Destaques

segunda-feira, abril 28, 2008

Rápidas dos estaduais

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Fabio Motta/AE


Rio de Janeiro

O garoto botafoguense Eduardo, zagueiro, 19 anos, fez bela jogada, deixou Léo Moura pra trás, invadiu a área e... acertou a trave. Havia dois companheiros entrando no meio da área, mas ele preferiu arriscar um chute que caprichosamente não entrou. Quase foi herói.

Mas, sete minutos depois, o mesmo Eduardo perdeu uma bola no ataque. Diego Tardelli foi lançado e passou para Obina, que definiu em favor do Flamengo. Embora não se possa dizer que ele é culpado pela derrota, não há dúvidas de que o jovem, revelação do Bahia, foi um dos personagens principais na equilibrada partida do Maracanã. Agora o Mengão tem a vantagem do empate. Quarta, o rubro-negro vai com moral pegar o América no México. E o Alvinegro tem uma semana para se preparar.

Foi de se estranhar também o Botafogo entrando de camisa branca, sem qualquer necessidade. O Victor do Blá Blá Gol comentou a respeito.

Mineiro

O resultado da primeira partida da decisão do Mineiro já foi comentada aqui. Vi poucas vezes o Cruzeiro jogar, mas impressiona a velocidade com que faz a transição da defesa para o ataque.

E não é a primeira vez que Geninho toma um “sacode” à frente do Galo, fazendo história de forma negativa. Em 2002, nas quartas-de-final do Brasileiro, ele tomou um 6 a 2 do Corinthians em pleno Mineirão. Mesmo assim foi “prestigiado” pela diretoria atleticana. Porém, no começo do ano seguinte, se transferiu justamente para o Corinthians. Lá, foi campeão paulista mas pediu demissão no Brasileiro, após ver sua equipe ser derrotada por 6 a 1 pelo Juventude.

Gaúcho

O Juventude, do técnico Zetti, venceu por 1 a 0 o Inter, com um gol aos 47 do segundo tempo. Foi a terceira vitória da equipe contra o Colorado. Antes, já desclassificou o Grêmio em pleno Olímpico nas quartas do Gauchão. No Beira-Rio, conseguirá suportar a pressão?

A propósito do futebol gaúcho, o Internacional, que completa cem anos em 2009, vai dar ao seu torcedor a oportunidade de escrever sobre sua paixão pela equipe. Os melhores serão publicados em livro comemorativo. E o parceiro Gerson Sicca, do Limpo no Lance, escreveu um belo texto a respeito. Para ler e votar, clique aqui e digite 358 (o número do texto) no campo “busca”. Vale a pena.

Paraná

Já em Curitiba, o Coxa, de Dorival Júnior, fez dois a zero em cima do Atlético. O Furacão tem que devolver o mesmo placar para forçar uma prorrogação na Arena da Baixada. Se persistir o empate, o campeão será conhecido nos pênaltis.

A nota negativa ficou na arquibancada. Houve invasão de um torcedor do Coritiba no gramado, no intervalo do jogo, e os atleticanos tentaram derrubar o alambrado que dá acesso ao campo.

Catarinense

No Catarinense, o Criciúma tem que devolver a derrota sofrida ontem por 1 a 0, diante do Figueirense do técnico Alexandre Gallo, para levar o confronto à prorrogação. Aqui, tanto faz o saldo de gols das finais. O Castiel, em seu blogue, comenta o primeiro jogo da final.

Bahia

A decisão do campeonato baiano ocorre em um quadrangular e nesse domingo houve mais um Ba-Vi. Ao contrário das três partidas anteriores contra o Tricolor, em que foi derrotado, o Vitória de Vagner Mancini venceu o Bahia por 3 a 0 e assumiu a liderança com a mesma pontuação de seu maior rival, mas com vantagem no número de gols marcados

Goiano

O Itumbiara, de Paulo César Gusmão, venceu o Goiás, de Caio Júnior, por um a zero em casa. O tento saiu dos pés de dois ex-santistas: Caíco lançou para Basílio, que acertou um belo sem-pulo. Devolvendo a derrota no Serra Dourada, o time esmeraldino assegura o título.

5 comentários:

Marcão disse...

Basílio ETERNO! Caio Júnior...

Anselmo disse...

Caio Junior vai calar os críticos.

O que acho mais interessante é que antes do jogo, eu tava ouvindo a rádio bandeirantes e tem aquela história de dar palpites sobre os jogos. Houve quase consenso de empate na maior parte das partidas, com vantagem leve para Galo e Inter e Botafogo. Acontece.

mas o certo seria um jogo por dia pra poder assistir a todas as partidas. A final do paulista no sabado a tarde, a do carioca sabado a noite, o paranaense no domingo a tarde, o catarinense a noite e assim por diante até o meio da semana. Pelo menos a gente poderia chegar ao brasileiro com uma opinião mais sólida sobre os times.

Tudo bem, tudo bem: não tem nenhuma outra vantagem.

Glauco disse...

Opinião mais sólida, Anselmo, mas com essa quantidade de jogos, bem menos sóbria...

Carlão Azul disse...

E as coisas voltam ao normal em Minas....

Depois de um campeonato cheio de dúvidas, polêmicas, e coisas impublicáveis o Cruzeiro pagou com juros e correção pelo que sofreu injustamente ano passado.... (gol infaltimente irregular validado e tudo mais)

Saudações Celestes
AQUI TEM NOTÍCIAS
AQUI TEM DISCUSSÃO: Mão Cheia e as coisas nos seus devidos lugares em Minas novamente!!!
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

gerson disse...

Glauco, só agora vi a referência ao meu texto. Muito obrigado!
Grande abraço!