Destaques

sexta-feira, dezembro 12, 2008

O Marcelo Silva que importa

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

A notícia do mês no mundo das celebridades é a morte de Marcelo Silva, ex-marido de Suzana Vieira que ficou famoso por ter trocado a sexagenária atriz por uma moça que nem aos 30 anos chegou. Marcelo morreu, ao que tudo indica, por overdose de cocaína. Além da atração causada pelo inesperado, a morte de Marcelo chamou a atenção também por outros motivos, como a praga jogada sobre o sujeito pela Ana Maria Braga e o link 'manipulado' do Globo.com que enganou muita gente por aí (em ocasião similar, o Futepoca caiu nessa).

Na cabeça de um fanático por futebol como eu, o nome de Marcelo Silva não remete ao mundo das celebridades, e sim ao da bola. E me fez lembrar do volante Marcelo Silva, que jogou no Santos no começo da década e aparece aí na foto ao lado.

Marcelo Silva era o que poderia se chamar de volante-volante. Não era botinudo nem violento, mas passava longe de ser técnico. Cumpria seu papel de marcação com alguma eficácia e uma brutal discrição. Tanto para o bem quanto para o mal, aliás. Nunca era vaiado pela torcida mas também quase nunca tinha atuações memoráveis.

Seu momento de mais destaque no Santos foi negativo, mas involuntário. Explicando: na época das semifinais do Paulista de 2001, Marcelo Silva havia ido para a reserva do Peixe. Começou no banco o primeiro duelo contra o Corinthians. E de lá viu o Santos ter uma atuação magnífica, com um primeiro tempo em que sufocava a equipe do Parque São Jorge. Deivid fez 1x0 para o Santos com 21 minutos de jogo e, pelo andar da carruagem, poderia se esperar mais gols da equipe da Vila, tamanha a potência que o time demonstrava na partida.

Mas, ainda no primeiro tempo, por volta dos 30 minutos, o mesmo Deivid se machucou. Geninho (técnico santista) poderia mandar a campo outros nomes para o ataque, como Caio, por exemplo. Mas pensou em "garantir o resultado". Colocou o nosso herói Marcelo Silva. No fim das contas, o Corinthians empatou o jogo e, na segunda partida das semifinais, ganhou a disputa com aquele gol do Ricardinho aos 48 do segundo tempo.

Marcelo Silva ainda permaneceu um bom tempo no Santos - torcida e diretoria sabiam que ele não era culpado pela eliminação, apesar de ter consigo essa carga simbólica. Deixou o Santos ao final do primeiro semestre de 2002, pouco antes do Peixe iniciar a história do melhor time que montou após o fim da Era Pelé.

Depois disso, Marcelo pipocou entre uma série de clubes grandes e médios do nosso futebol, como Bahia, Atlético-MG, Atlético-PR e Náutico. No início desse ano foi contratado pelo Vitória, apresentou-se com pompa, mas pouco rendeu. Já em maio acabou dispensado e seu paradeiro desde então é desconhecido (eu pelo menos não achei na internet).

De qualquer modo, acredito eu, deve estar melhor do que seu xará celebridade...

10 comentários:

Glauco disse...

Olavo, você lembrou de um jogo em que Geninho entregou. Faria o mesmo no seguinte. Por conta disso, nunca tive em boa conta o cidadão, embora muita gente tenha louvado o treinador e hoje nem se lembra que fez. Não é dos piores, de fato, salvou o Atlético (PR) mas errou e muito nessas duas partidas das semifinais.

Anselmo disse...

"brutal discrição" é uma qualificação quase violenta pra um jogador de bola.

mas o post é excelente. caberia na coluna PQFMTMNTA, mas foi muito além.

Eu quero saber onde está Marcelo Silva, o jogador!

Marcão disse...

Que história troncha essa da Susana Vieira, não tava sabendo de nada disso.

Nicolau disse...

Interessante pensar se o discreto marcador Marcelo Silva não poderia ter dado a sorte de ocupar o lugar do Paulo Almeida no Santos de 2002, se tivesse ficado no time mais um tempinho.

Anderson disse...

Olavo!
Vc sabia que o Marcelo Silva é filho presidente-dono da escola de samba Tom Maior.
Dizem que o pai dele foi quem o "plantou" na Vila. No mesmo ano de sua estreia, a escola fez enredo sobre o Santos. Pagamento?

Anônimo disse...

Esse Marcelo Silvca era uma desgraça igualç ao Paulo Almeida. Aliás, aproveitando um dos comentários anteriores, dizem que foi o pai do Paulo Almeida que o colocou no Santos também.
Apesar dessas e outras pragas que já foram tarde, o Santos foi campeão de 2002. Milagres existem.

Maurício Fernandes disse...

Excelente post. Logo lembrei desse Marcelo Silva quando ouvi a notícia. O volante faz parte da minha infância dramática na Vila Belmiro. Grande abraço.

Anônimo disse...

ele etsa aposentado.... convivo com ele diariamente... um pouco problematico.. porem esta bem haha

Anônimo disse...

cara, marcelo silva e pontes jogam um futebol entre amigos, toda semana, em um horário antes da minha turma. acredito que ele tenha virado empresário na área.

ahmed disse...

لأن المواد المستخدمة في رش المبيدات في الرياض هي مواد آمنة مأذون بها من قبل الوزارة الصحة.شركة مكافحة حشرات
شركة مكافحة النمل الابيض بالخبر
شركة مكافحة حشرات بالخبر
شركة رش مبيدات بالخبر