Destaques

sábado, abril 18, 2009

Não vai haver bicampeonato paulista em 2009

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

É triste.

De Fábio Costa a Neymar, do atacante a Madson, e o Santos praticamente matou qualquer esperança do Palmeiras de ir às finais do Paulista aos 17 do primeiro tempo. Com a vantagem ampliada logo aos 5 minutos do segundo tempo, com gol de pênalti de Kleber Pereira, e um jogador a mais depois da expulsão de Maurício, o time visitante teve a capacidade de explorar contra-ataques com Madson e dizimar as esperanças do bicampeonato paulista.

Depois de três anos seguidos, o estadual não terá Vanderlei Luxemburgo no comando do campeão.

Sem Cleiton Xavier nem Willians, o Palmeiras esteve longe de conseguir traduzir o maior tempo de posse de bola em jogadas de perigo. No segundo tempo, o improdutivo Lenny deu lugar ao paraguaio Ortigoza, e o volante Jumar saiu para entrada do meia Deyvid Sacconi. Não resolveu. Com dois a zero, parte da torcida alviverde parou de apoiar o time. Mesmo o gol de Pierre, aos 29, não mudou os rumos da partida.

Aos 35 do segundo tempo, com bons motivos, Vagner Mancini já não tinha mais atacantes em campo. Foi só esperar.

Sobra correr atrás da Libertadores e pensar no Brasileirão. A força da arrancada inicial no Campeonato Paulista havia perdido intensidade desde a estreia do time no continental. A desclassificação na semifinal do Paulista reforça a imagem de um time com limitações no elenco e uma torcida impaciente, sem pegada ou concentração para uma sequência de jogos decisivos.

Diego Souza protagonizou ainda o início de um papelão. O clima tenso e as agressões que começaram só com Domingos se ampliaram. Despedida de time que se sentiu campeão e, diante da realidade, parece ter se descontrolado. E para o meia, a principal arma do Palmeiras na temporada, se instala uma grande ressalva.

Com a primeira desclassificação consumada do ano, Vanderlei Luxemburgo será colocado em xeque no comando do Palmeiras? E seu time? Um eventual novo revés na Libertadores tira-o do clube?

13 comentários:

Leandro disse...

Antes de primeira rodada das semifinais eu já sustentava, sob os protestos de meus amigos, que o melhor goleiro dos 4 é o do Santos (isso antes da contusão do midiático Ceni), que o melhor técnico é o do São Paulo e que o pior dos 4 é o Mano, pois até o (ainda) menos badalado Mancini, a meu ver, está bem acima do gaúcho.
Todos acharam uma heresia dizer que o Fábio Costa é melhor que Marcos, Felipe, e principalmente Ceni, e até alguns não-corinthianos acharam um delírio dizer que Mancini é melhor que Meneses.
Parece que, até o momento, as coisas têm se confirmado. A exemplo de 2002, o Fábio Costa, pese embora seu caráter no mínimo duvidoso, tem sido um dos grandes responsáveis pela escalada dos Santos (arbitragens da fase classificatória e Lusa à parte), e o Mancini tem mostrado, cada vez mais, que não deixa nada a desejar para Luxemburgos ou Muricis nem no aspecto tático nem na malandragem.
Pode ser cedo p/ afirmar tudo isso, mas da nova safra de técnicos eu boto fé no rapaz de Ribeirão Preto.
Resta a Mano e Felipe contrariarem no campo as acusações do corneteiro aqui.

Fabricio disse...

Ontem eu mesmo falava para o Olavo como o Fábio Costa joga bem em decisões, mas aí dizer que é melhor que os demais, acho um certo exagero.

Na verdade, de todos os 4 ele foi o único a falhar nas semifinais até aqui.

Quanto ao jogo, o Palmeiras perdeu na Vila, quando acuou o Santos nos últimos 25 minutos mas não achou o empate.

Sobre o Mancini, assim como no primeiro jogo, achei que ele colocou o time atrás muito cedo. Deu sopa pro azar, que por sua sorte não veio.

Maurício disse...

É por isso que eu gosto de campeonato com semifinais e finais, e não os pontos corridos. Tem que levar bem o campeonato, mas o que decide é a hora do vamos ver. Parabéns ao Santos, lamento pelo Palmeiras, e agora é levar o meu Timão pra decisão com o Peixe.

Fabricio disse...

Bem lembrado. Pontos corridos pode ser justo ou coisa e tal, mas que é sem graça, isso é.

Mas é aquilo lá. Quem vai bem defende, quem não vai, detona. No caso do São Paulo por exemplo, desde 2006 pra cá, quando eliminou o Palmeiras na Libertadores, não ganhou mais nenhum mata-mata contra times brasileiros. Alguém me corrija se eu estiver errado. Tenho sérias dúvidas se o time ganharia o que ganhou caso houvesse mata-mata.

Rafael disse...

Discordo do seu comentário sobre o Diego.

O técnico do santos mandou o cara entrar só para provocar a expulsão dele. Uma atitude de covarde, que ainda contou com a ajuda do juíz. O único erro do Diego foi não ter batido mais forte no cretino.

Fabricio disse...

Pelo que já falaram, casos assim costumam ter uma pressão enorme da Fifa para punição pois fere completamente o Fair Play que a federação tanto prega.

Mas sinceramente, tirar o domingos do time por um tempo é prejudicar os adversários.

Nicolau disse...

