Destaques

quarta-feira, março 04, 2009

Segunda derrota na segunda partida na Libertadores

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

O Palmeiras se complicou inteiro na Libertadores da América. Jogando em casa diante do Colo Colo do Chile, levou um 3 a 1 na cabeça. Se o treinador Marco Barticciotto chegou ameaçado no cargo, com o time em crise, volta feliz, com atuações convincentes de Torres e Barrios.

A eficiência do ataque que marcou as atuações alviverdes no início da temporada não apareceu. A fragilidade da defesa, em compensação, sobrou. Para a facilidade do Colo Colo.

Numa competição internacional, não pode jogar assim. Libertadores não é Paulista, nem todo time azul é o São Caetano em um jogo improvável.

Com nenhum ponto conquistado e três gols negativos de saldo, o time avança apenas se fizer uma recuperação histórica de garantir quatro improváveis vitórias nos próximos jogos.

Só que o Sport e a LDU se enfrentam nesta quinta-feira, em Recife. Levando em conta o retrospecto do time de Nelsinho Baptista sobre o de Luxemburgo... Prefiro pensar em outra coisa para conter os palavrões.

Sem alternativa
A falta de criatividade nas atuações dos reservas no Paulista foram o indicativo de que o elenco estava distante do que via Vanderlei Luxemburgo. Aliás, as alterações do treinador foram para lá de questionáveis. Primeiro, colocou Jumar e Jefferson nos lugares do zagueiro Maurício Ramos e Marcão (que entrou na lateral). Só depois colocou mais um atacante na vaga do lateral-direito – Lenny entrou, Fabinho Capixaba saiu. Se a idéia era não expor tanto a defesa, não funcionou.

Faltou ainda capacidade de variar o "repertório" de ataque, para usar a definição de Paulo Vinícius Coelho na transmissão de rádio. Com Marquinhos teria sido diferente? Por que o Palmeiras não consegue fazer abafa quando a troca de passes rápidos não sai?

Com a ducha de água fria e talvez sem Willians, o time ainda tem o Corinthians no domingo. Se bobear, Ronaldo, o com-sobrepeso, ainda vai entrar, o que motiva ainda mais o alvinegro. Segure-se, Luxemburgo.

16 comentários:

Victor disse...

O problema é que o Colo-Colo tem tudo para ser sparring no grupo.
LDU e Sport devem vencê-lo nas suas casas e se bobear a LDU ainda arranca algum pontinho fora também.

Marcão disse...

Vanderlei Luxemburgo vai repetir no Palmeiras o que fez em sua última passagem pelo Santos: dois Paulistinhas e um "Até logo, muito obrigado!". (2)

Fabricio disse...

Impressionante a quantidade de comentários sem nenhum embasamento nesse blog.

O Sport teve MUITA sorte no jogo contra o Colo Colo. Achou um gol no início e viu o Colo Colo dominar até achar outro no final do primeiro tempo.
No segundo, ficou acuado lá atrás e conseguiu segurar. Só deu um chute a gol no segundo tempo, aos 40min.

Esse grupo está longe de estar definido. E digo mais. Achei o time do Colo Colo superior ao da LDU pelos dois jogos que vi deles.

O Palmeiras teve um azar enorme em Quito. Lembrem-se que demos um gol de graça para eles e dominamos praticamente o jogo todo.

A situação ficou difícil? Ficou. Mas ainda está longe de estar definida. Se jogar o que sabe, dá pra classificar. O time é disparado o com maior qualidade na chave. Só precisa jogar bola e não entrar na catimba.

Anselmo disse...

Marcão, secar uma vez, eu topo na boa: é papel de torcedor. repetir a secada é exagero. muda o teor, piora o cenário...

Victor, se quem chamava o grupo 1 de grupo da morte tiver razão, trata-se de um grupo sem sparring. Você pode falar em "mais fraco" ou "supostamente mais fraco". Pelo menos do ponto de vista das projeções. Na prática, quem se converteu em sparring nos dois últimos jogos, é triste, não foi o Colo Colo...

Fabrício, na crítica ao Palmeiras de 2009, só tem uma parte recorrente e bem sólida: a zaga vai mal. O presente pra LDU veio daí. Os buracos de ontem tbém.

Claro que tem méritos dos chilenos, e isso tá no primeiro parágrafo. Mas o Palmeiras jogou mal em casa, mereceu perder. Se for para jogar assim, fica na primeira fase. Se mudar (oremos pra que mude) sonho com tranquilidade com a classificação.

Big disse...

Pois é. A zaga do Palmeiras anda mal e ontem o ataque não compensou os gols sofridos. Típico do Luxemburgo. Proponho um brinde ao jogo de ontem!

