Destaques

quinta-feira, março 05, 2009

No butiquim da Política - Das cinzas para a eleição

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

CLÓVIS MESSIAS*

A festa acabou. O Carnaval foi embora. Bem, mas como ninguém é de ferro, estou esperando um feriado prolongado. Aqui no buteco, o pessoal está um pouco amarrotado. Resquício do ócio. Amarrotados sim; sem ouvir e pensar, não. Um ligado chega e vai lembrando da eleição da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa, no próximo dia 15. Vale alertar que é o último estado do país a eleger o presidente do Poder Legislativo. Está embutido aí o "anexo esqueleto", obra que continua inacabada e envolvida numa sucessão de erros, histórias mal esclarecidas e gasto do dinheiro público. Dinheiro público? Quero dizer: o meu, o seu, o nosso dinheiro. Que, sem cerimônia, desaparece dos cofres.

Esta obra surgiu da ideia de dar mais espaço e melhorar os gabinetes dos deputados. Ela foi iniciada pelo então presidente Rodrigo Garcia, do DEM (à direita), e a entrega estava prevista para março de 2007. Passados dois anos do prazo, a construção, contratada por R$ 7,4 milhões, já consumiu aproximadamente R$ 15 milhões, fora outros R$ 4 milhões para "serviços suplementares". A nova Mesa, se conseguir, deverá explicar os problemas que turbinaram o gasto do dinheiro público para além do valor orçado.

Aliás, lembra outro frequentador do buteco, o deputado Rodrigo Garcia tem sido visto na sala do líder do governo, deputado Barros Munhoz (PSDB), que será candidato único à Presidência do Palácio 9 de Julho. Alguém emenda que Garcia é, hoje, o secretário municipal de Gestão e Desburocratização. E foi nomeado pelo seu ex-sócio, o prefeito Gilberto Kassab (DEM). Rodrigo é responsável, desde 1º de janeiro, pela merenda escolar na cidade de São Paulo, que sofre denúncia. Seu retrato como presidente da Assembléia no biênio 2005/2007 foi inaugurado terça-feira passada (03/03), oportunidade em que foram homenageados os ex-presidentes vivos, da estirpe de Natal Gale e Jacob Pedro Carolo, por exemplo. Bons tempos aqueles em que denúncia era para ver quantos clipes haviam sumido do armário...

A eleição da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa está definida no atacado. Presidente, Barros Munhoz; 1º secretário, deputado Carlinhos Almeida (PT); 2º secretário, deputado Aldo Demarchi (DEM); 1º vice-presidente, deputado Roberto Engler (PSDB); 3º e 4º secretários, ainda não definidos pelas bancadas. Os novos cargos da Mesa, 3ª e 4ª vice-presidências, aguardam indicação. Eles, os deputados, precisam de mais espaço e mais poder para equilibrarem as forças partidárias do Palácio 9 de Julho. E eu preciso de mais uma saideira.

*Clóvis Messias é jornalista, são-paulino, dirigente do Comitê de Imprensa da Assembléia Legislativa e colabora com esta coluna para o Futepoca.

3 comentários:

Glauco disse...

Barros Munhoz, que ainda se auto-intitula o "homem da agricultura"... e quem disse que a política se renova?

Marcão disse...

O Rodrigo Garcia ainda está no ah-lá-lá-ô. Será que fez trenzinho com o Kassab?

Maurício disse...

Esse povo é das trevas...