Dois comentários tardios (e irrelevantes) sobre o jogo:

- A expulsão de Diego Souza e Domingos foi um exagero do juiz. Os dois se estranharam, o Domingos provocou, mas ninguém encostou em ninguém antes de mostrados os cartões, não era pra tanto. Agora, é importante diferenciar as coisas. Se o Domingos falou, mexeu, provocou, não bateu em ninguém. É errado provocar? Pode ser, mas bater é mais errado. O Código Penal tá aí pra provar isso.

- Segundo, uma conjectura: Imaginem que o Maurício não tivesse feito o penalti no Neymar. O santista teria 90% de chance de fazer o gol - os 10% são pq estava muito perto de Marcos, que fechava bem o ângulo. Mas no segundo tempo, quando o Santos recuou e Fábio Costa engoliu aquele homérico peru, o time de verde estaria com 11 em campo, o que poderia fazer toda a diferença.

Agora, é rumo à final alvinegra!

Glauco disse...

Só um adendo em relação ao post, o Santos terminou a partida coma tacantes sim, no caso, Madson e Roni.

A questão é que o Palmeiras não teve quase oportunidades de gol. E esperava-se que isso fosse cobrado de quem monta e comanda a equipe. Mas pelo jeito a docilidade com Luxa é eterna, a culpa nunca é dele. A sua estratégia de desviar o assunto pra questão Diego Souza/Domingos evidenciou isso. E a mídia esportiva vai atrás.

Anônimo disse...

QUE O FABIO COSTA É UM EXCELENTE GOLEIRO NÃO HÁ DÚVIDA AGORA QUE O MANCINI É MELHOR QUE O MANO??
TÁ DE BRINCADEIRA O MANCINI GANHOU O QUE ATÉ AGORA?
GANHOU UMA COPA DO BRASIL COM O PAULISTA EM CIMA DE TIME CARIOCA SENDO QUE TODO MUNDO GANHA FINAL DE COPA DO BRASIL EM CIMA DOS CARIOCAS ( O SANTO ANDRÉ E O JUVENTUDE QUE O DIGA) O MANO POR SUA VEZ PEGOU UM TIME REBAIXADO , SEM DINHEIRO , CHEIO DE PROBLEMAS EXTRA CAMPO , SEM PADRÃO DE JOGO NENHUM , CONTRATOU JOGADORES ATÉ ENTÃO TOTALMENTE DESCONHECIDOS NA MÍDIA E CHEGOU A FINAL DA COPA DO BRASIL , GANHOU A SÉRIE B E ESTÁ NA FINAL DO PAULISTA ALÉM DE TER NO CURRÍCULO 02 CAMPEONATOS GAUCHOS E UMA FINAL DE LIBERTADORES O MANO MENEZES É UM EXCELENTE TREINADOR AGORA SÓ O TEMPO DIRÁ QUEM IRÁ QUEM IRÁ MAIS LONGE NA CARREIRA MANCINI OU MANO.

Glauco disse...

Anônimo, não acho que o único parâmetro para comparar dois treinadores seja o número de títulos, mas se o seu parâmetro for esse, acho que o Mancini leva vantagem pela importância de um dos títulos que obteve. Série B e Gauchão não dá, né...

Anônimo disse...

CONCORDO COM VC GLAUCO MAS O MEU PARÂMETRO NÃO É ESSE O QUE EU QUERO DIZER COMO VC PODE VER NO MEU COMENTARIO É O TRABLHO TODO DO MANO EM PEGAR UM TIME TODO FUD.... E CONSEGUIR LEVAR ESSE TIME A DUAS FINAIS COPA DO BRASIL E PAULISTA O MANCINI AINDA NÃO PASSOU POR ISSO EM PEGAR UM TIME NESSAS CONDIÇÕES E INICIAR TUDO DO ZERO O SANTOS TEM UM ÓTIMO ELECO ESTAVA DESMOTIVADO O MÉRITO DO MANCINI FOI COLOCAR O TIME PRA JOGAR AGORA SE VC SE LEMBRA BEM DO TIME DO CORINTHIANS 2007 VC VAI ENTENDER O QUE EU QUERO DIZER O TIME ERA MEDONHO COM CLODOALDO E FINAZZI SÓ PRA CITAR ALGUNS O MANO AINDA PRECISA PROVAR É VERDADE MAS ACREDITO QUE ELE IRÁ MUITO LONGE COMO TREINADOR POIS ACREDITO NA SUA COMPETÊNCIA... ABRAÇOSS

Leandro disse...

Quanto ao Mano, eu estou há muitos meses tentando entender o que pode justificar trazer o caricato zagueiro William do Grêmio, colocá-lo como titular absoluto e ainda dar a faixa de capitão para o cidadão.
Em termos de currículo, é verdade que o Mano também não tem o título da Copa do Brasil que tem o Mancini mais por conta de questões extra-campo, conforme já cansei de digitar aqui, e tudo bem que o nível técnico da última Série B foi superior ao da última Série A em muitos aspectos, mas, se chegou à final da Libertadores em 07, o gaúcho chegou mas não ofereceu qualquer resistência ao Boca, a exemplo do Santos na final de 03.
Foram as duas finais mais desequilibradas que vi na vida, e a postura extremamente covarde do Mano naquele primeiro jogo em Buenos Aires tem muito a ver com isso.
Mesmo com a vitória de ontem, sigo com o pé atás. A meu ver, ele ficaria para o segundo semestre mais por falta de opção que pela qualidade.

Fabricio disse...

Como assim a Série B foi superior tecnicamente à Série A ano passado?

Eu assisto à Série B desde 2003 e posso garantir que a do ano passado foi a pior disparado.