Destaques

domingo, abril 12, 2009

A primeira semifinal: os "caras" e os "carinhas" do Santos

Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Facebook

Estava em São Vicente quando li no tablóide Expresso Popular uma matéria sobre o clássico de ontem dizendo que Fábio Costa e Kléber Pereira eram os “caras” do Santos, que poderiam determinar a vantagem do time contra o Palmeiras. Quase profético, o texto relembrava como os dois foram fundamentais para a classificação santista às semifinais. E, ontem, decidiram de novo.

O Palmeiras tem melhor elenco, com mais opções e um ataque rápido. Luxemburgo colocou Keirrison e Ortigoza para serem as “flechas” estilingadas por Diego Souza e Cleiton Xavier, que também se revezavam à frente nos perigosos contra-ataques alviverdes. Proposta parecida com a do meio de semana: time atrás, esperando um vacilo da zaga adversária. Nada que lembre qualquer futebol super-ofensivo praticado por equipes comandadas pelo treinador outrora.

E deu certo. Um lindo passe de Diego Souza para Xavier, uma defesa que não conseguiu fazer a linha de impedimento e sai o gol de Keirrison. O Santos, que encurralava o Palmeiras no seu campo, teria que sair ainda mais e oferecer o contragolpe para o adversário. Poderia ser mortal.

Mas dez minutos depois de tomar o gol, aos 18, Kléber Pereira apareceria. Em uma cobrança de escanteio, o atacante vai se deslocando para trás, ficando sozinho na entrada da área, quando a bola chega nele. Chute preciso que muda a história da partida. Pereira fez o quinto gol na terceira partida seguida: todos os tentos decisivos. Como já escrevi outra vez , ele fica períodos sem marcar, perde muitas oportunidades em uma partida, mas ontem, quando teve sua chance fez. Vida de artilheiro é assim.

A balada continuou a mesma, o Santos acuando o Palmeiras, que trazia perigo nos contra-ataques se aproveitando do confuso sistema defensivo santista, que estreava André Astorga atrás. Foi ali que Fábio Costa, mais magro e atento depois da chegada de Manicni, começou a aparecer, com defesas importantes e saídas providenciais.

No início da segunda etapa, depois que os “caras” peixeiros já tinham dado o ar da sua graça, apareceram os “carinhas”. Neymar, sempre marcado por dois, três ou até quatro rivais, recebeu a bola de Roberto Brum, que errava muitos passes durante a partida até aquele momento. De costas para dois marcadores, girou, gingou, achou o espaço e bateu no canto direito de Marcos. Outro moleque, Paulo Henrique Ganso, fez uma bela jogada em cima de Fabinho Capixaba que incendiou a Vila Belmiro. Diga-se, aliás, que o meia marcou muito e correu o tempo todo em que esteve em campo.

Naturalmente, o Santos foi recuando e o Palmeiras se lançou ao ataque. Fábio Costa começou a aparecer mais, não só com defesas cruciais como também atuando praticamente como homem da sobra quando a equipe adiantava sua linha de marcação. Após o primeiro terço do segundo tempo, com um time inferior tecnicamente e com seus garotos no banco, sobrou para o Alvinegro o mesmo elemento que fez a diferença em favor do Palmeiras na quarta-feira: a entrega.



O contra-ataque santista só funcionou em um jogada em que o meia Robson encontrou Marcos fazendo uma grande intervenção, de resto, o Palmeiras pressionou, mas não chegou às redes. Um grande jogo, típico de decisão, e a expectativa de outros 90 minutos de nervos à flor da pele no próximo fim de semana.  

9 comentários:

Sartorato disse...

E, amanhã, post aqui no Futepoca dizendo que o juiz tirou a vantagem do empate do São Paulo pra entregar pro Corinthians, mas que jogar na gaiola das loucas não vai ser fácil...

Rafael Zito disse...

Olá Glauco,

Cara o Palmeiras tem o melhor time do Paulistao, como a classificação apontou, no entanto, acho q eh o pior elenco dos quatro semifinalistas. Sem Cleiton Xavier vai ser dificil o Vanderlei achar alguem pra vaga

Ainda sobre o Paulistão,

Neste domingo, o Corinthians venceu o São Paulo, por 2 a 1, na semifinal do Campeonato Paulista. O Blog Jornalismo Esportivo fez uma análise da partida e do desempenho das equipes no confronto. Gostaríamos de convidá-lo para acessar o Blog e deixar a sua opinião

www.esportejornalismo.blogspot.com

Anselmo disse...

O Santos jogou muito. Interessante que, na 4a, o Palmeiras jogou com aplicação tática e uma grande partida de marcos. No sábado, o Santos é que fez isso, com uma diferença. O Palmeiras jogou com mais determinação do que o Sport, pq o jogo era decisivo.

O humor do Palmeiras depende bastante do que acontecer na quarta. Uma vitória na Libertadores dá ânimo, o uqe nao ganha jogo, mas ajuda. Um tropeço significa desespero pra partida de volta contra o Santos.

Fabricio disse...

O Palmeiras não fez uma má partida. Na verdade também perdeu várias chances (uma com Keirrison e outra com Maurício Ramos de cabeça no primeiro tempo, e mais uma do Keirrison no segundo tempo).

Sobre o elenco, acho que só o São Paulo tem um melhor que do Palmeiras. Pelo menos o Santos e o corinthians com certeza não têm. O Cleiton Xavier não vinha jogando tão bem como no começo da temporada e acho que não vai fazer falta no segundo jogo não.

Se repetir o que fez quarta passada ou mesmo o que fez sábado, a classificação deve vir. Mas concordo com o Anselmo. Vai depender do que rolar quarta, que é, de novo, o jogo do ano.

Marcão disse...

Fábio Costa é seleção! E Rogério Ceni é papelão...

Fabricio disse...

Ouvi um comentário muito pertinente na SporTV. O Fábio Costa volta totalmente fora de ritmo das intertemporadas, mas todos devem concordar que ele cresce enormemente em decisões.

brunna disse...

Eu que achei que ia comer peixe escaldado, acabei tendo que me contentar com o resultado.

Glauco disse...

Pô, Fabricio, isso que foi dito na Sport já foi dito no Futepoca, espaço muito mais democrático em termos de discussão esportiva. Como escrito aqui , a respeito de seu início de temporada em 2008: "O goleiro voltou, como sempre volta, acima do peso, na ocasião, com cinco quilos a mais. E demora pra se recuperar, o que afeta a olho nu seu desempenho. Começo de Paulista é sempre garantia de falhas do arqueiro."

Maurício disse...

Na Band e na RedeTV a palpitaiada é de que dá Corinthians e Santos na final. É muito muito precipitado... Se Palmeiras e São Paulo resolverem que querem mesmo disputar essa final, a panela vai esquentar. Corinthians e Santos querem.