Destaques

quinta-feira, abril 23, 2009

A zebra pastou na Vila Belmiro

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Junte os seguintes ingredientes: falta de concentração em função de uma final à vista, elenco sem muitas opções e ainda reduzido por contusões, má pontaria e pouca sorte. Pronto, está aí a receita de uma zebraça, dessas que fazem a Copa do Brasil ser um torneio peculiar. A derrota do Santos para o CSA é a segunda do técnico Vágner Mancini em 17 jogos, e é impossível prever como influenciará o time para a partida de domingo na Vila Belmiro.

Até os 44 do segundo tempo foram 33 finalizações contra 4 do CSA, sendo que em apenas uma ocasião o time alagoano chegou ao gol. E bastou. A defesa alvinegra marcou mal e o toque errado de coxa do atacante Júnior Amorim o beneficiou e matou Fábio Costa, que saiu com os pés ao invés de fazê-lo com as mãos. Kléber Pereira, que entrou só aos 15 minutos do segundo tempo, perdeu três gols incríveis; Neymar perdeu um similar, apanhando dos rivais como sempre; Roni, nem isso conseguiu fazer, e Lúcio Flávio, como titular, mostra que não deve mesmo comer panetone na Vila Belmiro, saindo bem antes disso.



Agora, ao Santos resta o Paulista. Aliás, a displicência do clube em relação ao torneio nacional evidenciou a recuperação do estadual em termos de prestígio. Obviamente, isso só aconteceu por conta dos cruzamentos entre os quatro grandes nas finais. Santos e Corinthians pouparam titulares na Copa do Brasil, o Palmeiras não resguardou atletas para suas "decisões" na Libertadores e o São Paulo abriu mão de tentar uma pontuação maior que lhe permitisse cruzamentos mais generosos no torneio continental para tentar superar o Corinthians. Por isso, domingo promete...

O desfile de zebras

Mauro Beting publicou uma lista de zebras da Copa do Brasil desde o início do torneio, em 1989. À época, o critério de classificação era o desempenho em estaduais (ou competições realizadas em âmbito local como a Copa Bandeirantes, na terra de Anchieta) e não havia o famigerado índice técnico baseado no ranking da CBF que perpetuou os grandes na competição. Os times classificados na Libertadores também podiam disputar a Copa, o que deixou de acontecer em 2001.

Pela lista, pode-se concluir que o clube que mais propiciou zebras eliminando grandes do torneio é o Ceará. O clube nunca chegou a ser campeão como Paulista, Santo André, Criciúma e Juventude, mas foi vice em 1994, ano em que eliminou o Palmeiras e o Internacional. Em 1997, despachou o Fluminense e, em 2005, superou o Flamengo e o Atlético (MG).

Já a vítima contumaz do animal listrado parece ser o Vasco da Gama. Em 1991, foi eliminado pelo Remo e, no ano seguinte, pelo atual algoz do Santos, o CSA. O XV de Campo Bom, de Mano Menezes, superou os cariocas em 2004 e em 2005 viria a maior surpresa: o Baraúnas despachou o clube cruzmaltino com uma vitória de 3 a 0.

O treinador do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo, também parece guardar um carinho especial pelo equino alvinegro. Era o comandante do Palmeiras quando a equipe perdeu para o Ceará, em 1994, e também na histórica derrota para o ASA de Arapiraca, no trágico ano de 2002. Pelo Santos, perdeu para o portentoso Ipatinga em 2006.

10 comentários:

Anselmo disse...

o palmeiras foi o primeiro grande a perder para o santo andré no ano em q o clube do abc foi campeão.

a saída do fabio costa foi esquisita mesmo. e acho beeem interessante ver a turma priorizando as finais do paulista.

Mohammad Severino disse...

Se o mais popular Ceará Sporting Club, o meu Vozão, não tivesse dado uma baita bobeada contra o Central de Caruaru no jogo de volta lá no Plácio Castelo o Ceará pegaria o Vasco de novo e agora o Estado do Ceará poderia ter 3 times nessa fase, já que o Fortaleza eliminou o Paraná e o Icasa, o verdão do Cariri - eita como é difícil escrever esse superlativo - deixou pra trás o Confiança depois de tirar a Portuguesa do páreo.

Maurício disse...

Mas é bom esse goleiro do CSA...

Glauco disse...

De repente é o caso do "goleiro de um jogo só", Maurício. Se o pessoal de Alagoas puder confirmar as qualidades do goleiro, a gente agradece.

Marcão disse...

O mais triste é que o CSA é o time do Collor...

Fabricio disse...

Ano passado o Palmeiras poupou os titulares na primeira contra o Sport por causa da final do Paulista em Campinas.

Na semana seguinte foi eliminado mas sem grandes consequências no Paulista. Mas claro que agora é o corinthians na final. Ano passado era a Ponte. Contra uma final diante da Ponte com 1 gol de vantagem não há desânimo que estrague.

A final para o Santos é esse primeiro jogo. Se não vencer, pra mim, pode dar adeus.

fredi disse...

Glauco, primeiro uma pequena polêmica. Creio que os jogadores do CSA até bateram, mas foram advertidos pelo árbitro e não acho que isso tenha definido o resultado.

O pior foi a incompetência do ataque do Santos, que perdeu gols incríveis.

Sem contar que esse negócio de poupar jogadores no início da partida nunca dá certo.

Sobre o goleiro, o Jefferson, coincidentemente ele é do Galo. Veio dos juniores faz uns três anos e desde lá vem sendo emprestado. Estava no CRB há, onde era ídolo, depois voltou, não ficou no Galo, foi emprestado para o Villa Nova e agora para o CSA.

Não tenho a mínima ideia de por que não tem oportunidades no Galo, até porque nossos goleiros não são nem um pouco confiáveis.

Glauco disse...

Fredi, repilo a pequena polêmica, até porque não disse em nenhum que o resultado foi por conta da arbitragem. Disse que Neymar apanhou bastante, e acho que uma pezada nas costas merecia um cartão amarelo, o que resultaria em expulsão no contexto.

fredi disse...

Também não disse que você disse isso (rs)...

Fabricio disse...

Fredi, em 1999 o Palmeiras poupou alguns titulares no início da segunda partida da semi do Paulista contra o Santos.

Acabou indo pro vestiário com 0x1 no placar.

No segundo tempo entraram Júnior, Paulo Nunes e Alex se não me engano (Olavo?). Veio a virada e fomos pra final.

Mas acho que não me lembro de nenhuma outra partida em que poupar no primeiro tempo deu certo.