Marcão disse...

Anselmo, encaminhe o caso para o Superior Tribunal da Secagem Futebolística Nacional.

Glauco disse...

Se o Palmeiras é disparado o com maior qualidade na chave alguém precisa avisar isso urgentemente para os adversários, que por enquanto não reconheceram isso. Mas o Palmeiras tem time sim pra vencer as quatro partidas que restam na primeira fase. Não sei se tem treinador para tanto...

Brunna disse...

a) joguei fora 40 reais, passei raiva e assisti algo que diziam que seria um jogo de futebol.
b) os jogadores estavam se arrastando em campo. Diego Souza e Capixaba inúteis e, corretamente, apelidados pela torcida como "mortos"
c)Tbm gritei "Chega de bolinha..O Luxemburgo só ganha Paulistinha"
d)Volta Marcãooooo. Ao menos o Edmilson tem com quem brigar na defesa e para de fazer corpo mole.

Marcão disse...

Edmilson, para quem não sabe, nasceu na gloriosa Taquaritinga. Onde também nasceu Mauro Beting.

Anônimo disse...

Quando os defensores do futebol arte vão aprender que times de firula, que só pensam em atacar, só funcionam contra time ruim. Entra ano, sai ano, e é sempre a mesma merda. Libertadores tem que ser competitivo. Time como esse do palmeiras não vai longe. Só no paulistão mesmo. No mínimo os mesmos que rasgavam elogios ao Luxemburgo vão defender um novo quadrado mágico na seleção. Não sabem nada de futebol.

Anselmo disse...

o time do palmeiras nao tem nada de futebol arte. tem rapidez na troca de passes e jogadas individuais de decisão. qdo ganha, o faz por ser objetivo e eficiente, que compensam a defesa na base da aritmética. quando esses atributos nao aparecem, perde, pq a defesa é mto ruim.

agora, o problema do quadrado mágico foi só tático ou a apatia dos atletas na seleção teve algum papel?

Nicolau disse...

O problema, Anônimo, é confundir competitividade com retranca, o que é um erro comum e grosseiro. Porque significa dizer que o Manchester United e o Barcelona, por exemplo, não são competitivos. Se não é isso que você está falando, maravilha.

Thalita disse...

Se é um sãopaulino que fala que o Sport só venceu por sorte e o SP perdeu por azar, vai receber críticas pela "empáfia sãopaulina" para sempre...
Já que não foi um sãopaulino que fez isso, e que ainda fez o favor de desqualificar quem pensa diferente, tudo bem...

Glauco disse...

Pelo jeito o Sport deu sorte ontem de novo contra o time que venceu o Palmeiras. Ô, povo iluminado...

Anônimo disse...

Anselemo, não sou contra atacantes nem a favor de retrancas. Sou a favor de equilibrio entre defesa e ataque, coisa que o Palmeiras não tem. Agora, sobre o quadrado mágico, independente de apatia, me cita um único time que ganhou um torneio competitivo com quatro jogadores exclusivamente ofensivos, não acostumados a marcar. Um só.

Anselmo disse...

pelé, tostão, jairzinho e rivellino devem ser volantes... agora, veja que curioso: willians é originalmente meia. diego souza realmente nao marca, mas o cleiton xavier sim (ou deveria, pelo menos). Ou seja, não tem os 4 ofensivos que não marcam que você cobra. Quero dizer: não é esta o caso do palmeiras.

sobre o equilíbrio entre defesa e ataque, eis aí a típica expressão que não vai encontrar discordância. é que pra um time ganhar, tem que tomar menos gols do que faz em cada partida, né? como garantir isso em campo? é o seu "equilíbrio", claro. Só que isso muda de jogo para jogo.

o palmeiras joga com 3 zagueiros (q estão muito mal sozinhos e entre si), um volante e dois laterais (não os vejo como alas, mais por falta de competência deles, na minha visão). Eventualmente, um dos zagueiros vai para o meio e tudo vira 4-4-2. qdo armero nao está, as limitações das laterais são ainda mais evidentes.

meu ponto é só que a questão não está no equilíbrio numerico de jogadores de frente, de retaguarda nem de meio. A questã é a armação funcionar, e como um time. Fazer dois gols em quito e tomar tres, nao resolve. contra o colo colo, o time foi mto mal, pior do que no outro jogo, mereceu mto perder. contra a ldu, o empate esteve mto mais próximo do que no dia da palestra. não dá pra por na conta do futebol ofensivo, pq o palmeiras só pretende ter objetividade e eficiência, nao necessariamente ser ofensivo. é q nem ofensivista o luxemburgo é, diferente do que parte da mídia gosta de dizer.