais jovem for consumida, melhor será seu sabor. Dura, em média, 90 dias;


2- Deve ser guardada em pé, em lugar fresco e protegido do sol, para evitar oxidação prematura;

3- Deve resfriar na geladeira sem pressa. Não coloque no freezer, pois a violência no congelamento prejudica a bebida;

4- Depois de gelada, deve ser consumida e jamais voltar à geladeira;

5- A temperatura ideal para saborear as do tipo pilsen é entre quatro e seis graus. Tomá-las "estupidamente geladas", como se diz, prejudica tanto a formação de espuma na cerveja quanto "adormece" as papilas gustativas, comprometendo o sabor;

6- Copos e canecas pequenos e de cristal são os ideais, pois mantém melhor a temperatura e a espuma. Evite canecas de alumínio, que, além de feias, tiram o prazer de apreciar o visual do líquido dourado;

7- Resíduos de gordura no copo são fatais para a bebida, acabam com o colarinho e liberam o gás carbônico, deixando o líquido meio choco;

8- Tomar cerveja sem colarinho é uma heresia. Dois dedos de espuma são ideais para reter o aroma e evitar a liberação do gás carbônico;

9- A espuma cremosa revela a persistência e bom estado da cerveja. Para aproveitá-la melhor, sirva derramando uma dose. Depois, espere baixar o colarinho. Em seguida, incline o copo até 45 graus, despejando o líquido devagar enquanto o colarinho sobe;

10- Com 90% de água, a bebida é hidratante. E com apenas três a cinco graus de álcool, como as do tipo pilsen, a cerveja estimula o metabolismo - pelo menos quando ingerida moderadamente. Além disso, é rica em vitaminas, carboidratos, proteínas e aminoácidos. Apesar disso, não engorda. É folclore associar o consumo de 80 calorias de um copo de 200ml com a formação de barriga. Os acompanhamentos gordurosos é que engordam.

(Fonte: site República da Cerveja)
Você já votou no Futepoca no IBest? Não? Então clique aqui, faça o cadastro e dê seu voto pra gente.

12 comentários:

Edu Maretti disse...

é impossível cumprir esses mandamentos se a cerveja for uma Bavária, por exemplo. A de lata, nem colarinho forma, vc põe no copa e ela efervesce e o colarinho desaparece em alguns segundos, como sal de fruta Eno.

Portanto, quando quiser fazer alguma reunião e convidar amigos para beber cerveja, e se tiver em mente esses mandamentos, fique atento àqueles amigos-da-onça que levam à reunião ou festa uma caixa de Bavária mas bebem a da boa. Tá cheio deles.

Anselmo disse...

já vi fazerem pior. Já vi levarem nova schin e beber bramha extra. Naturalmente que a festa significou rompimento de relações e, por pouco, não terminou em tragédia.

Fernando Augusto disse...

"A bebida é hidratante"

Essa foi novidade pra mim. Porque então, se bebida com exagero, provoca ressaca, que é uma desidratação do organismo?

Fernando
http://sambaepolitica.blogspot.com

Marcão disse...

Creio que Bavaria, Antarctica (de lata), Nova Schin, Crystal, Sol e, principalmente, Kaiser, não podem ser consideradas, técnica e gustativamente, como cervejas...

Glauco disse...

Marcão, o item 1 se choca de forma violenta com uma história de Skol envelhecida, não?
Mas gostaria de saber o seguinte, quanto ao item 3. Se você compra no supermercado, o negócio tá quente, como esperar a geladeira fazer o serviço?

Edu Maretti disse...

só pra esclarecer: quando eu disse "da boa", não me referi à cerveja que usa esse termo como marketing. Mas qualquer "da boa", de que a brahma extra é ótimo exemplo...

Mas ainda bem que a tragédia pôde ser evitada, Anselmo. Agora, ainda bem tb que a relação foi cortada!!!!!

Marcão disse...

Para os dois questionamentos, vou usar uma expressão comumente usada por você, Glauco: "-É complexo".

Benedito disse...

Uma curiosidade, já que o assunto é cerveja. Uma vez, perguntei a um senhor alemão (acima de 70 anos), que morava no Brasil, qual a melhor cerveja do mundo? Ele, que viajava muito e era um apreciador da loirrrrinha gelada, me respondeu: "Aquela que é fabricada perto de onde você está". A explicação do herr era que, quando viaja muito, a cerveja perde parte da sua qualidade. Por isso, aqui no Brasil, ele só bebia cerveja brrrasileira.

Nicolau disse...

Fernando, ela é hidratante quando consumida moderadamente, como diz o post. O que o Marcão não esclareceu, e é dúvida que me atormenta há tempos, é a definição de "moderação" em relação a cerveja. Umas 4 garrafas per capita é moderado, não?

Marcão disse...

Curiosa essa história do Benedito, ela vem confirmar uma história que ouvi em Ribeirão Preto. Na época em que morei lá (1992), ainda corria a lenda de que havia um "chopeduto" subterrâneo que ligava diretamente a fábrica da Antarctica, perto da Rodoviária, até a choperia Pingüim, 8 ou 9 quadras acima. Seria por isso, portanto, que o chope de lá era especial. Mas um ex-garçom do Pingüim me disse que isso era balela e que o segredo, na verdade, é que a curta distância fazia com que os barris de chopes balançassem pelo menor tempo possível, ao serem transportados de caminhão - e isso garantia qualidade superior. Ou seja, se a choperia ficasse ao lado da fábrica, o chope seria ainda melhor.

Marcão disse...

E, Nicolau, se for pra sentar numa mesa e tomar só quatro cervejas (per capita), melhor nem começar...

Anselmo disse...

bora investir em uma fábrica artesanal de cerveja? é só tirar o chope e pôr pra gelar.