Destaques

sexta-feira, julho 11, 2008

Beber, cair, levantar

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Buenas, depois de um tombo cinematográfico, vários pontos no supercílio, duas costelas quebradas e dez dias no estaleiro, consegui saldar a dívida com a provedora e restabelecer a internet aqui em casa - e, conseqüentemente, o contato com o mundo dos vivos. Acidentes acontecem, mas sempre desconfio de praga de corintiano (rsrs). Brincadeiras a parte, o pior já passou: agora só dói quando respiro (pode parecer piada, mas quem já quebrou costelas sabe que é exatamente assim). O importante é voltar ao Futepoca e, aproveitando o resultado parcial da enquete sobre os assuntos preferidos pelos nosso leitores, vamos ao pitacos futebolísticos:

Seleção brasileira - Com o perdão da rima involuntária, a seleção convocada para Pequim não é de todo ruim. Dunga corre o risco de, aos trancos e barrancos, como em 1994, colecionar mais um título importante em seu currículo. Será que Ronaldinho Gaúcho conseguirá repetir o mesmo cala-boca que Ronaldo Nazário deu nos críticos em 2002?

Palmeiras - A aposta de Felipão em Ronaldo Obeso, aliás, pode ser comparada à de Vanderlei Luxemburgo no extraordinário goleiro Marcos (em termos de convicção e resultados). Não tem discussão: Marcos é seleção! E em todo jogo, o Palmeiras sempre livra, no mínimo, um pontinho. A continuar nessa toada, vai brigar, sim, pelo título. Neste domingo, vencerá o meu Tricolor.

São Paulo - Esse pessimismo - ou fatalismo - em relação ao meu time decorre menos dos últimos resultados do que da constatação, pura e simples, de que a equipe é fraca. Na justa derrota para o Náutico e no injusto empate contra o Ipatinga (que merecia ter vencido, não fosse o Rogério Ceni e a trave), comprovei que: 1) Como diz a Thalita, Richarlyson fora é reforço; 2) O time não tem lateral-esquerdo e, daquele lado, os adversários fazem a festa; 3) Joílson tem que jogar no meio, Muricy, no meio!; 4) Jorge Wagner e Aloísio já estão merecendo fazer companhia ao Dagoberto no banco, mas não há substitutos; 5) As prováveis saídas de Alex Silva, Hernanes e Miranda tendem a deixar a coisa ainda mais feia. Conclusão: temporada perdida ou uma (improvável) vaga na Libertadores. Um lugar na repescagem da primeira fase já mereceria rojões.

Santos - Não acredito que o Peixe seja tão fraco ao ponto de freqüentar a zona de rebaixamento, bem como o Fluminense. É fase - e deve ter algo a ver com a tal "terra arrasada" que Luxemburgo deixa quando sai de um clube. Os dois reforços mostraram serviço no último jogo e a tendência é o time engrenar. Só que algo me diz que não será com o Cuca...

Corinthians - Não acompanho a segunda divisão, mas a mídia "são-paulina" me mantém constantemente informado sobre as sucessivas vitórias e goleadas do alvinegro paulistano. Literalmente sem adversários, o clube deve garantir o acesso e o título de forma invicta, em pouco tempo. Não gostei da postura do Mano Menezes na derrota para o Sport, mas o trabalho que ele faz no Corinthians merece elogios.

Fluminense - Pra variar, era quarta-feira e não vi o jogo. Deu LDU, o que é melhor do que um time argentino. O Flu caiu - e eu também, quase que no mesmo horário...


Pronto, palpitei. Volto agora aos comprimidos de codeína, às cápsulas de cetoprofeno e ao colete que tenta manter os ossos soltos no lugar. E o Ministério dos Jornalistas que Vão ao Bar Sem TV na Quarta-Feira à Noite adverte: Se beber, não caia; Se cair, cuidado com os ossos; E se quebrar as costelas, evite hospitais públicos!

10 comentários:

Thalita disse...

que infortúnio, Marcão!

Maurício disse...

essa é a vida do meu filho: bebê cair, levantar.

Nicolau disse...

Cacete,mas que tombo foi esse, rapaz!?

Benedito disse...

Marcão, desejo pronto restabelecimento. Pra você, obviamente. Quanto ao seu time... rs rs rs... Força aí, compadre! Sobre seu comentário, dizem que a exceção faz a regra. Pois quando o Luxa deixou o Corinthians no fim de 1998 para treinar a Seleção Brasileira, não houve "terra arrasada". Pelo contrário. Em 99, o Timão conquistou o Paulista e o Brasileiro. E, em janeiro de 2000, o Mundial da Fifa. Talvez tenha sido exceção.

fredi disse...

Marcão, levanta aí e vamos em frente.

Náo sabia do que havia acontecido, mas força aí...

Marcão disse...

Obrigado a todos, amanhã já estarei de volta ao batente. Pra frente é que se anda - mesmo que seja com dor (rsrsrs).

Aliás, isso me lembrou um dos melhores poemas do Paulo Leminski:

um homem com uma dor
é muito mais elegante
caminha assim de lado
como se chegasse atrasado
andasse mais adiante

carrega o peso da dor
como se portasse medalhas
uma coroa um milhão de dólares
ou coisa que os valha

ópios édens analgésicos
não me toquem nessa dor
ela é tudo que me sobra
sofrer, vai ser minha última obra


- - - - - -

Abraços!

Anselmo disse...

mas se você tá de colete, a elegância não decorre da postura que o colete te obriga a manter?

E outra: tem muitos bares a beber. Não desista assim, no primeiro tombo, na primeira fratura dupla de costelas e... arrume alguém que advogue a causa manguaça com mais qualidade.

Marcão disse...

Não desisto não, Anselmo, mas da próxima vez vou ao bar com aqueles coletes salva-vidas que se usa na água (rsrs). Ah, e respondendo ao Nivaldo: nem eu entendi como foi o tombo. Perguntei à minha amiga que testemunhou o vexame (e me socorreu), e ela também não entendeu. Só notou que eu caí com o cotovelo esquerdo sob as costelas. Daí, o estrago...

Glauco disse...

Pô, Marcão, tava comentando do seu sumiço por aqui, agora o mistério está explicado. Aliás, o Borges ontem quase que repete o seu acidente, a tese da praga de corintiano pode fazer sentido, rs...

Marcão disse...

Pode crer. Na "sessão aflição", as imagens do Miranda deslizando na grama molhada e torcendo o joelho, contra o Náutico, e do Borges entortando o cotovelo na queda contra do Palmeiras são as campeãs da semana.

Informação inútil: minha filha mais velha, Letícia, que viria passar as férias escolares comigo, aqui em Sampa, quebrou o pé e está com gesso. Acho que não é de bom alvitre que se aproximem de mim (rsrsrsrs). A bruxa tá solta...