Destaques

terça-feira, fevereiro 10, 2009

Brasil 2 X 0 Itália: Felipão vai ter que esperar...

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Um dia depois de ter seu cargo ameaçado pela demissão de Felipão do Chelsea , Dunga de novo se saiu bem, como já havia acontecido no amistoso contra Portugal. Os seis "italianos" da equipe titular do Brasil fizeram no primeiro tempo o resultado que o time precisava, tomaram pressão no segundo, mas, no geral o resultado foi justo.



Ronaldinho Gaúcho se movimentou bastante, deu opções ao time e puxou a marcação, além de ter sido o alvo predileto das sarrafadas do pessoal da Bota (sem trocadilho). Das apostas do comandante brasileiro, o lateral-esquerdo Marcelo foi bem e Felipe Melo surpreendeu. Defendeu e também apoiou o ataque com competência, e não se intimidou diante dos campeões do mundo. Aliás, Robinho também não se mostrou nem um pouco acanhado frente aos brutamontes do Calcio. No segundo gol, uma pintura que já entrou para a história do confronto das duas seleções, o atacante roubou a bola como fazia muitas vezes em seus tempos de Santos, chamou Zambrotta pro baile e fez um golaço.

Outro ex-santista, Elano, além do primeiro gol, também quase repetiu a curva na bola do tento que fez contra Portugal . Desempenhando a função que Leão o incumbiu no Santos de 2002, fez as vezes de ponta e também cobriu o meio pela direita. No segundo tempo, Dunga o substituiu por Daniel Alves, exatamente como fez na final da Copa América de 2007 contra a Argentina. Desta vez a substituição não surtiu o mesmo efeito e o ex-peixeiro mostrou de novo que é peça-chave no esquema atual da seleção.

Se foi um jogo de dois tempos distintos em que cada equipe jogou melhor em uma etapa, palmas para quem foi efetivo e competente. E Felipão, pelo jeito, vai ter que esperar outra oportunidade...

*****
Em relação à equipe que disputou a final contra a França em 2006, sete jogadores italianos que estiveram em campo hoje também disputaram a final vencida nas penalidades. Vendo a Itália hoje, percebe-se como a Copa do Mundo é um torneio, diogamos, peculiar. Afinal, como esse time chegou ao título?

Fazendo essa pergunta à blogueira Bia , ela respondeu que "na Copa, os zagueiros não cruzaram com muitos Robinhos dançando na frente deles". Faz sentido. A defesa italiana, louvada como o grande ativo da equipe desde tempos imemoriais, já sofreu com atacantes e meias habilidosos diversas vezes. Que o diga a seleção que foi goleada pelo Brasil em plena final da Copa de 70. Ou seja, a vitória da Azzurra, ainda que nos pênaltis e com um jogador a mais na prorrogação - algo que ficará apagado da História no futuro -  representa uma certa "falência" da ousadia dos jogadores de frente, menos criativos e atrevidos que em outras eras. Por isso, é no mínimo alentador que a vitória brasileira hoje tenha resgatado, de alguma forma e pelo jeito que ocorreu, algum sentido de um futebol menos previsível e mais agradável de se assistir.

*****
E a companheira Thalita, que estava no Emirates Stadium em Londres, vai contar aqui no Futepoca como foi ver o jogo in loco

4 comentários:

Maurício disse...

Boa narrativa.
Agora, achar que basta dizer que um trocadalho não é para se livrar da punição é muita ousadia. Deve meia dúzia.

Marcão disse...

Sujeito, verbo e predicado:

Elano é imprescindível.

Robinho é craque.

(Tudo bem, não estou dizendo nenhuma novidade, mas o minimalismo, às vezes, tem a eloquência necessária)

Anselmo disse...

Na posição que o Elano jogou ontem, concordo que ninguém faz tão bem a um time. Mas Elano vai ser o reserva de ouro sempre que Ronaldinho Gaúcho e Kaka estiverem em condições de jogo.

Robinho precisa de motivação para jogar. Acho que ele deveria apostar alguma coisa com o zagueiro adversário em todos os jogos. Ou melhor, vamos criar um movimento para arrecadar recursos destinados a apostas com o Robinho. Um monte de gente doa um real ou meia dúzia no bar da esquina, a gente junta um volume de doações e aposta se o cara vai fazer gols, se vai fazer um gol e dar dois rolinhos no adversário, sei lá...

E tô virando fã do Dunga. Não pelo que ele representa para o treinamento futebolístico de esquerda, mas por sua falta de noção em diversos momentos, como a coletiva no fim do jogo. Ele disse que o time brasileiro rendeu além do esperado. Claro que tem o contexto de falta de treinos coletivos e numseiquelá, mas que técnico diria uma coisa dessas? É muito bom...

Nicolau disse...

Golaço do Robinho! Por que esse porcaria não arranaja um time, fica quieto e joga a bola dele?
Sobre o Elano, é realmente um grande cara. Agora, dá pra encaixar o ex-santista junto com Kaká e Ronaldinho Gaúcho, se o último estiver mesmo jogando bem?